Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufpa.br:8080/jspui/handle/2011/1802
Tipo: Tese
Data do documento: 13-Jun-2006
Autor(es): VEIGA, Liza Maria
Primeiro(a) Orientador(a): FERRARI, Stephen Francis
Primeiro(a) coorientador(a): GALVÃO, Olavo de Faria
Título: Ecologia e comportamento do Cuxiú-Preto (Chiropotes Satanas) na paisagem fragmentada da Amazônia Oriental
Título(s) alternativo(s): The ecology and behaviour of the black bearded saki (Chiropotes Satanas) in the fragmented landscape of Eastern Amazonia
Agência de fomento: CAPES - Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior
Citar como: VEIGA, Liza Maria. Ecologia e comportamento do Cuxiú-Preto (Chropotes Satanas) na paisagem fragmentada da Amazônia Oriental. 2006. 207 f. Tese (Doutorado) - Universidade Federal do Pará, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Belém, 2006. Programa de Pós-Graduação em Teoria e Pesquisa do Comportamento.
Resumo: Cuxiús são primatas frugívoros especializados na predação de sementes. O cuxiú-preto (Chiropotes satanas), atualmente ameaçado de extinção, é endêmico de uma área da Amazônia oriental brasileira bastante povoada e desmatada. O principal objetivo deste estudo foi pesquisar o comportamento e a ecologia de dois grupos de cuxiús-pretos vivendo sob diferentes graus de fragmentação de hábitat, de maneira a entender como parâmetros ecológicos nestes diferentes contextos influenciam estratégias comportamentais. Além disso, o estudo procurou identificar fatores que limitam a viabilidade a longo prazo do cuxiú-preto e coletar informações que possam contribuir com planos de manejo e conservação. O estudo foi realizado na margem direita do rio Tocantins, no reservatório de Tucuruí, Estado do Pará, Brasil (415'S, 4931'W). Dois grupos de cuxiús-pretos foram estudados: um (denominado T4) em um grande fragmento de floresta situado na margem do reservatório (1.300 ha, 39 indivíduos) e outro numa pequena ilha (19,4 ha, oito indivíduos) coberta por floresta. O comportamento dos dois grupos foi monitorado durante 12 meses (1.153 horas de observação) utilizando metodologias de amostragem por varredura e de todas as ocorrências por 4 a 5 dias consecutivos por mês por grupo. Além de coletar dados sobre seus orçamentos de atividades, todos os recursos alimentares utilizados foram documentados, os percursos diários anotados e as interações sociais intra e interespécies registradas. Transecções botânicas (10 x 100 ha) cobrindo um hectare no sítio T4 e 0,5 ha no sítio Ilha foram estabelecidas e uma subamostra de árvores (DAP ≥ 10 cm) e cipós (DAP ≥ 5 cm) foi marcada e medida para um inventário florístico e para a coleta de dados fenológicos que ocorreu em intervalos de 30 dias durante 14 meses. Os dois grupos diferiram em todos os aspectos de seu comportamento e ecologia. O tempo empregado em diferentes atividades variou significativamente entre eles. O deslocamento (35,4%) foi responsável pela maior proporção do orçamento de atividades anual do grupo T4, enquanto o grupo Ilha dedicou mais tempo para a alimentação (30,0%). Interações sociais foram responsáveis por uma proporção relativamente grande do orçamento de atividades dos dois grupos (T4 8,5%; Ilha 15,2%). Ao longo do periodo do estudo ambos os grupos consumiram um grande número de diferentes espécies vegetais (173 grupo T4; 132 grupo Ilha; 240 ambos) e suas dietas variaram significantemente tanto em termos de itens consumidos quanto em composição taxonômica, sendo que a dieta do grupo T4 foi mais diversa. Ambos os grupos despenderam a maior parte de seu tempo consumindo sementes (T4 54,0%; Ilha 59,9%), apesar de sua dieta também incluir outros itens tais como polpa de frutos (T4 25,0%; Ilha 13,7%), flores (T4 12,3%; Ilha 17,4%) e, em menor grau, medula de galhos e artrópodes. O grupo T4 utilizou uma área de 98,6 ha, enquanto os membros do grupo Ilha utilizaram 17,2 ha. O uso do espaço e o tamanho do percurso diário (T4 4025 m 994 m; Island 2807 m 289 m) variaram entre os grupos e estiveram ligados, no grupo T4, à variação no tamanho do grupo ao longo do ano resultante de seu sistema de organização social de fissão-fusão. Ao contrário, o grupo Ilha foi mais coeso. As diferenças na ecologia e comportamento dos dois grupos estiveram ligadas ás diferenças em seus respectivos hábitats. O tamanho dos sítios foi importante mas também o foi a variação na disponibilidade de alimentos determinada pela composição taxonômica da vegetação dos mesmos. Resultados do inventário florístico revelaram uma maior diversidade de espécies no sítio T4. No entanto importantes espécies alimentares estavam ausentes ou disponíveis em quantidades variáveis em ambos os sítios. Além do valor intrínseco do conhecimento sobre as características ecológicas do cuxiú-preto, o conhecimento detalhado acumulado neste estudo pode contribuir para a formulação de ações de conservação e planos de manejo, assim como para a identificação de fatores que limitam a viabilidade a longo prazo das populações remanescentes nas paisagens fragmentadas da Amazônia oriental.
Abstract: Bearded sakis are frugivores specialised for seed predation. The black bearded saki (Chiropotes satanas) is endemic to a densely populated and deforested area in eastern Amazonia in Brazil and is threatened with extinction. The principal objective of this study was to research the behaviour and ecology of two groups of black bearded sakis living under different degrees of habitat fragmentation, to understand how ecological parameters in these different settings influence behavioural strategies. In addition, the study aimed to identify factors that may limit the long-term viability of the black bearded saki and identify information that may contribute to conservation and management plans. The study took place on the right bank of the Tocantins River in the Tucuruí Reservoir, Pará State, Brazil (415'S, 4931'W). Two groups of bearded sakis were studied: one (denominated T4) in a large mainland fragment (1,300 ha - 39 members), and one on a small (19.4 ha - eight members) forested island. Twelve months behavioural sampling (1,153 observation hours) was undertaken using both scan and behaviour-sampling methodologies for 4 to 5 consecutive days per month per group. In addition to collecting activity budget data, all food resources were documented, daily routes plotted and intraspecies and interspecies social interactions recorded. Botanical transects (10 x 100 ha) covering one hectare at the T4 site and 0.5 hectare on the island were established, and a subsample of trees (≥ DAP 10cm) and lianas (≥ DAP 5 cm) marked and measured for a floristic inventory and phenological data collection which took place at 30-day intervals over 14 months. The two groups differed in all aspects of their behaviour and ecology. Time spent in different activities varied significantly between the groups. Moving (35.4%) comprised the largest proportion of annual budget in the T4 group, while the Island group devoted more time to feeding (30.0%). Social interactions accounted for a relatively large proportion of activity budget for both groups (T4 8.5%; Island 15.2%). Over the study, the two groups consumed a large number of different plant species (T4 173; Island 132; both groups 240) and their diets varied significantly in terms of items consumed and taxonomic composition. Both groups spent most of their time consuming seeds (T4 54.0%; Island 59.9%), however other items, including fruit pulp (T4 25.0%; Island 13.7%), flowers (T4 12.3%; Island 17.4%) and to a lesser extent pith and arthropods were also included in their diets. Members of the T4 group used an area of 98.6 ha and the island group, 17.2 ha. Use of space and daily path length (T4 4025 m 994 m; Island 2807 m 289 m) varied between groups and was linked in T4 group to the variation in group size throughout the year as a result of their complex fission-fusion sociality, the island group on the other hand was more cohesive. Variations in ecology and behaviour of the two groups were linked to differences in their respective habitats. The size of the sites was important but so too was the variation in the availability of food. Results from the floristic inventory revealed a greater diversity of different species on the T4 site, however important food species were either missing or available in varying amounts at both site. In addition to the intrinsic value of the knowledge of ecological characteristics of the bearded saki the detailed knowledge accumulated this study will help in the formulation of conservation action and management plans and in the identification of the factors which limit the long term viability of remaining populations in the fragmented landscapes of eastern Amazonia.
Palavras-chave: Primata
Sementes
Ecologia animal
Comportamento animal
Cuxiú-Preto
Chiropotes satanas
Amazônia oriental
CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIA::PSICOLOGIA COMPARATIVA
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal do Pará
Sigla da Instituição: UFPA
Instituto: Núcleo de Teoria e Pesquisa do Comportamento
Programa: Programa de Pós-Graduação em Teoria e Pesquisa do Comportamento
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
Aparece nas coleções:Teses em Teoria e Pesquisa do Comportamento (Doutorado) - PPGTPC/NTPC

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Tese_EcologiaComportamentoCuxiu-Preto.pdf3,05 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons