Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/6652
Compartilhar:
Type: Artigo de Periódico
Issue Date: Mar-2013
Authors: NEVES, Moisés David das
MELO, Maria Lúcia Gomes Figueira de
MALHEIRO, João Manoel da Silva
metadata.dc.description.affiliation: MALHEIRO, J. M. da S. Dr. Docente da Universidade Federal do Pará, Faculdade de Pedagogia
Title: Desafios do currículo multicultural na educação superior para indígenas
Other Titles: Challenges of multicultural curriculum in higher education for indigenous people
Citation: DAVID, Moisés; MELO, Maria Lúcia; MALHEIRO, João Manoel da Silva. Desafios do currículo multicultural na educação superior para indígenas. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 39, n. 1, p. 111-125, jan./mar. 2013. Disponível em: <http://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/6652>. Acesso em:.
Resumo: O artigo avalia como a universidade brasileira está enfrentando os desafios curriculares para atender à demanda de alunos índios diante do recente acesso institucionalizado dos povos indígenas à educação superior. Apresenta-se a trajetória da educação escolar indígena até a universidade ocorrida nos primeiros anos da década de 2000, após as mudanças promovidas pela Constituição Federal de 1988, que reconheceu o direito indígena à alteridade. A questão central levantada é: o currículo da educação superior está em consonância com a perspectiva multicultural? Mostra-se um retrato da situação brasileira, desenhado a partir de pesquisa documental feita em sites governamentais e não governamentais, além de portais de notícia. Com discussões teóricas em torno do que é o currículo multicultural, destaca-se que, devido aos problemas relatados, a prática de ações afirmativas para promover o acesso de indígenas ao ensino superior tem-se limitado a um multiculturalismo reparador. Expõe-se também o resultado de pesquisa feita com discentes indígenas de um dos cursos mais procurados da Universidade Federal do Pará, que revelou contradições e resignação: os entrevistados apontam a existência de um etnocentrismo curricular, mas dizem que a formação é satisfatória para o exercício da profissão escolhida. Discute-se o fenômeno à luz da semelhança com o multiculturalismo curricular norte-americano. Os resultados indicam que a igualdade no acesso à educação não é obtida simplesmente pela igualdade de acesso a um currículo hegemônico. Sugere-se pensar currículos que considerem as múltiplas identidades e diferenças de nossa sociedade, bom como o modo como estas são produzidas e reproduzidas constantemente por meio das relações de poder.
Abstract: This article assesses how the Brazilian university is facing curriculum challenges to meet the demands of indigenous students in the face of the recently institutionalized access of indigenous peoples to higher education. It presents the trajectory of indigenous school education up to university in the early 2000s, after the changes promoted by the Federal Constitution of 1988, which recognized the indigenous' right to alterity. The central question raised is: is the higher education curriculum in line with the multicultural perspective? The article shows a portrait of the Brazilian situation, based on documentary research done in governmental and nongovernmental sites, and news portals. With theoretical discussions about what the multicultural curriculum is, the paper stresses that, due to the problems reported, the practice of affirmative actions to promote indigenous access to higher education has been limited to remedial multiculturalism. The paper also brings the results of a survey with indigenous students in one of the most popular courses at the Federal University of Pará, which has revealed contradictions and resignation: interviewees indicate that there is curricular ethnocentrism, but they say the training is satisfactory for the exercise of their professions. We discuss the phenomenon in light of the similarity with North American curricular multiculturalism. Results indicate that equal access to education is not achieved simply by equal access to a hegemonic curriculum. We suggest thinking curricula that consider the multiple identities and differences in our society, as well as how they are constantly produced and reproduced through power relations.
Keywords: Educação superior
Educação indígena
Currículo multicultural
Índios da América do Sul
Pará - Estado
Amazônia brasileira
ISSN: 1517-9702
metadata.dc.source.uri: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-97022013000100008&lng=en&nrm=iso
metadata.dc.identifier.doi: http://dx.doi.org/10.1590/S1517-97022013000100008
Appears in Collections:Artigos Científicos - FAPED/CCAST

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Artigo_DesafiosCurriculoMulticultural.pdfPORTUGUÊS165.84 kBAdobe PDFView/Open
Artigo_ChallengesMulticulturalCurriculum.pdfINGLÊS199.74 kBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons