Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufpa.br:8080/jspui/handle/2011/7839
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.creatorALVES, Suely Rodrigues-
dc.date.accessioned2017-03-09T15:59:27Z-
dc.date.available2017-03-09T15:59:27Z-
dc.date.issued2014-07-07-
dc.identifier.citationALVES, Suely Rodrigues. Nosso canto é aqui! Quilombolas de Santa Maria do Traquateua frente a interesses do poder privado em Jambuaçu/Pará. 2014. 164 f. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Pará, Núcleo de Altos Estudos Amazônicos, Belém, 2014. Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Sustentável do Trópico Úmido.pt_BR
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/7839-
dc.description.abstractWe approach, in this study, part of the history of a rural black community called Santa Maria of Traquateua, in the municipality of Moju, State of Pará, that by incorporating ethnic factors in the struggle for land, define themselves as remaining of quilombo. Having the Earth as a nucleating category, in which they practice the common use of the natural resources, we investigate the process of this community resistance against the conflicts with private power companies, especially monoculture form of palm oil and mining companies on its territory (which started since late of 70s). This study was developed, following the critical thinking, starting from the field theory of Pierre Bourdieu and dialoguing with the concepts of traditional peoples, peasants and development. The methodology included a literature review, documentary consultation and field study followed by interviews. The analysis led us to conclude that, in spite of facing the changes and intervention of economic agents on their territory and even in front of expropriation process of their social reproduction conditions (whether territorial, socio-economical or cultural), the community rebuilds strategies to ensure their permanence in the place of ancestral occupation. Thus, in this sense, the resistance as a way of life is peasant and quilombola.pt_BR
dc.description.sponsorshipCNPq - Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológicopt_BR
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal do Parápt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectQuilombolaspt_BR
dc.subjectQuilombospt_BR
dc.subjectComunidade quilombolaspt_BR
dc.subjectMonocultivopt_BR
dc.subjectDendêpt_BR
dc.subjectDendeiculturapt_BR
dc.subjectMineraçãopt_BR
dc.subjectMinériospt_BR
dc.subjectReforma agráriapt_BR
dc.subjectComunidade de Santa Maria do Traquateua - PApt_BR
dc.subjectJambuaçu - PApt_BR
dc.subjectMoju - PA-
dc.titleNosso canto é aqui! Quilombolas de Santa Maria do Traquateua frente a interesses do poder privado em Jambuaçu/Parápt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.departmentNúcleo de Altos Estudos Amazônicospt_BR
dc.publisher.initialsUFPApt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS HUMANAS::SOCIOLOGIA::SOCIOLOGIA RURALpt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS HUMANAS::ANTROPOLOGIA::ANTROPOLOGIA RURALpt_BR
dc.contributor.advisor1CASTRO, Edna Maria Ramos de-
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/4702941668727146pt_BR
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/0185174981352738pt_BR
dc.description.resumoNeste estudo abordamos parte da história de uma comunidade negra rural chamada Santa Maria do Traquateua, no município do Moju, Estado do Pará, que ao incorporar fatores étnicos à luta pela terra, autodefine-se enquanto remanescente de quilombo. Tendo a terra como uma categoria nucleante, na qual praticam o uso comum dos recursos naturais, investigamos o processo de resistência dessa comunidade frente aos conflitos com o poder privado, notadamente empresas monocultoras de dendê e as de mineração, sobre seu território (que se dão desde fins da década de 70). Este trabalho foi desenvolvido segundo o pensamento crítico, partindo da teoria de campo de Pierre Bourdieu e dialogando com os conceitos de populações tradicionais, campesinato e desenvolvimento. A metodologia comportou revisão de literatura, consulta documental e pesquisa de campo onde foram procedidas entrevistas. A análise nos encaminhou a concluir que, mesmo diante do processo de expropriação de suas condições de reprodução social (seja territorial, sócio-econômica ou cultural), a comunidade recria estratégias para assegurar sua permanência no seu lugar de ocupação ancestral, frente às mudanças e à intervenção de agentes econômicos sobre esse território, significando, assim, a resistência de um modo de vida que é camponês e quilombola.pt_BR
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Desenvolvimento Sustentável do Trópico Úmidopt_BR
Appears in Collections:Dissertações em Desenvolvimento Sustentável do Trópico Úmido (Mestrado) - PPGDSTU/NAEA

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertacao_NossoCantoAqui.pdf3,1 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons