Por favor, use este identificador para citar o enlazar este ítem: http://repositorio.ufpa.br:8080/jspui/handle/2011/9172
Tipo: Dissertação
Fecha de publicación : 5-jun-2008
Autor(es): MACEDO, Gisele Lima
Primer Orientador: LÓPEZ, Maria Elena Crespo
Título : Genotoxicidade mercurial: contribuição para análise de populações amazônicas
metadata.dc.description.sponsorship: CAPES - Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior
Citación : MACEDO, Gisele Lima. Genotoxicidade mercurial: contribuição para análise de populações amazônicas. 2008. 67 f. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Pará, Núcleo de Medicina Tropical, Belém, 2008. Programa de Pós-Graduação em Doenças Tropicais.
Resumen: O mercúrio é uma importante fonte de poluição ambiental em diversas partes do mundo e especialmente na Amazônia. Atualmente, existem evidências de que a exposição crônica a concentrações relativamente baixas de mercúrio poderia estar iniciando processos genotóxicos (dano ao DNA) em humanos. Porém, foram realizados até agora poucos estudos epidemiológicos com populações amazônicas expostas que não incluíram uma comparação com uma população controle. O objetivo do presente estudo foi identificar a técnica mais adequada para analisar gentoxicidade mercurial em populações amazônicas e estabelecer os valores normais de genotoxicidade em uma população ribeirinha amazônica. Para a realização dos testes in vitro foram aplicadas e comparadas duas técnicas tradicionais de detecção de genotoxicidade (micronúcleos e aberrações cromossômicas). Culturas primárias de linfócitos sangüíneos de voluntários de Belém foram expostas a concentrações relativamente baixas de metilmercúrio (1-500μg/l ou 0,004-2 μM). O índice mitótico (proporção de células em metáfase) originado com a técnica de detecção de aberrações cromossômicas revelou-se como o parâmetro mais sensível à genotoxicidade mercurial. Após a identificação da técnica e o parâmetro mais sensível à genotoxicidade mercurial, essa técnica foi aplicada para estudar uma população ribeirinha amazônica que funcionasse como controle para os estudos de genotoxicidade mercurial que estão sendo feitos. Foi selecionada a população de Panacauera, e a média do índice mitótico encontrado nos indivíduos dessa população foi de 0.077 ± 0.045. Os valores de índice mitótico detectados apresentaram uma variabilidade que não esteve relacionada com a idade ou o sexo. Quando esses valores foram comparados com os valores de Brasília Legal (comunidade exposta ao metilmercúrio) registrados na literatura, foi verificado que para alguns grupos o índice mitótico de Brasília Legal foi inferior ao de Panacauera, o que indicaria uma inibição da progressão do ciclo celular e/ou uma perda da capacidade proliferativa causada pela intoxicação mercurial. Estes resultados apóiam a idéia de que o índice mitótico poderia servir como parâmetro essencial para o diagnóstico precoce do dano causado pela exposição mercurial e contribuem para o escasso conhecimento epidemiológico sobre as conseqüências que está tendo a exposição crônica de mercúrio nas populações da Amazônia.
Resumen : Mercury is an important environmental pollutant for the world and, specially, for the Amazon. Presently, there are some evidences about chronic exposure to relatively low concentrations of mercury initiating genotoxic processes (DNA damage) in humans. However, to date, few epidemiological studies were carried out with Amazonian populations exposed to mercury, but no study included a population as a control to compare. The aim of this study was to identify the technique more adequate for analyzing mercury genotoxicity in Amazonian populations and to establish control values of genotoxicity in an Amazonian riverside population. To carry out in vitro tests, two traditional methods to detect genotoxicity (micronuclei and chromosomal aberrations) were applied and compared. Primary cultures of blood lymphocytes of volunteers from Belém, were exposed to relatively low concentrations of methylmercury (1-500μg/l or 0,004-2 μM). Mitotic index (proportion of cells in metaphase) originated with the method of detection of chromosomal aberrations was the parameter more sensitive to mercury genotoxicity. After identification of the method and the parameter more sensitive to mercury genotoxicity, this method was applied to study an Amazonian riverside population as a control for studies about mercury genotoxicity. Panacauera was selected as control population and mitotic index for this population was 0.077 ± 0.045. Detected values of mitotic index showed variability, not related to age or sex. When these values were compared to the values of Brasilia Legal (community exposed to methylmercury) registered in literature, mitotic index of Brasilia Legal for some groups was below mitotic index of Panacauera, pointing to an inhibition of the cell-cycle progression and/or loss of proliferative capacity due to mercury intoxication. These results support the idea that mitotic index may serve as an essential parameter for the early diagnosis of the damage provoked by mercury exposure, and they contribute to the epidemiological knowledge about the consequences of the chronic exposure with mercury in Amazonian populations.
Palabras clave : Toxicologia ambiental
Genotoxicidade mercurial
Mercúrio
Mutagênese
Micronúcleos
Aberrações cromossômicas
Igarapé-Miri - PA
Pará - Estado
CNPq: CNPQ::CIENCIAS BIOLOGICAS::GENETICA::MUTAGENESE
CNPQ::CIENCIAS BIOLOGICAS::FARMACOLOGIA::TOXICOLOGIA
CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::SAUDE COLETIVA::SAUDE PUBLICA
País: Brasil
Editorial : Universidade Federal do Pará
Sigla da Instituição: UFPA
Instituto: Núcleo de Medicina Tropical
Programa: Programa de Pós-Graduação em Doenças Tropicais
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Aparece en las colecciones: Dissertações em Doenças Tropicais (Mestrado) - PPGDT/NMT

Ficheros en este ítem:
Fichero Descripción Tamaño Formato  
Dissertacao_GenotoxicidadeMercurialContribuicao.pdf811,73 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Este ítem está sujeto a una licencia Creative Commons Licencia Creative Commons Creative Commons