Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufpa.br:8080/jspui/handle/2011/11519
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.creatorVAQUERA VARGAS, Antônio-
dc.date.accessioned2019-08-26T12:15:29Z-
dc.date.available2019-08-26T12:15:29Z-
dc.date.issued1985-10-04-
dc.identifier.citationVAQUERA VARGAS, Antônio. Alteração supergênica dos basaltos do Porto Franco-Grajaú-MA. Orientador: Nilson Pinto de Oliveira. 1985. 115 f. Dissertação (Mestrado em Geologia e Geoquímica) – Núcleo de Ciências Geofísicas e Geológicas, Universidade Federal do Pará, Belém, 1985. Disponível em: http://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/11519. Acesso em: .pt_BR
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/11519-
dc.description.sponsorshipCNPq - Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológicopt_BR
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal do Parápt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.source1 CD-ROMpt_BR
dc.subjectBasaltospt_BR
dc.subjectIntemperismopt_BR
dc.subjectMaranhão - Estadopt_BR
dc.titleAlteração supergênica dos basaltos do Porto Franco-Grajaú-MApt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.departmentInstituto de Geociênciaspt_BR
dc.publisher.initialsUFPApt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::GEOCIENCIASpt_BR
dc.contributor.advisor1OLIVEIRA, Nilson Pinto de-
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/7180004562088906pt_BR
dc.description.resumoO presente trabalho trata das modificações morfológicas, mineralógicas e geoquímicas ocorrentes durante o desenvolvimento de seis perfis de intemperismo de basaltos da região de Porto Franco - Grajaú, estado do Maranhão. A principal característica dos perfis estudados é a grande espessura do seu horizonte C. o horizonte B, inexiste nos perfis de pequena espessura e é muito delgado nos perfis mais desenvolvidos. A alteração de basalto inicia-se com a decomposição da magnetita. A seguir, decompõem-se labradorita, pigeonita e augita, nesta ordem. O processo de alteração como um todo pode ser dividido em três estágios. O estágio inicial consiste na ruptura e desagregação das estruturas cristalinas dos minerais primários do basalto e na formação dos primeiros argilo-minerais, principalmente da smectita e da halloysita. O estágio pré-caolinítico, subsequente, é caracterizado pelo extensivo desenvolvimento de smectita e halloysita. Finalmente, no estágio caolinítico predominam caolinita e/ou hematita. Todas essas transformações são graduais. A variação da umidade na região estudada tem consequências bem definidas sobre o desenvolvimento da alteração. Na área de menor umidade, as características texturais do basalto são preservadas por mais tempo durante o processo de alteração, a velocidade de alteração do piroxênio, plagioclásio e smectita é menor, necessita-se de mais tempo para o equilíbrio mineral, a oxidação da magnetita ocorre mais lentamente e a hematita passa a ser um mineral comum no perfil, já nos primeiros estágios do intemperismo.pt_BR
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Geologia e Geoquímicapt_BR
dc.subject.areadeconcentracaoGEOQUÍMICA E PETROLOGIApt_BR
Appears in Collections:Dissertações em Geologia e Geoquímica (Mestrado) - PPGG/IG

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertacao_AlteracaoSupergenicaBasaltos.pdf352,04 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons