Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/3401
Compartilhar:
Tipo: Artigo de Periódico
Data do documento: Jun-2003
Autor(es): FERNANDES, Luiz Alberto
GIANNINI, Paulo César Fonseca
GÓES, Ana Maria
Título: Araçatuba formation: palustrine deposits from the initial sedimentation phase of the Bauru Basin
Citar como: FERNANDES, Luiz A.; GIANNINI, Paulo C. F.; GOES, Ana Maria. Araçatuba formation: palustrine deposits from the initial sedimentation phase of the Bauru Basin. Anais da Academia Brasileira de Ciências. Rio de Janeiro v. 75, n. 2, p. 173-187, jun. 2003. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/aabc/v75n2/v75n2a06.pdf>. Acesso em: 29 jan. 2013. <http://dx.doi.org/10.1590/S0001-37652003000200006>.
Resumo: A Bacia Bauru (Cretáceo Superior), acumulou uma seqüência sedimentar continental essencialmente arenosa. Numa fase inicial desértica, o seu substrato basáltico foi soterrado por extensa e monótona cobertura de areias eólicas com intercalações subordinadas de depósitos de loesse. O relevo original do substrato favoreceu a formação de uma drenagem regional endorrêica, sob clima semi-árido, propiciando assim condições de formação do Paleopantanal Araçatuba. Os depósitos paludiais (Formação Araçatuba) constituem estratos tabulares de siltitos e arenitos de cor cinza claro esverdeado típica, eventualmente cimentados por carbonato de cálcio. Moldes e pseudomorfos de cristais de gipsita e dolomita foram identificados na unidade. Aparentemente, estão associados com gretas de ressecação, marcas de raízes e intervalos com laminação tipo climbing ripple, que indicam ambiente de águas salinas rasas e relativamente calmas, submetidas a fases de exposição subaérea e ressecação. Nos limites da área de ocorrência da Formação Araçatuba, as unidades arenosas podem exibir feições sigmóides e estratificação contorcida, comuns em depósitos deltaicos marginais. A Formação Araçatuba é contornada e posteriormente encoberta por depósitos eólicos da Formação Vale do Rio do Peixe.
Abstract: The Bauru Basin (Upper Cretaceous) accumulated an essentially sandy continental sedimentary sequence. In a first desertic phase the basaltic substratum was covered by a widespread and homogeneous aeolian sand unit with minor loess intercalations. The substratum relief favored the formation of an endorheic drainage system under semi-arid climate, a process that started the development of the Araçatuba Paleoswamp. The palustrine deposits (Araçatuba Formation) comprise siltstone and tipically greenish gray narrow tabular strata of sandstone cemented by carbonate. Moulds and gypsite and dolomite pseudomorphs were identified. The moulds seem to be genetically associated with desiccation cracks, root marks and climbing ripple lamination levels, that, on the whole, indicate calm shallow saline waters undergoing phases of subaerial exposition. At the boundaries of the study area, sand units may exhibit sigmoidal features and convolute bedding structure, which is characteristic of marginal deltaic deposits. TheAraçatuba Formation is enclosed in and later overlaid by the aeolian deposits of the Vale do Rio do Peixe Formation.
Palavras-chave: Cretáceo
Formação Araçatuba
Formação Vale do Rio do Peixe
Bauru - SP
São Paulo - Estado
ISSN: 0001-3765
Aparece nas coleções:Artigos Científicos - FAGEO/IG

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Artigo_AracatubaFormationPalustrine.pdf1,04 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons