Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufpa.br:8080/jspui/handle/2011/9920
metadata.dc.type: Tese
Issue Date: 19-Mar-1997
metadata.dc.creator: GOMES, Flávio dos Santos
metadata.dc.contributor.advisor1: SLENES, Robert Wayne Andrew
Title: A Hidra e os pântanos: quilombos e mocambos no Brasil (sécs. XVII-XIX)
metadata.dc.description.sponsorship: CNPq - Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico
Citation: GOMES, Flávio dos Santos. A Hidra e os pântanos: quilombos e mocambos no Brasil (sécs. XVII-XIX). 1997. 773 f. Tese (Doutorado) - Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas, 1997. Programa de Pós-Graduação em História. Disponível em: <http://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/9920>. Acesso em:.
metadata.dc.description.resumo: Em todas as áreas das Américas Negras onde se estabeleceram grupos de escravos fugidos, destaca-se a maneira como se forjaram políticas de alianças entre os fugitivos com outros setores da sociedade envolvente. Assim foi também no Brasil, em todas as regiões escravistas onde quilombolas procuraram se organizar econômica e socialmente em grupos e comunidades. Tentavam manter a todo custo sua autonomia e ao mesmo tempo agenciavam estratégias de resistência junto a indígenas, taberneiros, fazendeiros, lavradores, até autoridades coloniais e principalmente aqueles que permaneciam escravos. A partir de tais estratégias e experiências -- permeadas de contradições e conflitos -- os fugitivos determinaram os sentidos de suas vidas como sujeitos de sua própria história. Nesta tese analisamos as experiências históricas dos quilombolas na Amazônia Colonial, no Maranhão e comparativamente outras áreas coloniais brasileiras, destacando como eles estavam articulados sócio-economicamente a sociedade envolvente mas também representavam uma ameaça para ela.
Abstract: In all Latin American societies where runaway slaves shaped maroon communities alternatives economy and fighting for feedom lived together with many allinace forms involving wholi colonial society. It had occured also in slave areas in Brazil where the quilombolas (maroons) organized themselves in social and economic groups and communities in order to maintain their autonomy, otherwise it may include daily relations with indians, farmers, rural workers, colonial authorities and, mainly slaves. Although these strategies -- wich involved conflict and contradictory aspects -- the runaways gave sense to their lives as subjects of their own history- In this thesis the historical experience of maroon societies in colonial amazoniam region and Maranhão will be analized. Futher the cases studied will be compared with other colonial areas, foccusing how slave communities was articulated wich the brazilian colonial society as a whole represents a threat.
Keywords: Escravidão - Brasil
Quilombos - Brasil
Negros - Condições sociais
Escravos - Brasil - Condições sociais
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::HISTORIA::HISTORIA DO BRASIL::HISTORIA REGIONAL DO BRASIL
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Estadual de Campinas
metadata.dc.publisher.initials: UNICAMP
metadata.dc.publisher.department: Instituto de Filosofia e Ciências Humanas – IFCH/UNICAMP
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em História – PPGHIS/UNICAMP
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
metadata.dc.source.uri: http://repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/280897
Appears in Collections:Teses em História (Doutorado) - PPGHIS/UNICAMP

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Tese_HidraPantanosQuilombos.pdf20,28 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons