Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufpa.br:8080/jspui/handle/2011/11881
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.creatorREIS, Tayanne de Fátima Almeida Tabosa dos-
dc.date.accessioned2019-10-01T20:26:00Z-
dc.date.available2019-10-01T20:26:00Z-
dc.date.issued2019-02-26-
dc.identifier.citationCHAVES, Tayanne de Fátima Almeida Tabosa dos. Financiamento estudantil nas instituições privado-mercantis de ensino superior no Brasil: o caso da Kroton Educacional. Orientadora: Vera Lúcia Jacob Chaves. 2019. 214 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Instituto de Ciências da Educação, Universidade Federal do Pará, Belém, 2019. Disponível em: http://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/11881. Acesso em:.pt_BR
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/11881-
dc.description.abstractThe present study investigates new forms of student financing of higher education used by Kroton, Private Student Parceling (PEP) and PraValer. Its general objective is to analyze these two new forms of financing in the context of the financialization of education. It is hypothesized that the Student Financing Fund (Fies), student financing guaranteed by the State, was a policy that prompted the privatization, expansion and financialization of higher education in Brazil, which paved the way for these new forms of financing. Methodologically it is a case study based on historical-dialectical materialism. It uses bibliographic and documentary research which has analyzed documents such as: the financial and accounting statements that Kroton provides on its website; the TCU reports; data on expansion published by INEP; news and articles published by electronic newspapers from 2015 to 2018. It points towards a conclusion which confirms our hypothesis, i.e., that Fies acts as a contradictory policy, since it makes access to higher education possible, while it strengthens the privatization and financialization of this level of education. In addition, after the redesign by which the Fies went through in 2015, the process of expansion of the private-commercial sector, through private student credit lines, is intensified, since PEP and PraValer, credit lines offered by Kroton Educacional, are formulated in this scenario of financial unsustainability of the Fies. Thus, Kroton Educacional presents more latently its financial facet as it distances itself from the educational and pedagogical processes and acts in the sale of credit / finances. PraValer and PEP, in general, are programs that use the omission of information and the association with the conditions provided by the Public Financing Program to stimulate the sale of credit. In addition, the advertisements by the PEP and PraValer lines are misleading insofar as they advertise no interest and no guarantor, a fact that becomes explicit when analyzing the contracts. The PEP and PraValer programs are openly targeting the low-income population, and the conditions offered by the programs suggest that students and their families may find it difficult to pay off the debt they incur, so that we can say that this proliferation of student financing is a responsible educational product to inaugurate a new moment for private HEIs insofar as it intensifies financial relations in the sectorpt_BR
dc.description.sponsorshipCNPq - Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológicopt_BR
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal do Parápt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.source1 CD-ROMpt_BR
dc.subjectFinanciamento Estudantilpt_BR
dc.subjectCrédito estudantilpt_BR
dc.subjectFinanceirizaçãopt_BR
dc.titleFinanciamento estudantil nas instituições privado-mercantis de ensino superior no Brasil: o caso da Kroton Educacionalpt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.departmentInstituto de Ciências da Educaçãopt_BR
dc.publisher.initialsUFPApt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS HUMANAS::EDUCACAO::PLANEJAMENTO E AVALIACAO EDUCACIONAL::POLITICA EDUCACIONALpt_BR
dc.contributor.advisor1CHAVES, Vera Lúcia Jacob-
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/3533444052532463pt_BR
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/4472511060328696pt_BR
dc.description.resumoO presente estudo investiga duas das novas formas de financiamento estudantil da educação superior utilizadas pela Kroton, o Parcelamento Estudantil Privado (PEP) e o PraValer. Tem como objetivo geral analisar essas duas novas formas de financiamento no contexto de financeirização da educação. Possui como hipótese que o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), financiamento estudantil garantido pelo Estado, foi uma política indutora da privatização, expansão e financeirização da educação superior no Brasil, que abriu caminho para estas novas formas de financiamento. Metodologicamente, trata-se de um estudo de caso fundamentado à luz do materialismo histórico-dialético. Utiliza-se de pesquisa bibliográfica e documental, que teve os seguintes documentos analisados: os demonstrativos financeiros e contábeis que a Kroton fornece em seu site; os relatórios do TCU; dados de expansão publicitados pelo INEP; e notícias e matérias veiculadas por jornais eletrônicos no período de 2015 a 2018. Como conclusão, aponta para a confirmação de nossa hipótese, segundo a qual o Fies atua como uma política contraditória, pois ao passo que viabiliza o acesso à educação superior, fortalece a privatização e financeirização deste nível de ensino. Além disso, após o redesenho pelo qual o Fies passou, em 2015, intensifica-se o processo de expansão do setor privado-mercantil via linhas de financiamento de crédito estudantis privadas, haja vista que o PEP e PraValer, linhas de crédito ofertadas pela Kroton Educacional, são formulados neste cenário de insustentabilidade financeira do Fies. Assim, a Kroton Educacional apresenta de forma mais latente sua faceta financeira na medida em que se distancia dos processos educacionais e pedagógicos e atua na venda de crédito/finanças. O PraValer e o PEP, de forma geral, são programas que utilizam da omissão de informações e da associação às condições prestadas pelo Programa de Financiamento Público para o estimulo da venda do crédito. Além disso, as propagandas veiculadas pelas linhas PEP e PraValer são enganosas em razão de anunciarem ausência de juros e a não necessidade de fiador, fato que se torna explicito quando analisados os contratos. Os programas PEP e PraValer são abertamente direcionados à população de baixa renda, e as condições ofertadas pelos programas sugerem grande possibilidade de estudantes e suas famílias encontrarem dificuldades de quitar a dívida contraída, de modo que podemos afirmar que esta proliferação do financiamento estudantil atua como produto educacional responsável por inaugurar um novo momento para as IES privadas, já que intensifica as relações financeiras no setor.pt_BR
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Educaçãopt_BR
dc.subject.linhadepesquisaFINANCEIRIZAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIORpt_BR
dc.subject.areadeconcentracaoPOLÍTICAS PÚBLICAS EDUCACIONAISpt_BR
dc.description.affiliationUFPA - Universidade Federal do Parápt_BR
dc.contributor.advisor1ORCIDhttps://orcid.org/0000-0003-3128-3659pt_BR
Appears in Collections:Dissertações em Educação (Mestrado) - PPGED/ICED

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertacao_FinanciamentoEstudantilInstituicoes.pdf9,43 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons