Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufpa.br:8080/jspui/handle/2011/8947
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.creatorCAMARGO, Paloma Maria Pinto-
dc.date.accessioned2017-08-02T14:52:21Z-
dc.date.available2017-08-02T14:52:21Z-
dc.date.issued2016-12-07-
dc.identifier.citationCAMARGO, Paloma Maria Pinto. Evolução dos pântanos da região central da península de Bragança-PA de acordo com as mudanças do nível relativo do mar durante o holoceno. 2016. 105 f. Tese (Doutorado) - Universidade Federal do Pará, Instituto de Geociências, Belém, 2016. Programa de Pós-Graduação em Geologia e Geoquímica.pt_BR
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/8947-
dc.description.abstractThis work integrates data from geomorphology, sedimentary features, pollen, diatom, isotopes, mineralogy, chemical analysis and C-14 datings obtained of sediment cores sampled from Bragança Península, Pará littoral. The pollen data indicate that central and topographically higher area of Bragança Peninsula was an area dominated by mangroves, with wide expansion of Avicennia trees, marine diatom, an increased trend of sedimentary organic matter sourced from estuarine algae, and a mineralogical composition mainly formed by pyrite and hematite, typical of mangrove anoxic sediments between > 6300 and 4900 cal yr BP. Between 4900 and 4300 cal yr BP occurrs a without pollen zone, but along this interval takes place marine diatom, an increase of sedimentary organic matter sourced from marine algae and the absence of minerals formed by Fe and S. In the late Holocene (<4300 cal yr BP), the study site was recolonised mainly by herbs with Avicennia trees restricted to border of the herbaceous plain, presence of freshwater diatom remains and a significant increase trend in contribution of sedimentary organic matter of terrestrial origin (C4 plants). Precipitated minerals from enviroments under intense evaporation form the mineralogical composition. In recent decades, there is a mangrove migration to elevated surfaces occupied by herbs (C4 and C3 terrestrial plants), and an increase of sedimentary organic matter sourced from estuarine algae. An upward increase in the Sr concentration occurs along the last 10 cm. These data suggest a mangrove and salt marshes dynamic mainly controlled by the relative sea level changes. Probably, postglacial sea level rise contributed to the establishment and expansion of mangroves in the Bragança Peninsula with great impact on the expansion of Avicennia trees and marine diatoms, an increase of sedimentary organic matter sourced from estuarine algae. This environment favors the mineral precipitation for instance of pyrite. Between 4900 nd 4300 cal yrs BP, the continuous relative sea level rise causes the increase of marine/estuarine diatoms and the contribution of sedimentary organic matter sourced from marine algae. However, it caused the drowning of mangrove and associated vegetation, and consequently its disappearance from the study area, as well as the environmental conditions for sulfides precipitation. After 4300 cal yrs BP, the increase of sedimentary organic matter sourced from C4 terrestrial plants and freshwater diatoms suggest a relative sea level fall. The mineralogical composition suggests an arid environment, such as a sabkha. This process caused the recolonization of herbs (mainly C4 plants) in the topographically highest area of studied peninsula and Avicennia trees surrounding this herbaceous plain. Considering the last decades, the Avicennia trees migration to elevated herbaceous fields, the increase trend of organic matter sourced from estuarine algae and the increase in concentration of Sr during the last 10 cm suggest a modern relative sea level rise.pt_BR
dc.description.sponsorshipFAPESPA - Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisaspt_BR
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal do Parápt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectGeoquímica de sedimentospt_BR
dc.subjectFácies (Geologia)pt_BR
dc.subjectIsótopospt_BR
dc.subjectPalinologiapt_BR
dc.subjectDatação por radiocarbonopt_BR
dc.subjectMudanças climáticaspt_BR
dc.subjectPântano salinopt_BR
dc.subjectManguezaispt_BR
dc.subjectBragança - PApt_BR
dc.subjectPará - Estadopt_BR
dc.titleEvolução dos pântanos da região central da península de Bragança-PA de acordo com as mudanças do nível relativo do mar durante o holocenopt_BR
dc.typeTesept_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.departmentInstituto de Geociênciaspt_BR
dc.publisher.initialsUFPApt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::GEOCIENCIAS::GEOLOGIA::GEOQUIMICApt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::GEOCIENCIAS::GEOLOGIA::SEDIMENTOLOGIApt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::GEOCIENCIAS::GEOMORFOLOGIApt_BR
dc.contributor.advisor1CORRÊA, José Augusto Martins-
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/6527800269860568pt_BR
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/8077083834864664pt_BR
dc.description.resumoEsta pesquisa integra dados de geomorfologia, feições sedimentares, pólen, diatomáceas, isótopos, mineralogia, análises químicas e datações C-14 obtidos de testemunhos da Península de Bragança, litoral do Pará. Os dados polínicos indicam que a zona central e topograficamente mais elevada da Península de Bragança foi uma área dominada por manguezais, com ampla expansão de árvores de Avicennia, presença de diatomáceas marinhas, uma tendência de aumento de matéria orgânica sedimentar de origem estuarina e uma assembleia mineralógica formada principalmente por pirita e hematita típica de sedimentos redutores de manguezais entre >6300 e ~4900 cal anos AP. Entre 4900 e 4300 cal anos AP houve uma zona estéril, sem pólen que pode ser interpretada como um brusco desaparecimento da vegetação costeira (manguezal e pântanos salgados). Nesse intervalo ocorrem ainda espécies de diatomáceas marinhas e estuarinas, assim como um aumento na contribuição de matéria orgânica sedimentar de origem marinha e um desaparecimento de minerias tipicamente formados em ambientes redutoes. No Holoceno tardio (<4300 cal anos AP), o local de estudo foi recolonizado por ervas com árvores de Avicennia restritas às bordas da planície herbácea e uma significativa tendência de aumento da contribuição de matéria orgânica de origem terrestre (plantas C4), além da presença de resíduos de diatomáceas de água doce. A composição mineralógica é formada principalmente por minerais típicos de ambientes expostos a intensa evaporação. Nas últimas décadas existe uma tendência de migração dos manguezais por sobre superfícies mais elevadas ocupadas por ervas de metabolismos C3 e C4, assim como um aumento na contribuição de matéria orgânica de origem estuarina e uma tendência de incremento nas concentrações de Sr na superfície (últimos 10 cm). Tais dados sugerem fortemente uma dinâmica dos manguezais e pântanos salgados controlados principalmente pela variação do nível relativo do mar. Provavelmente, o aumento do nível relativo do mar pós-glacial contribuiu significativamente para a implantação e expansão dos manguezais na Península de Bragança com grande impacto na expansão de árvores de Avicennia, diatomáceas marinhas/estuarinas, aumento na contribuição de matéria orgânica de origem estuarina e favorecimento de ambientes adequados para a precipitação por exemplo de pirita. Entre 4900 e 4300 cal anos AP, provavelmente o nível relativo do mar continuou aumentando. Isso causou um aumento na contribuição de espécies de diatomáceas marinhas/estuarinas e matéria orgânica de origem marinha, porém o contínuo aumento do nível relativo do mar na área de estudo afogou os manguezais e vegetações associadas, causando o desaparecimento desses pântanos do local de estudo, e, consequentemente, desfavorecimento das condições de anoxia do substrato que inviabilizou a precipitação de minerais formados por S e Fe. Após 4300 anos, houve um aumento na contribuição de matéria orgânica de origem de plantas C4 terrestre, assim como a presença de fragmentos de diatomáceas de água doce. A composição mineralógica sugere um ambiente árido tipo sabkha. Tais dados sugerem uma diminuição no nível relativo do mar que causou a recolonização por ervas de metabolismos principalmente C4 com presença de árvores de Avicennia apenas nos setores topograficamente mais baixos da planície herbácea. Considerando as últimas décadas, a migração das árvores de Avicennia em direção aos campos herbáceos, assim como a tendência de aumento de matéria orgânica de origem estuarina e nas concentrações de Sr para o topo do testemunho analisado sugerem um aumento no nível relativo do mar.pt_BR
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Geologia e Geoquímicapt_BR
Appears in Collections:Teses em Geologia e Geoquímica (Doutorado) - PPGG/IG

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Tese_EvolucaoPantanosRegiao.pdf5,1 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons