Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufpa.br:8080/jspui/handle/2011/9193
Tipo: Dissertação
Data do documento: 2014
Autor(es): OLIVEIRA, Claudia Simone Baltazar de
Primeiro(a) Orientador(a): PINHEIRO, Maria da Conceição Nascimento
Título: Marcadores oxidantes e antioxidantes em populações expostas ao mercúrio em diferentes regiões geográficas do estado do Pará, Amazônia brasileira
Agência de fomento: CNPq - Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico
Citar como: OLIVEIRA, Cláudia Simone Baltazar de. Marcadores oxidantes e antioxidantes em populações expostas ao mercúrio em diferentes regiões geográficas do estado do Pará, Amazônia brasileira. 2014. 100 f. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Pará, Núcleo de Medicina Tropical, Belém, 2014. Programa de Pós-Graduação em Doenças Tropicais.
Resumo: Este trabalho teve como objetivo avaliar os níveis de Hg-T, estresse oxidativo e defesas antioxidantes em populações consumidoras de pescado de diferentes regiões geográficas do estado do Pará.As comunidades selecionadas para o estudo foram: Samaúma, Caratateua, e Barreiras todas localizadas no estado do Pará. Participaram 51 residentes de Samaúma, 96 de Caratateua e 52 de Barreiras, de ambos os sexos, entre 13 e 55 anos de idade. Foram coletadas amostras de cabelo e sangue durante as visitas as comunidades para analise de Hg-T e bioquímica oxidativa e antioxidatva em 2013. A dosagem de GSHtotal, GSSG e GSH foi realizada em campo. Para a quantificação de TEAC e MDA, as amostras foram congeladas e analisadas no laboratório de estresse oxidativo do NMT. As analises de Hg-T foram realizadas no laboratório de toxicologia humana e ambiental do NMT. O Hg-T em Samaúma foi 0.9 μg/g. Caratateua 1.9 μg/g , máximo de 20.7 μg/g. Barreiras 4.6 μg/g e máximo de 15.7 μg/g de Hg-T. Na dosagem de Hg foi observada diferença estatística altamente significativa entre as comunidades. Quanto a frequência da ingestão de peixe, os níveis de Hg-T de Caratateua e Barreiras diferiram estatisticamente quando comparada aos níveis de Samaúma nas categorias > 2 refeições. A relação entre a GSSG/GSH foi maior na comunidade de Barreiras, 10. Caratateua e Barreiras apresentaram níveis de TEAC semelhantes estatisticamente 0,6 mm/L. Na dosagem de MDA, Caratateua apresentou os maiores níveis, 3.1 ml/MDA, diferindo estatisticamente das demais comunidades. Somente a comunidade de Barreiras apresentou fraca correlação negativa entre os níveis de Hg-T e GSH. Conclui-se que a população de Samaúma e Barreiras apresentou menor e maior grau de exposição ao Hg respectivamente. No entanto, 11% comunidade de Caratateua apresentou níveis acima do preconizado pela OMS. Barreiras e Caratateua apresentaram maiores de grau de oxidação celular. Desta maneira, há necessidade de mais estudos, na comunidade de Caratateua. Além da aplicação de medidas educativas na alimentação, como: introdução de antioxidantes, a escolha das espécies de peixe e variabilidade na dieta.
Abstract: This work has objective assess the levels of Hg-T, oxidative stress and antioxidants defenses in populations consumers of fish of different ecosystems from Amazônia. The communities selected for study are: Samaúma, Caratateua, and Barreiras all located in State of Pará. Participated 51 residents from Samaúma, 96 from Caratateua and 52 from Barreiras, of both sexes, between 13 and 55 years. Were collected samples of hair and blood during the visits in the communities for analysis of Hg-T and biochemistry oxidative and antioxidative in 2013. The dosage of GSHtotal, GSSG and GSH was performed in field. For quatification of TEAC and MDA, the samples were frozen and analyzed in the laboratory of oxidative stress of NMT. The analysis of Hg-T were performed in the laboratory of human toxicology and environmental of NMT.The Hg-T in Samaúma was 0.9 μg/g. Caratateua 1.9 μg/g , maximum 20.7 μg/g. Barreiras 4.6 μg/g and maximum 15.7 μg/g of Hg-T. In the dosage of Hg was noted difference statistics very sigficant between the communities. As for frequency of consume of fish, the levels of Hg-T from Caratateua and Barreiras were different statistically when compared to levels of Samaúma in the categories > 2 meals. The relationship between GSSG/GSH was larger in the community of Barreiras, 10. Caratateua and Barreiras presented levels of TEAC similar statistically 0,6 mm/L. In the dosage of MDA, Caratateua presented the larger levels, 3.1 ml/MDA, differing statistically the others comunidades. Only Barreiras community presented weak negative correlation between the levels of Hg-T and GSH. Concluded that The population from Samaúma and Barreiras presented smaller and larger degree of exposure to Hg respectively. However, 11% community of Caratateua presented levels above of recommended by OMS. Barreiras and Caratateua presented larger of degree of cellular oxidation. Thus, there is need for more studies in the community of Caratateua. Besides the application of educational measures in food, as: introduction of antioxidants, the choice of fish species and variability in the diet.
Palavras-chave: Toxicologia
Epidemiologia
Estresse oxidativo
Mercúrio
Ribeirinhos
Pará - Estado
Amazônia brasileira
CNPq: CNPQ::CIENCIAS BIOLOGICAS::FARMACOLOGIA::TOXICOLOGIA
CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::SAUDE COLETIVA::EPIDEMIOLOGIA
CNPQ::CIENCIAS BIOLOGICAS::BIOQUIMICA
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal do Pará
Sigla da Instituição: UFPA
Instituto: Núcleo de Medicina Tropical
Programa: Programa de Pós-Graduação em Doenças Tropicais
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
Aparece nas coleções:Dissertações em Doenças Tropicais (Mestrado) - PPGDT/NMT

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertacao_MarcadoresOxidantesAntioxidantes.pdf1,28 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons