Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufpa.br:8080/jspui/handle/2011/11053
metadata.dc.type: Tese
Issue Date: 14-Nov-2018
metadata.dc.creator: CORREIA SILVA, David Costa
metadata.dc.description.affiliation: UFRA - Universidade Federal Rural da Amazônia
metadata.dc.contributor.advisor1: FERNANDES, Danilo Araújo
Title: Mudança institucional e diversidade territorial na Amazônia Oriental Brasileira: o papel do mercado de terra como causa estrutural para o fenômeno do desmatamento
metadata.dc.description.sponsorship: CAPES - Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior
Citation: SILVA, David Costa Correia. Mudança institucional e diversidade territorial na Amazônia Oriental Brasileira: o papel do mercado de terra como causa estrutural para o fenômeno do desmatamento. Orientador: Danilo Araújo Fernandes. 2018.159 f. Tese (Doutorado em Desenvolvimento Sustentável do Trópico Úmido) - Núcleo de Altos Estudos Amazônicos, Universidade Federal do Pará, Belém, 2018. Disponível em:. Acesso em:.
metadata.dc.description.resumo: O desmatamento é um dos principais problemas da Amazônia. A explicação das causas dessa degradação ambiental tende a ser feita sob as relações de mercado (oferta e demanda), isto é, com o uso da teoria econômica neoclássica. Por essa teoria, os problemas socioambientais são reduzidos a questões mercadológicas de modo que as questões são consideradas externalidades cuja solução é a definição dos direitos de propriedade e a regulação das formas de uso (comando e controle). No caso amazônico, o desmatamento estaria ligado à demanda por commodities que funcionariam como incentivo à devastação de novas áreas. Porém, a visão neoclássica atenta apenas para relações econômicas imediatas e focadas na economia real (produção, distribuição e consumo). Assim, a teoria neoclássica ignora possibilidade da terra ser um ativo com características específicas, com mercado e que pode ser transacionado no presente ou no futuro, transformando-se em uma razão para especulação. Nesse sentido, este tese levanta a hipótese de que o desmatamento é resultado da constituição mercado de terras “sem mata”. Para testar essa hipótese este ensaio segue as teorias da Nova Sociologia Econômica e Nova Economia Institucional, as quais apresentam potencial para explicar os processos históricos e as mudanças institucionais passadas pelo território amazônico que resultaram na expansão da fronteira agrícola, em ampliação das possibilidades de trajetórias tecnológicas e em transformações nos arranjos institucionais que auxiliaram na criação do mercado de fatores, entre os quais o mercado de terras, sendo este um dos indutores do desmatamento amazônico
Abstract: Deforestation is one of the main problems of the Amazon. The explanation of the causes of this environmental degradation tends to be done under the market relations (supply and demand), that is, with the use of neoclassical economic theory. By this theory, socio-environmental problems are reduced to market issues so that issues are considered externalities whose solution is the definition of property rights and the regulation of forms of use (command and control). In the case of the Amazon, deforestation would be linked to the demand for commodities that would act as an incentive to the devastation of new areas. However, the neoclassical view focuses only on immediate economic relations focused on the real economy (production, distribution and consumption). Thus, the neoclassical theory ignores the possibility of the earth being an asset with specific characteristics, with market and that can be transacted in the present or in the future, turning into a reason for speculation. Thus, this thesis raises the hypothesis that deforestation is a result of the constitution of land market. To test this hypothesis, this essay follows the theories of the New Economic Sociology and New Institutional Economics, which have the potential to explain the historical processes and the institutional changes that have taken place in the Amazonian territory that have resulted in the expansion of the agricultural frontier, expanding the possibilities of technological trajectories and in transformations in the institutional arrangements that helped to create the market for factors, including the land market, which is one of the drivers of Amazonian deforestation
Keywords: Mercado de Terras
Instituições
Território
Trajetórias Tecnológicas
Desmatamento
Recursos Naturais
metadata.dc.subject.areadeconcentracao: DESENVOLVIMENTO SOCIOAMBIENTAL
metadata.dc.subject.linhadepesquisa: DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, REGIONAL E AGRÁRIO
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::ECONOMIA::ECONOMIA AMBIENTAL::ECONOMIA DOS RECURSOS NATURAIS
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal do Pará
metadata.dc.publisher.initials: UFPA
metadata.dc.publisher.department: Núcleo de Altos Estudos Amazônicos
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Sustentável do Trópico Úmido
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
metadata.dc.source: 1 CD-ROM
Appears in Collections:Teses em Desenvolvimento Sustentável do Trópico Úmido (Doutorado) - PPGDSTU/NAEA

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Tese_MudancaInstitucionalDiversidade.pdf1,37 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons