Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/5543
Tipo: Dissertação
Título: Valor nutritivo da leguminosa Flemingia macrophylla (Willd.) Merrill para suplementação alimentar de ruminantes na Amazônia Oriental
Autor(es): AVIZ, Márcia Alessandra Brito de
Primeiro Orientador: LOURENÇO JÚNIOR, José de Brito
Resumo: O conhecimento do valor nutritivo de plantas forrageiras é de grande relevância quando se pretende elevar a produtividade dos sistemas pecuários na Amazônia Oriental, principalmente em áreas onde ocorre deficiência de forragem de boa qualidade, em períodos de déficit hídrico. Assim, caracterizar a potencialidade da leguminosa Flemingia macrophylla (Willd.) Merrill, como alternativa para alimentação animal, assume relevante importância, pois pode influenciar no desempenho produtivo de bovídeos para carne e leite. Dessa forma, esta pesquisa visou avaliar a composição química, digestibilidade aparente e consumo voluntário dessa leguminosa na alimentação suplementar de ruminantes, em períodos de reduzida disponibilidade de forragem, de baixo valor nutritivo. O trabalho foi realizado na Embrapa Amazônia Oriental, em Belém-Pará, (1º28´ S 48º27´ W de Greenwich). Foram determinadas as características nutricionais da leguminosa, durante um período de 21 dias, com 16 ovinos, em gaiolas metabólicas individuais, distribuídas em delineamento inteiramente casualizado, em quatro tratamentos e quatro repetições, onde os tratamentos (T1, T2, T3 e T4) continham quicuio-da-amazônia (Brachiaria humidicola) e níveis crescentes de 100%, 75%, 50% e 25% de inclusão de F. macrophylla. Os teores de tanino na composição da dieta foram 1,37; 0,62; 0,31 e 0,17%, respectivamente. Os consumos de matéria seca, em g/dia e % do peso vivo, foram de 901,8 e 2,4; 947,9 e 2,5; 859,5 e 2,2; e 930,2 e 2,5 e de proteína bruta 232,4; 188,7; 132,1 e 107,6 g/dia. Os coeficientes de digestibilidade da matéria seca foram de 54,1; 59,2; 55,1; e 62,0%, da matéria orgânica de 57,3; 61,2; 57,6; e 64,0% e de proteína bruta de 63,2; 60,5; 51,4; 52,0%, respectivamente. A leguminosa possui potencial produtivo, com elevada disponibilidade de matéria seca, para ser utilizada como suplemento alimentar para ruminantes, principalmente em períodos críticos. Níveis de inclusão de F. macrophylla, em torno de 75%, possibilitam maior consumo da matéria seca, matéria orgânica, e das frações fibrosas e 100% permitem melhor consumo de PB e EB.
Abstract: The knowledge of the nutritional value of forage plants is of great relevance when it is intended to raise the productivity of the cattle systems in the Eastern Amazon, mainly in areas where deficiency of fodder plant of good quality occurs, in periods of water deficit. Thus, to characterize the potentiality of the leguminous Flemingia macrophylla (Willd.) Merril, as alternative for animal feeding, assumes excellent importance, therefore it can influence in the productive performance for meat and dairy cattle. This research aimed to evaluate the chemical composition, apparent digestibility and voluntary intake of this leguminous in the suplementary feeding of ruminants, in period of reduced availability of fodder plant and low nutritional value. The work was realized at the Embrapa Eastern Amazon, in Belem, Para State, Brazil (1º28'S 48º27'W). The nutrition characteristics of the leguminous were determined, during 21 days, with 16 sheeps, in individual metabolic cage, distributed in completely randomized, with four treatments and four repetitions. The experimental treatments (T1, T2, T3 and T4) contained Brachiaria humidicola and creasing levels of 100%, 75%, 50% and 25% of inclusion of F. macrophylla. The tannin level in the composition of the diet was 1.37; 0.62; 0.31 and 0.17%, respectively. The consumption of dry matter (g/day) and % of live weight were 901.8 and 2.4; 947.9 and 2.5; 859.5 and 2.2; e 930.2 and 2.5 and of crude protein 232.4; 188.7; 132.1 and 107.6 g/day. The coefficients of digestibilidade were 54.1; 59.2; 55.1; e 62.0%, in dry matter, and 57.3; 61.2; 57.6; e 64.0% in organic matter and the crude protein were 63.2; 60.5; 51.4; 52.0%, respectively. The leguminous has feeding potential, with high availability of dry matter, to be used as alternative for ruminants feeding supplementation, mainly in critical periods. Level of inclusion of F. macrophylla, around 75%, make possible greater consumption of the dry matter, organic matter and of fiber fractions and 100% allow better consumption of crude protein and gross energy.
Agência de fomento: CNPq - Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico
Palavras-chave: Plantas forrageiras
Leguminosa
Flemingia macrophylla
Valor nutritivo
Composição química
Digestibilidade aparente
Belém - PA
Pará - Estado
Amazônia Brasileira
CNPq: CNPQ::CIENCIAS AGRARIAS::ZOOTECNIA::NUTRICAO E ALIMENTACAO ANIMAL::AVALIACAO DE ALIMENTOS PARA ANIMAIS
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal do Pará
Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária
Universidade Federal Rural da Amazônia
Sigla da Instituição: UFPA
EMBRAPA
UFRA
Instituto: Núcleo de Ciências Agrárias e Desenvolvimento Rural
Programa: Programa de Pós-Graduação em Ciência Animal
Referência: AVIZ, Márcia Alessandra Brito de. Valor nutritivo da leguminosa Flemingia macrophylla (Willd.) Merrill para suplementação alimentar de ruminantes na Amazônia Oriental. 2007. 72 f. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal do Pará, Núcleo de Ciências Agrárias e Desenvolvimento Rural, Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, Universidade Federal Rural da Amazônia, Belém, 2007. Programa de Pós-Graduação em Ciência Animal.
URI: http://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/5543
Data do documento: 2007
Aparece nas coleções:Dissertações em Ciência Animal (Mestrado) - PPGCAN/NCADR

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertacao_ValorNutritivoLeguminosa.pdf1,14 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons

Ferramentas do administrador