Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufpa.br:8080/jspui/handle/2011/6798
metadata.dc.type: Tese
Issue Date: 2013
metadata.dc.creator: BARRETO, Josafá Gonçalves
metadata.dc.contributor.advisor1: SALGADO, Claudio Guedes
metadata.dc.contributor.advisor-co1: KITRON, Uriel
Title: Epidemiologia espacial e sorológica da hanseníase no estado do Pará
metadata.dc.description.sponsorship: CAPES - Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior
DECIT - Departamento de Ciência e Tecnologia da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde do Brasil
CNPq - Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico
FAPESPA - Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas
MALTALEP - Ordem de Malta
Citation: BARRETO, Josafá Gonçalves. Epidemiologia espacial e sorológica da hanseníase no estado do Pará. 2013. 150 f. Tese (Doutorado) - Universidade Federal do Pará, Núcleo de Medicina Tropical, Belém, 2013. Programa de Pós-Graduação em Doenças Tropicais.
metadata.dc.description.resumo: Mais de 80.000 casos de hanseníase foram diagnosticados nos últimos 20 anos no Pará e, ainda hoje, com um coeficiente de detecção anual de 50/100.000 habitantes (três vezes superior à média nacional) a doença permanece como um grave problema de saúde pública neste Estado. O objetivo geral deste estudo foi desenvolver um método integrando a epidemiologia espacial e sorológica como ferramenta de combate à hanseníase no Pará. Inicialmente, foram realizadas visitas domiciliares a famílias de pessoas afetadas pela hanseníase, diagnosticadas nos últimos cinco a seis anos, em oito municípios de diferentes regiões do Estado. A equipe de pesquisadores com experiência no manejo da hanseníase, composta por médicos dermatologistas, enfermeiros, fisioterapeutas e técnicos de laboratório, realizou exame clínico dermatoneurológico em 1.945 contatos intradomiciliares de 531 casos notificados e coletou amostra de sangue para pesquisa sorológica de anticorpos IgM anti-PGL-I. Além disso, 1.592 estudantes de 37 escolas públicas do ensino fundamental e médio, com idade entre 6 e 20 anos, também foram selecionados aleatoriamente para serem submetidos à mesma avaliação. As residências dos casos notificados, bem como a dos estudantes incluídos no estudo foram georreferenciadas para a análise da distribuição espacial da hanseníase. Dois anos mais tarde, com base na informação sorológica prévia, a equipe de pesquisadores retornou a dois municípios para reavaliar os indivíduos incluídos no estudo. Adicionalmente, duas novas escolas públicas localizadas em áreas de alto risco de hanseníase, determinadas pela análise da distribuição espacial da doença em um dos municípios, foram selecionadas para avaliar-se a importância da informação geográfica na detecção de casos novos. Na avaliação inicial, 156 (8%) contatos e 63 (4%) estudantes foram diagnosticados como casos novos de hanseníase; 806 (41,4%) contatos e 777 (48,8%) estudantes foram soropositivos para anti-PGL-I. A análise da distribuição espacial dos casos registrados da doença em um dos municípios selecionados indicou que a hanseníase apresenta um padrão heterogêneo, com clusters de alta e baixa taxa de detecção anual em áreas específicas da cidade (p < 0,01), e que 94,7% dos estudantes examinados residiam a menos de 200 metros de um caso registrado durante os seis anos anteriores ao estudo. No seguimento, a incidência de hanseníase foi significativamente maior entre os indivíduos soropositivos (22,3%) quando comparados aos soronegativos (9.4%) (OR = 2,7; IC95% = 1,29 – 5,87; p = 0,01); também foi significativamente mais alta entre moradores de residências com pelo menos um sujeito soropositivo (17,4%), comparada aos de residências sem nenhum morador soropositivo (7,4%) (OR = 2,6; IC95% = 1,18 – 5,91; p = 0,02). A seleção de escolas localizadas em áreas de maior risco dentro do município aumentou significativamente a eficiência na detecção de casos novos entre escolares (8,2%), quando comparada aos resultados obtidos em escolas selecionadas aleatoriamente (4%) (p = 0,04). Os dados mostram alta taxa de prevalência oculta de hanseníase e de infecção subclínica pelo M. leprae no Pará. A epidemiologia espacial e sorológica são ferramentas eficazes para aumentar a detecção precoce de casos novos e deveriam ser utilizadas pelos municípios do Pará para que o Estado possa finalmente alcançar as metas de controle da hanseníase.
Abstract: Leprosy remains a severe public health problem in the State of Pará, Brazil. Over 80,000 cases were detected during the last 20 years in Pará, and currently, the annual case detection rate (50/100,000 inhabitants) is three-fold higher than the Brazilian average. The main objective of this study was to develop a method combining anti-PGL-I serology and spatial epidemiology as a tool for reducing the leprosy disease burden in Pará. An initial cross-sectional survey was conducted in eight municipalities of Pará at the residences of people reported to be affected by leprosy during the last five to six years. A group of researchers with experience treating leprosy patients, including dermatologists, nurses, physical therapists and lab technicians, performed a dermatoneurologic clinical examination and collected blood samples to test for anti-PGL-I IgM in 1,945 household contacts (HHC) of the 531 reported cases. Additionally, 1,592 school children (SC), aged 6-20 years, from 37 randomly selected elementary and secondary public schools underwent the same clinical and serologic evaluation. The residential addresses of reported leprosy cases and the residences of the examined SC were georeferenced to determine the spatial distribution pattern of leprosy. Two years later, based on the previous serological data, we returned to two cities to re-examine the same subjects. To evaluate the significance of geographic information in detecting new cases, we also selected two new public schools located in high-risk areas for leprosy. High-risk areas were determined by the spatial analysis of the distribution of cases in one municipality. During the initial survey, 156 (8%) HHC and 63 (4%) SC were diagnosed as new leprosy cases; 806 (41.4%) HHC and 777 (48.8%) SC tested positive for anti-PGL-I. Spatial analysis of one selected municipality demonstrated heterogeneity in the distribution of leprosy cases, with spatial clusters of high and low detection rates in specific regions of the city (p<0.01). Additionally, 94.7% of the initially examined SC lived within less than 200 meters of a leprosy case registered during the six years prior to this study. During follow-up, the incidence of leprosy was significantly higher among seropositive individuals (22.3%) when compared to seronegative individuals (9.4%) (OR = 2.7; 95%CI = 1.29 – 5.87; p = 0.01); leprosy rates were also significantly higher among dwellers of residences with at least one seropositive subject (17.4%), compared with dwellers of residences with no seropositive subjects (7.4%) (OR = 2.6; 95%CI = 1.18 – 5.91; p = 0.02). Selecting schools located in areas of the city at high-risk of leprosy increased the efficiency of detecting new cases among SC (8.2%) when compared to randomly selected schools (4%) (p = 0.04). The data indicate a high rate of undiagnosed leprosy cases and of subclinical infection with M. leprae in the State of Pará. Anti-PGL-I serology and spatial epidemiology are effective tools to increase the early detection of new cases, and these methods should be used by the municipalities of Pará to help reach leprosy control targets.
Keywords: Doenças infecciosas
Hanseníase
Mycobacterium leprae
HIV (Vírus)
Coinfecção
Epidemiologia
Pará - Estado
Amazônia brasileira
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::MEDICINA::CLINICA MEDICA::DERMATOLOGIA
CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::SAUDE COLETIVA::SAUDE PUBLICA
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal do Pará
metadata.dc.publisher.initials: UFPA
metadata.dc.publisher.department: Núcleo de Medicina Tropical
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Doenças Tropicais
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Appears in Collections:Teses em Doenças Tropicais (Doutorado) - PPGDT/NMT

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Tese_EpidemiologiaEspacialSorologica.pdf7,09 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons