Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/10471
Compartilhar:
Type: Tese
Issue Date: 6-Jul-2017
Authors: SANTOS, Buna Colombo dos
First Advisor: CARVALHO NETO, Marcus Bentes de
Title: O conceito de punição na obra de B. F. Skinner: uma análise Histórico-conceitual (1930-1990)
Sponsor: CAPES - Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior
Citation: SANTOS, Bruna Colombo dos. O conceito de punição na obra de B. F. Skinner: uma análise Histórico-conceitual (1930-1990). 2017. 217 f. Tese (Doutorado) - Universidade Federal do Pará, Núcleo de Teoria e Pesquisa do Comportamento, Belém, 2017. Programa de Pós-Graduação em Teoria e Pesquisa do Comportamento. Disponível em: <>. Acesso em:
Resumo: Duas definições de punição são mais citadas por analistas do comportamento: a definição de Skinner e a de Azrin e Holz. Tais definições representam duas teorias sobre punição (teorias assimétrica e simétrica). A posição simétrica é a mais referida, entretanto isto parece não ter levado a um total abandono de posicionamentos assimétricos. Portanto, ambas as teorias coexistem no cenário analítico comportamental e são discutidas. Neste sentido, alguns trabalhos vêm examinando tais posições e, com relação à posição assimétrica, analisam mais especificamente a que é assumida por Skinner. Estes estudos contribuíram para a compreensão do posicionamento de Skinner sobre punição, porém deixaram algumas lacunas a serem preenchidas: (1) não incluíram documentos referentes a todo período de publicação de Skinner, concentrando-se apenas em 1953; e (2) não fizeram a análise do conceito de punição em relação a outros conceitos chave e suas modificações dentro do arcabouço teórico Skinneriano. Sendo assim, o objetivo deste estudo foi caracterizar, sistematicamente, o conceito de punição na obra de B. F. Skinner, entre 1930 e 1990, enfatizando: (a) as definições apresentadas pelo autor ao longo de sua obra e (b) os mecanismos explicativos utilizados por Skinner ao tratar de punição. Foram analisados documentos publicados entre 1930 e 1990 e alguns documentos não publicados coletados na Universidade de Harvard. Os resultados, apresentados em três capítulos, mostraram que houve mudanças na terminologia, definição e explicação da punição na década de 1930, e que essas mudanças estiveram atreladas, entre outros fatores, ao desenvolvimento do conceito de reserva do reflexo. Esse conceito foi questionado no início dos anos 40 e completamente abandonado nos anos 50. Argumentou-se que o conceito foi chave para a formulação Skinneriana da punição como assimétrica ao reforçamento e que, embora tenha sido abandonado nos anos 50, algumas de suas características essenciais sobreviveram nos escritos Skinnerianos. Também se verificou que dos anos 60 em diante, não houve grandes modificações no conceito de punição.
Abstract: Two definitions of punishment are more often referred to by behavioral analysts: Skinner's definition and Azrin and Holz’s definition. These definitions represent two theories of punishment (asymmetrical and symmetrical theory). Although the symmetrical position is the most cited, this does not appear to have caused the cessation of the asymmetrical position. Thus, both theories coexist and are debated within Behavior Analysis. In this sense, some studies have examined these positions and, in relation to the asymmetrical positioning, analyze more specifically the position assumed by Skinner. These studies contributed to the understanding of Skinner's position on punishment, but left some gaps to fill: (1) They did not include documents from the entire Skinner's publication period, focusing mostly in 1953; and (2) they did not analyze the concept of punishment in relation to other key concepts and their modifications within Skinner's theory. Thus, the objective of this study was to systematically characterize the concept of punishment in B.F. Skinner's work between 1930 and 1990, emphasizing: (a) the definitions presented by the author throughout his work; and (b) the explanatory mechanisms used by Skinner to deal with punishment. Published and unpublished documents of Skinner between 1930 and 1990 were analyzed. The results, presented in three chapters, showed that there were changes in the terminology, definition and explanation of punishment in the 1930’s and that these changes were due, among other factors, to the development of the concept of reflex reserve. This concept was questioned in the early 1940’s and completely abandoned in the 1950’s. It was argued that the concept was the key to Skinner's formulation of punishment as asymmetrical to reinforcement, and although it was abandoned in the 1950’s, some of its key features survived. It was also observed that, from the 1960’s, there were no major changes in the concept of punishment. These results address the main objectives of this work.
Keywords: Punição
Reserva
Pesquisa histórico-conceitual
B. F. Skinner
Concentration Area: PSICOLOGIA EXPERIMENTAL
CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIA::PSICOLOGIA EXPERIMENTAL
Country: Brasil
Publisher: Universidade Federal do Pará
Institution Acronym: UFPA
Department: Núcleo de Teoria e Pesquisa do Comportamento
Program: Programa de Pós-Graduação em Teoria e Pesquisa do Comportamento
Source: 1 CD-ROM
Appears in Collections:Teses em Teoria e Pesquisa do Comportamento (Doutorado) - PPGTPC/NTPC

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Tese_ConceitoPunicaoObra.pdf3,1 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons