Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/5718
metadata.dc.type: Dissertação
Issue Date: 12-Apr-2012
metadata.dc.creator: DUARTE, Inaê Benchaya
metadata.dc.contributor.advisor1: FERREIRA, Eleonora Arnaud Pereira
Title: Efeito de instruções e de treino parental sobre comportamentos observados em cuidadores e em crianças com câncer durante sessão de punção venosa para quimioterapia ambulatorial
Other Titles: Effect of instructions and parental training on behaviors observed in caregivers and children with cancer during venipuncture session for outpatient chemotherapy
metadata.dc.description.sponsorship: CAPES - Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior
Citation: DUARTE, Inaê Benchaya. Efeito de instruções e de treino parental sobre comportamentos observados em cuidadores e em crianças com câncer durante sessão de punção venosa para quimioterapia ambulatorial. 2012. 105 f. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal do Pará, Núcleo de Teoria e Pesquisa do Comportamento, Belém, 2012. Programa de Pós-Graduação em Teoria e Pesquisa do Comportamento.
metadata.dc.description.resumo: Os procedimentos invasivos recorrentes no tratamento do câncer na criança têm-se mostrado o momento de maior sofrimento tanto para o paciente quanto para o cuidador. Durante estes procedimentos, como no caso da punção venosa, grande parte das crianças apresenta reações caracterizadas como distresse comportamental. Intervenções comportamentais têm sido desenvolvidas com o objetivo de diminuir este distresse, podendo utilizar como agentes os próprios cuidadores das crianças. Esta pesquisa teve como objetivo analisar os efeitos de instrução e de treino parental sobre comportamentos observados em cuidadores e em crianças com diagnóstico de câncer durante procedimento de punção venosa em ambulatório. Foram selecionados nove cuidadores de crianças em tratamento quimioterápico em um hospital especializado em Belém-PA. Para a coleta de dados foram utilizados: Roteiro de entrevista, Questionário Sociodemográfico, Instrumento de Avaliação das Relações Familiares (Parental Bonding Instrument [PBI]), Child Behavior Checklist (CBLC), Protocolo de observação direta dos comportamentos da criança e do cuidador, Escala de Avaliação Comportamental, Manual de orientação para cuidadores sobre punção venosa em crianças e Protocolo de treino parental. Os participantes foram submetidos a uma dentre três condições: (1) Rotina, (2) Manual de Orientação ou (3) Treino Parental. A coleta de dados foi realizada por meio de entrevista e de quatro sessões de observação direta do comportamento. Os comportamentos das crianças foram classificados como concorrentes e não concorrentes. Os comportamentos dos cuidadores foram classificados como monitoria positiva, monitoria negativa e negligência. Os resultados sugerem que, na Condição Rotina, os participantes (cuidadores) não variaram seus comportamentos ao longo das sessões, com dois participantes mantendo alta frequência de comportamentos negligentes e um participante mantendo monitoria positiva. Na Condição Manual, observou-se mudança de comportamento em dois cuidadores como efeito imediato à utilização do manual, mas não em longo prazo. Na Condição 3, na qual os cuidadores foram submetidos ao Protocolo de treino parental, observou-se aumento na frequência de monitoria positiva em curto e longo prazo. Com relação às crianças, os resultados indicaram maior frequência de comportamentos não concorrentes, independente da condição a que o cuidador foi submetido. A maioria dos cuidadores foi classificada no PBI com estilo parental permissivo, confirmando a literatura sobre cuidadores de crianças com doenças crônicas. Ocorreram relatos de generalização das habilidades treinadas para contextos fora do hospital. Conclui-se que o uso do manual aumentou a aquisição de conhecimentos sobre punção venosa mas não foi suficiente para a manutenção de mudança de comportamentos. Por outro lado, o uso de treino parental mostrou-se eficaz na mudança de comportamentos (a longo prazo), assim como no desenvolvimento de novas habilidades sociais. Discute-se a importância do estilo parental como fator de proteção à criança com câncer.
Abstract: Recurrent invasive procedures in children’s cancer treatment have appeared to be the moment of greatest suffering for both the patient and the caregiver. During these procedures, as in venipuncture, a great deal of children present reactions characterized as behavioral distress. Behavioral interventions have been developed in order to reduce distress, being possible to have the children’s own caregivers as agents. This study aimed to analyze the effects of instruction and parental training on behaviors observed in caregivers and children diagnosed with cancer during venipuncture procedure in an outpatient clinic. Nine caregivers of children undergoing chemotherapy in a specialized hospital in Belém – PA were selected. For data collection the following questionnaires were used: An interview form, a Sociodemographic Questionnaire, the Parental Bonding Instrument (PBI), the Child Behavior Checklist (CBLC), the Child’s and Caregiver’s Behavior Direct Observation Protocol, the Behavioral Assessment Scale, a caregiver orientation manual for venipuncture in children and the Parental Training Protocol. Participants underwent one of three conditions: (1) Routine, (2) Orientation Manual, or (3) Parental Training. Data collection was performed through interviews and four behavior direct observation sessions. The children’s behaviors were classified as concurrent and non-concurrent. The caregivers’ behaviors were classified as positive monitoring, negative monitoring and negligence. The results suggest that, in the Routine Condition, caregivers did not vary their behavior during the sessions, with two participants maintaining a high frequency of negligent behaviors and one participant maintaining a positive monitoring. In the Manual Condition, a change in two caregivers’ behavior was observed as an immediate effect of the manual usage, but not in the long term. In the third Condition, in which the caregivers were submitted to the Parental Training Protocol, an increase in the frequency of positive monitoring was observed in the short and long term. Regarding the children, the results indicated a higher frequency of non-concurrent behaviors, regardless of the condition to which the caregiver was submitted. Most caregivers were classified in the PBI with a permissive parenting style, confirming the literature on caregivers of children with chronic diseases. There have been reports of trained skills generalization to settings outside the hospital. It is concluded that the manual use increased venipuncture knowledge acquisition but not enough for the change and maintenance of behaviors (in long term). On the other side, parental training was effective in changing behavior as well as developing new social skills. The importance of parenting style as a protective factor for children with cancer is discussed.
Keywords: Comportamento
Crianças
Punção venosa
Câncer na infância
Distresse comportamental
Cuidadores
Treino parental
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIA::PSICOLOGIA EXPERIMENTAL
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal do Pará
metadata.dc.publisher.initials: UFPA
metadata.dc.publisher.department: Núcleo de Teoria e Pesquisa do Comportamento
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Teoria e Pesquisa do Comportamento
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Appears in Collections:Dissertações em Teoria e Pesquisa do Comportamento (Mestrado) - PPGTPC/NTPC

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertacao_EfeitoInstrucoesTreino.pdf1,99 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons