Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufpa.br:8080/jspui/handle/2011/9136
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.creatorSOUZA, Rhomero Salvyo Assef-
dc.date.accessioned2017-10-03T16:53:22Z-
dc.date.available2017-10-03T16:53:22Z-
dc.date.issued2012-
dc.identifier.citationSOUZA, Rhomero Salvyo Assef. Persistência de anticorpos neutralizantes contra o vírus rábico após quatro anos de vacinação em regimes de pré e pós-exposição e doses de reforço, em população de área rural exposta a agressão por morcegos hematófagos no Brasil. 2012. 94 f. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Pará, Núcleo de Medicina Tropical, Belém, 2012. Programa de Pós-Graduação em Doenças Tropicais.pt_BR
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/9136-
dc.description.abstractRabies is a cosmopolitan zoonosis characterized as an acute viral encephalitis, progressive killing around 55.000 people annually worldwide each year. The rabies virus is transmitted by domestic animals and rural and wild, and now, in the Brazilian Amazon has been observed often outbreaks of human rabies transmitted by bats. The shape of most successful treatment after possible exposure to rabies virus is immunoprophylaxis. This study presents itself as a prospective cohort of maintaining rabies virus neutralizing antibodies in 508 previously vaccinated individuals in a population of the municipality of Augusto Corrêa- Pará- Brazil, from 2007 to 2009. To this end, serum samples were collected for measurement of antibodies by the technique RFFIT. The study sample the genre was predominantly male, with the median age about 16 years with interquartile range between 8 and 30 years, and there was a greater concentration in the age groups 2-9 years and 10 to 19 years; and most of subjects performed the immunization schedule full exposure. The production of neutralizing antibodies against rabies virus in protective levels (> 0.05 IU/mL) occurred in 87.3% of subjects in the first year of the study and preservation of seroprotection was 85.6% in the second year and 93.2% the following year. The study showed better immune profile in females compared to males; in the age groups 30-39 years and 50-59 years; and the group of 32 subjects who received a booster dose, as indicated by antibody titers. In this study, population investigated showed good levels of neutralizing antibodies (> 0.5 IU/mL) against the rabies virus after 4 years of vaccination.pt_BR
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal do Parápt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectDoença infecciosapt_BR
dc.subjectEpidemiologiapt_BR
dc.subjectAntivírus da raivapt_BR
dc.subjectImunoprofilaxiapt_BR
dc.subjectVítus rábicopt_BR
dc.subjectAnticorpos neutralizantespt_BR
dc.subjectMorcegos hematófagospt_BR
dc.subjectAugusto Corrêa - PApt_BR
dc.subjectPará - Estadopt_BR
dc.subjectAmazônia brasileirapt_BR
dc.titlePersistência de anticorpos neutralizantes contra o vírus rábico após quatro anos de vacinação em regimes de pré e pós-exposição e doses de reforço, em população de área rural exposta a agressão por morcegos hematófagos no Brasilpt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.departmentNúcleo de Medicina Tropicalpt_BR
dc.publisher.initialsUFPApt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS BIOLOGICAS::IMUNOLOGIApt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::SAUDE COLETIVA::SAUDE PUBLICApt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::SAUDE COLETIVA::EPIDEMIOLOGIApt_BR
dc.contributor.advisor1SOUSA, Rita Catarina Medeiros-
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/3560941703812539pt_BR
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/5327528039741804pt_BR
dc.description.resumoA raiva é uma zoonose cosmopolita caracterizada como uma encefalite viral aguda, progressiva que mata cerca de 55.000 pessoas anualmente no mundo. O Vírus da Raiva é transmitido por animais domésticos, rurais e silvestres, e atualmente, na Amazônia brasileira tem se observado com frequência surtos de raiva humana transmitida por morcegos. A forma de tratamento mais bem sucedida após possível exposição ao Vírus da Raiva é a imunoprofilaxia. O presente estudo apresenta-se como uma coorte prospectiva da manutenção de anticorpos neutralizantes antivírus rábico em 508 indivíduos previamente vacinados em uma população do Município de Augusto Corrêa- Pará- Brasil, no período de 2007 a 2009. Para tal, foram colhidas amostras de soro para dosagem de anticorpos neutralizantes pela técnica RFFIT. Na amostra estudada o gênero predominantemente foi o masculino; a mediana da idade foi 16 anos com desvio interquartílico entre 8 e 30 anos, e houve maior concentração nas faixas etárias de 2 a 9 anos e 10 a 19 anos e a maioria dos indivíduos realizaram esquema vacinal de exposição completo. A produção de anticorpos neutralizantes contra o vírus rábico, em níveis protetores (> 0,05 UI/mL) ocorreu em 87,3% dos indivíduos no primeiro ano do estudo e a manutenção dos títulos de soroproteção foi de 85,6% no segundo ano e de 93,2% no ano seguinte. O estudo demonstrou melhor perfil imune no gênero feminino em relação ao gênero masculino; nas faixas etárias de 30 a 39 anos e 50 a 59 anos; e no grupo de 32 indivíduos que receberam dose de reforço, conforme indicação pelos títulos de anticorpos. Nesse estudo a população investigada demonstrou bons níveis de anticorpos neutralizantes (> 0,5UI/mL) contra o Vírus da Raiva após os 4 anos de vacinação.pt_BR
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Doenças Tropicaispt_BR
Appears in Collections:Dissertações em Doenças Tropicais (Mestrado) - PPGDT/NMT

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertacao_PersistenciaAnticorposNeutralizantes.pdf2,78 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons