Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufpa.br:8080/jspui/handle/2011/11966
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.creatorFRANÇA, Marlon Carlos-
dc.date.accessioned2019-10-29T13:42:38Z-
dc.date.available2019-10-29T13:42:38Z-
dc.date.issued2010-07-13-
dc.identifier.citationFRANÇA, Marlon Carlos. Mudanças na vegetação do litoral Leste da ilha de Marajó durante o Holoceno Superior. Orientador: Marcelo Cancela Lisboa Cohen. 2010. 111 f. Dissertação (Mestrado em Geologia e Geoquímica) - Instituto de Geociências, Universidade Federal do Pará, Belém, 2010. Disponível em: http://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/11966. Acesso em:.pt_BR
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/11966-
dc.description.abstractThe integration of palynological, chemical, isotopic and stratigraphic data with radiocarbon dating, obtained from two cores, allowed the identification of two periods during the last millennium in the coastal plain of the Soure in Marajó Island. The first period, from 1275- 1165 cal yr BP to 760-480 cal years BP, indicates the expansion of herbaceous vegetation, characterized by the presence of the Cyperaceae, Poaceae and Fabaceae. During this period it was recorded the largest continental influence through the relationship δ 13C (-30 and -25 ‰) and C/N ratio (20-40). During the last 500 years the mangrove vegetation has expanded, being represented by the Rhizophora and Avicennia pollens. The C/N ratio decreased to values <20, indicating an increase in the contribution of aquatic organic matter (phytoplankton). This aquatic influence was observed on the lithology and sediment structure, indicated by the predominance of silt-clay sediments with parallel-laminated and some millimetrics lens of clay, which may have their origin associated to tidal flat. This trend during the last centuries on the Marajó Island may be associated to the eustatic sea-level rise, changes in the Amazon rivers discharge due to climatic changes or tectonic effects.pt_BR
dc.description.sponsorshipCNPq - Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológicopt_BR
dc.description.sponsorshipFAPESPA - Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisaspt_BR
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal do Parápt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.source1 CD-ROMpt_BR
dc.subjectGeologia estratigráfica - Holocênico - Parápt_BR
dc.subjectVegetação e clima - Parápt_BR
dc.subjectNível do mar – Parápt_BR
dc.titleMudanças na vegetação do litoral Leste da ilha de Marajó durante o Holoceno Superiorpt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.departmentInstituto de Geociênciaspt_BR
dc.publisher.initialsUFPApt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::GEOCIENCIAS::GEOLOGIApt_BR
dc.contributor.advisor1COHEN, Marcelo Cancela Lisboa-
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/8809787145146228pt_BR
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/8225311897488790pt_BR
dc.description.resumoA integração de dados polínicos, químicos, isotópicos e estratigráficos com datação 14C, a partir de dois testemunhos coletados na planície costeira de Soure, Ilha de Marajó (PA), permitiu a identificação de dois períodos distintos durante o último milênio. O primeiro revelou um período de expansão da vegetação herbácea, caracterizada pela presença das famílias Cyperaceae, Poaceae e Fabaceae, que se desenvolveram pelo menos desde 1275- 1165 cal anos AP até 760-480 cal anos AP. Neste período foi possível observar uma forte influência continental por meio da relação δ 13C (-30 e -25 ‰) e a razão C/N (20-40). A partir de aproximadamente 500 anos ocorreu uma fase mais intensa na expansão dos Manguezais, com predomínio de Rhizophora e Avicennia, sendo possível observar também uma diminuição nos valores da razão C/N (< 20), que indica um aumento na contribuição de matéria orgânica de origem aquática (fitoplanctônica). O aumento da influência aquática neste período pode ser observado também por meio da coluna estratigráfica que apresenta um predomínio de sedimentos silto-arenosos com estratificação plano-parelela e algumas lentes milimétricas de argila. A origem dessas estruturas pode ser atribuída aos processos ocorrentes nas planícies de intermaré. O aumento da influência aquática durante as últimas centenas de anos no litoral marajoara pode estar relacionado com uma tendência de aumento do nível do mar eustático no oceano Atlântico, oscilações na descarga dos rios amazônicos decorrentes das flutuações climáticas ou subsidência da região de estudo.pt_BR
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Geologia e Geoquímicapt_BR
dc.subject.linhadepesquisaGEOLOGIA MARINHA E COSTEIRApt_BR
dc.subject.areadeconcentracaoGEOLOGIApt_BR
Appears in Collections:Dissertações em Geologia e Geoquímica (Mestrado) - PPGG/IG

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertacao_MudancasVegetacaoLitoral.pdf5,42 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons