Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufpa.br:8080/jspui/handle/2011/8474
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.creatorALMEIDA, Edwana Nauar de-
dc.date.accessioned2017-05-22T14:02:48Z-
dc.date.available2017-05-22T14:02:48Z-
dc.date.issued2016-06-17-
dc.identifier.citationALMEIDA, Edwana Nauar de. O corpo escalpelado: possibilidades e desafios docentes no cotidiano de meninas ribeirinhas na Amazônia paraense. 2016. 206 f. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal do Pará, Instituto de Ciências da Educação, Belém, 2016. Programa de Pós-Graduação em Educação.pt_BR
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/8474-
dc.description.abstractThe accident by scalping is a sad reality that is still part of the Amazon Pará river side scenery, in spite of all efforts that have been done to do away with it. The accident consists of partial or total scalping, also including ears and eyebrows, in rudimentary small boats with the engines adapted in the central part. The victims, mostly girls and adult women carelessly positioned near the engine, have their hair curled in the shaft and brutally ripped out. As a result of the accident, their physical appearence becomes marked and, without exception, they suffer psychological and social trauma, target of curiosity, estrangement and prejudice due to the stigma of being scalped. The accident still concerns because statistics shows that they still happen nowadays. Besides the difficulties because of the long treatment, the child/teenagers will suffer prejudice in the school environment when they are back to their homecity. In this sense, the study has as theme the pedagogical pratice in charge of teachers aiming social insertion of scalped girls so we can understand the senses and meanings which come up (implicit or explicitly), their limits, possibilities and challenges experienced in the school environment. It is a field research with teachers, with descriptive and qualitative approach, having autobiographic narratives as theory-methodological reference aiming the investigation to reveal the subjective material of these subjects' living. Our intention is to understand the knowledge production, senses and meanings manifested in docent practices, needing to deal with subjectivity, the perspective and the particular ways they use to have a relationship with the victims, trying to extract from the teachers’ narratives elements which identify limits and possibilities for the pedagogical process. The study demonstrates that teachers lack professional background to deal with questions involving processes of acceptance and reconstruction of the self images of the victims/girls, once there isn’t any plan for dealing with the students’ prejudiced and discriminatory behavior. This reinforces the understanding that the senses of the teachers’ actions come from values based not only in patterns and social norms or moral values imposed and apprehended in their social and cultural context since their childhood, but also from practical actions based in emotion, desire, pain, feelings, affections and experiences so they can take interventive decisions. Thus, the guiding senses of the teachers’ actions carry features of their professional personality, where they base their ability to know how/to do – experiential knowledges that arise and are validated in everyday praxis – but also in their skill to know/to be, knowledges of their own life history. It is in such a context that pedagogical actions with the girls/victims assume particular features, much more related with negotiation, improvisation and adaptations than with previously conceived scientific techniques, determined by the intelectual and academical world, but related to conditions of humanity, feelings and affectivity that mobilize and model the interactions. Their action is based on social practice, which is complex, interlaced by subjectivity, representations and symbolic interactions, permeated with uncertainty and ethical implications.pt_BR
dc.description.sponsorshipCAPES - Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superiorpt_BR
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal do Parápt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectEducação ruralpt_BR
dc.subjectProfessores - Práticas pedagógicaspt_BR
dc.subjectMeninas escalpeladaspt_BR
dc.subjectReinserção socialpt_BR
dc.subjectReinserção escolarpt_BR
dc.subjectCrianças ribeirinhaspt_BR
dc.subjectPará - Estadopt_BR
dc.titleO corpo escalpelado: possibilidades e desafios docentes no cotidiano de meninas ribeirinhas na Amazônia paraensept_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.departmentInstituto de Ciências da Educaçãopt_BR
dc.publisher.initialsUFPApt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS HUMANAS::EDUCACAO::TOPICOS ESPECIFICOS DE EDUCACAO::EDUCACAO RURALpt_BR
dc.contributor.advisor1HAGE, Salomão Antonio Mufarrej-
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/1723722364556016pt_BR
dc.contributor.advisor-co1BASSALO, Lucélia de Moraes Braga-
dc.contributor.advisor-co1Latteshttp://lattes.cnpq.br/6941089571024585pt_BR
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/5960225898143389pt_BR
dc.description.resumoO acidente por escalpelamento é uma triste realidade que ainda faz parte do cenário amazônico paraense ribeirinho, apesar de todos os esforços empreendidos para a sua erradicação. O escalpelamento consiste no arrancamento parcial ou total do couro cabeludo, inclusive de orelhas e pálpebras, que acontece dentro de pequenas embarcações rudimentares, com o motor adaptado na parte central do barco. As vítimas, na sua maioria meninas e mulheres, quando próximas do motor, ao menor descuido, têm seus cabelos enroscados no eixo e brutalmente arrancados. Em decorrência do acidente, tornam-se pessoas marcadas em sua aparência física e, sem exceção, sofrem trauma psicológico e social, foco de curiosidade, estranhamento e preconceito devido ao estigma de serem escalpeladas. A questão é preocupante porque dados estatísticos indicam ainda a incidência desses acidentes. Além das dificuldades causadas em função do longo tratamento, a criança/jovem enfrentará preconceitos também no ambiente escolar ao retornar ao seu município de origem. Neste sentido, este estudo apresenta como temática a ação pedagógica dos (as) professor (as) para a inserção social de meninas vítimas de escalpelamento, de modo que possamos compreender os sentidos e significações que se manifestam (implícita ou explicitamente), suas limitações, possibilidades e desafios no cotidiano escolar. Trata-se de uma pesquisa de campo com professores (as), de abordagem qualitativa descritiva, tendo as narrativas autobiográficas como referencial teórico-metodológico a fim de direcionar a investigação visando desvelar o material subjetivo presente na vivência desses sujeitos. Nosso intuito é compreender a produção de saberes, sentidos e significados que se manifestam nas ações docentes, necessitando para tanto operar com a subjetividade, a perspectiva e os modos particulares que estes se relacionam com a menina mutilada, buscando extrair dos docentes elementos que identifiquem limites e possibilidades para o processo pedagógico. As análises demonstram ausência de formação profissional por parte dos(as) professores(as) para lidar com as questões que envolvem os processos de aceitação e reconstrução da autoimagem das meninas/ vítimas, uma vez que não há planejamento para lidar com as condutas preconceituosas e discriminatórias dos(as) alunos(as), reforçando o entendimento de que os sentidos do agir docente baseiam-se em juízos fundamentados não apenas nos padrões, normas sociais ou valores morais impostos e apreendidos nos seu contexto sociocultural desde sua infância, mas em juízos práticos fundamentados nas emoções, desejos, dores, sentimentos, afetos e experiências para tomar uma decisão interventiva. Assim, os sentidos que guiam as ações docentes carregam traços da sua personalidade profissional, onde se ancoram a sua habilidade de saber-fazer - saberes experienciais que brotam e são validados na práxis cotidiana -, mas também na habilidade de saber-ser, saberes de sua própria história de vida. É nesse contexto que as ações pedagógicas com a menina/vítima,ganham contornos particulares, muito mais relacionados à negociação, improvisos e adaptações do que propriamente a técnicas científicas previamente concebidas, ditadas pelo intelectual e acadêmico, mas pela condição de humanidade, sentimentos e afetividade que mobiliza e modela as interações. Sua ação fundamenta-se em sua práxis social, que é complexa, entrelaçada de subjetividades, representações e interações simbólicas, permeadas de incertezas e implicações éticas.pt_BR
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Educaçãopt_BR
Appears in Collections:Dissertações em Educação (Mestrado) - PPGED/ICED

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertacao_CorpoEscalpeladoPossibilidades.pdf2,21 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons