Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufpa.br:8080/jspui/handle/2011/3514
metadata.dc.type: Tese
Issue Date: 2011
metadata.dc.creator: SILVA, Bianca Bentes da
metadata.dc.contributor.advisor1: ISAAC, Victoria Judith
metadata.dc.contributor.advisor-co1: MARTINELLI-LEMOS, Jussara Moretto
Title: Ecologia, pesca e dinâmica populacional do camarão-da-Amazônia - Macrobrachium amazonicum (Heller, 1862) (Decapoda:Palaemonidae) – capturado na região das ilhas de Belém - Pará - Brasil
metadata.dc.description.sponsorship: CNPq - Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico
FAPESPA - Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas
DAAD - Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico / Deutscher Akademischer Austauschdiens
Citation: SILVA, Bianca Bentes da. Ecologia, pesca e dinâmica populacional do camarão-da-Amazônia - Macrobrachium amazonicum (Heller, 1862) (Decapoda:Palaemonidae) - capturado na região das ilhas de Belém - Pará - Brasil. 2011. 260 f. Tese (Doutorado) - Universidade Federal do Pará, Instituto de Ciências Biológicas, Belém, 2011. Programa de Pós-Graduação em Ecologia Aquática e Pesca.
metadata.dc.description.resumo: A partir de coletas biológicas mensais na Baía do Guajará e Ilha do Mosqueiro, foram obtidas amostragens de Macrobrachium amazonicum para estudos de reprodução, densidade, relações morfométricas e dinâmica de populações. Adicionalmente, dois outros desenhos amostrais foram utilizados para estudo da capturabilidade da espécie sobre influência de dois tipos de iscas e três tamanhos de armadilhas e de sua distribuição espacial em dois canais perenes do mesmo estuário. Os resultados apontam para diferença na captura de M. amazonicum quando se utiliza isca de farelo de babaçu, porém a diferença é unicamente na abundância sendo que a estrutura populacional não é modificada. A espécie é mais abundante no período seco, corroborando a idéia de maior capturabilidade dos recursos pesqueiros. A ilha do Combu é o local onde os espécimes são mais encontrados e ainda com maiores tamanhos. As fêmeas são significativamente maiores e mais pesadas que os machos, denotando a diferenciação no metabolismo devido à reprodução. A proporção de machos é maior nas menores classes de comprimento, o que pode indicar um aumento na predação de machos de menores tamanhos devido ao seu comportamento mais agressivo que o das fêmeas ou simplesmente por que os machos que atingem comprimentos maiores que as fêmeas sejam mais intensamente predados pela pesca, havendo o recrutamento apenas dos machos menores. O tamanho de primeira maturação (comprimento da carapaça) para ambos os sexos resultou em 11,5mm (11,5 mm nos machos e 11,2mm nas fêmeas). A reprodução em M. amazonicum é do tipo contínua ou periódica com um aumento gradativo entre os meses de outubro a março. Os locais mais abrigados, como regiões mais internas de canais de maré ou furos (comuns no estuário amazônico) são locais preferencialmente procurados por fêmeas maduras para a desova e crescimento dos juvenis. Os parâmetros de crescimento da curva de von Bertalanffy obtidos, foram bastante similares entre os sexos, sendo L∞ = 44,8mm e K = 0,35 para os machos e L∞ = 46,5 e K = 0,31 para as fêmeas. As taxas de mortalidade e explotação obtidas apontam para um estado limítrofe de explotação do recurso, neste sentido, o manejo deverá ser tratado com bastante cuidado. A taxa atual de explotação encontra-se no seu limite máximo de sustentabilidade. Nesta situação, qualquer aumento do esforço poderá ocasionar um estado de sobre-explotação de crescimento. Aliado ao estado de quase comprometimento dos estoques de M. amazonicum, a situação sócio econômica dos pescadores também não é diferente dos demais sistemas pesqueiros do litoral do Pará: baixa escolaridade, atuação deficiente das entidades de classe, cadeia produtiva complexa e que desprivilegia os seus principais atores. Sugere-se o monitoramento estatístico da produção; a delimitação do tamanho mínimo de captura em 4,5cm de comprimeto total; a proibição da pesca com matapis em áreas de cabeceira de furos e canais de maré; um censo de usuários e a utilização de modelos bioeconômicos que contemplem os principais aspectos de sua cadeia biológica e produtiva.
Abstract: In monthly biological samples of M. amazonicum in Guajará Bay and Mosqueiro island, were studied reproduction, density, morphometric relationships and population dynamics. Two other sample designs was realized in two perennial the same estuary. Results indicate differences in capture of this species using different bait of meal, but is solely on the abundance and population structure does not change. The species is most abundant in the dry season, supporting the idea higher catchability of fishery resources. In Combu island was found species with larger sizes. Females are significantly larger and heavier than males, indicating the differentiation in metabolism due to reproduction. Sex ratio of males is higher in smaller size classes, which may indicate an increase in predation on smaller sizes of males due to their behavior more aggressive than the females or males simply because they reach lengths larger than females are more heavily preyed upon by fishing, with the recruitment of only the smaller males. First maturation length for both sexes resulted in 11.5 mm – carapace length - (11.5 mm in males and 11.2 mm in females). Reproduction in M. amazonicum is continuous or periodic a gradual increase during the months from October to March. The most common sites housed, as inner regions of tidal channels or holes (common in Amazon estuary) sites are preferentially sought by mature females for spawning and juvenile growth. Von Bertalanffy growth parameters obtained were very similar between the sexes, where L ∞ = 44.8 mm and K = 0.35 for males and L ∞ = 46.5 and K = 0.31 for females. Mortality and exploitation obtained was in maximum sustainability and the management should be treated fairly care. In this situation, any increase in effort may result a state of over-exploitation of growth. Allied to near commitment of the stocks of M. amazonicum of the socio economic fishing is no different from other systems of coastal fishery Para: poor education, poor performance of professional associations, chain productive complex and that its main underprivileged. We suggest the statistical monitoring of production, the delineation of the minimum capture length in 4.5cm; suppression of fishing with matapis in headwater areas of creeks and tidal channels, a census of users and the use of models bioeconomic that include major aspects of its biological and productive chain.
Keywords: Crustáceo
Pesca
Ecologia aquática
Reprodução animal
Estuários
Camarão de água doce
Camarão-da-Amazônia
Macrobrachium amazonicum
Baía do Guajará - PA
Ilha de Mosqueiro - PA
Belém - PA
Pará - Estado
Amazônia brasileira
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS BIOLOGICAS::ECOLOGIA::ECOLOGIA DE ECOSSISTEMAS
CNPQ::CIENCIAS AGRARIAS::RECURSOS PESQUEIROS E ENGENHARIA DE PESCA::RECURSOS PESQUEIROS DE AGUAS INTERIORES
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal do Pará
metadata.dc.publisher.initials: UFPA
metadata.dc.publisher.department: Instituto de Ciências Biológicas
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Ecologia Aquática e Pesca
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Appears in Collections:Teses em Ecologia Aquática e Pesca (Doutorado) - PPGEAP/NEAP

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Tese_EcologiaPescaDinamica.pdf15,4 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons