Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/3911
metadata.dc.type: Dissertação
Issue Date: 12-Mar-2012
metadata.dc.creator: AGUIAR, Samantha Assis de
metadata.dc.contributor.advisor1: BATISTA, Evander de Jesus Oliveira
metadata.dc.contributor.advisor-co1: SOUSA, Maísa Silva de
Title: Prevalência de HTLV-1 e HTLV-2 em portadores de Strongyloides stercoralis, Pará, Brasil
metadata.dc.description.sponsorship: SEDUC/PA - Secretaria de Estado de Educação
Citation: AGUIAR, Samantha Assis de. Prevalência de HTLV-1 e HTLV-2 em portadores de Strongyloides stercoralis, Pará, Brasil. 2012. 89 f. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal do Pará, Núcleo de Medicina Tropical, Belém, 2012. Programa de Pós-Graduação em Doenças Tropicais.
metadata.dc.description.resumo: O Strongyloides stercoralis é um nematódeo intestinal de seres humanos causador da estrongiloidíase, doença com distribuição mundial especificamente comum em regiões tropicais e subtropicais. Estudos epidemiológicos têm demonstrado a existência da associação desta parasitose com o Vírus Linfotrópico de Células T Humanas do tipo 1 (HTLV-1). Em regiões onde ambos agentes são endêmicos, a coinfecção pode resultar no desenvolvimento da estrongiloidíase grave, pois o HTLV-1 provoca uma redução na produção dos componentes imunológicos participantes dos mecanismos de defesa contra S. stercoralis. Baseado nessa questão, esse estudo prentedeu contribuir para esclarecer o papel da imunossupressão induzida pelo HTLV-1 e HTLV-2 na persistência e disseminação do Strongyloides stercoralis. Testes sorológicos e moleculares foram utilizados para verificar a frequência da infecção pelo HTLV-1 e HTLV-2 nos portadores de S. stercoralis atendidos no Hospital Universitário João de Barros Barreto em Belém-Pará, no período de Julho de 2009 a Junho de 2011. Nesse estudo observamos a frequência (5,50%) de anticorpos anti-HTLV-1 e HTLV-2 em portadores de Strongyloides stercoralis. A prevalência de HTLV-1 (3,67%) foi superior à de HTLV-2 (0,92%). A análise da amostra estudada mostrou que não houve diferenças estatísticas significativas na frequência do HTLV-1 e HTLV-2 entre homens e mulheres. Quanto à distribuição dos portadores de HTLV-1 e HTLV-2 por faixa etária, observou-se maior frequência do vírus entre os pacientes com idade mais avançada. Baseados nos resultados deste estudo, concluímos que há necessidade de medidas profiláticas que previnam a disseminação do HTLV-1 e HTLV-2 entre portadores de S. stercoralis e como consequência evitar o desenvolvimento de complicações resultantes da associação desses agentes.
Abstract: The Strongyloides stercoralis is an intestinal nematode of humans that causes strongyloidiasis, a disease with worldwide distribution particularly common in tropical and subtropical regions. Epidemiological studies have demonstrated the existence of an association of this parasitic disease with Human T-cell Lymphotropic Virus type 1 (HTLV-1). In regions where both agents are endemic, the coinfection may result in the development of severe strongyloidiasis, because HTLV-1 causes a reduction in the production of immune components participating in the defense mechanisms against S. stercoralis. Based on this question, this study wanted to help and clarify the role of immunosuppression induced by HTLV-1 and HTLV-2 in the persistence and dissemination of Strongyloides stercoralis. Serological and molecular tests were used to assess the frequency of HTLV-1 and HTLV-2 in patients with S. stercoralis treated at University Hospital João de Barros Barreto, Belém Pará, in the period July 2009 to June 2011. In this study, we observed the frequency (5.50%) of anti-HTLV-1 and HTLV-2 in patients with Stongyloides stercoralis. The prevalence of HTLV-1 (3.67%) was higher than that of HTLV-2 (0.92%). The analysis of the sample showed no statistically significant differences in the frequency of HTLV-1 and HTLV-2 among men and women. At the distribution of patients with HTLV-1 and HTLV-2 by age group, we observed a higher frequency of the virus among patients with older age. Based on the results in this study, we conclude that there is need for prophylactic measures to prevent the spread of HTLV-1 and HTLV-2 among carriers of S. stercoralis and consequently prevent the development of complications resulting from the combination of these agents.
Keywords: Vírus linfotrópico de células T humanas tipo 1
Vírus 2 linfotrópico T humano
Strongyloides stercoralis
Prevalência
Fatores de risco
Pará - Estado
Bahia - Estado
Pernambuco - Estado
Amazônia brasileira
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS BIOLOGICAS::BIOLOGIA GERAL
CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::MEDICINA::CLINICA MEDICA::DOENCAS INFECCIOSAS E PARASITARIAS
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal do Pará
metadata.dc.publisher.initials: UFPA
metadata.dc.publisher.department: Núcleo de Medicina Tropical
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Doenças Tropicais
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Appears in Collections:Dissertações em Doenças Tropicais (Mestrado) - PPGDT/NMT

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertacao_PrevalenciaHTLV1HTLV2.pdf2,53 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons