Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/9393
metadata.dc.type: Tese
Issue Date: 14-Jul-2017
metadata.dc.creator: SAMPAIO, Dioniso de Souza
metadata.dc.contributor.advisor1: BEASLEY, Colin Robert
Title: Ostreicultura no nordeste paraense: estado atual e perspectivas futuras
metadata.dc.description.sponsorship: CNPq - Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico
Citation: SAMPAIO, Dioniso de Souza. Ostreicultura no nordeste paraense: estado atual e perspectivas futuras. Orientador: Colin Robert Beasley. 2017. 126 f. Tese (Doutorado em Biologia Ambiental) – Instituto de Estudos Costeiros, Campus Universitário de Bragança, Universidade Federal do Pará, Bragança, 2017. Disponível em: http://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/9393. Acesso em:.
metadata.dc.description.resumo: No primeiro artigo (Capítulo 1), foram avaliados os aspectos relacionados à cadeia de suprimentos de ostra no estado do Pará. Entre 2013 e 2014, foram realizadas pesquisas em sete associações envolvidas na cultura da ostra através de entrevistas com o presidente de cada associação, bem como com 56 membros (72% do total). Dados secundários foram obtidos com a permissão de relatórios de gestão do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Estado do Pará. As associações Agromar, Nova Olinda e Aquavila, Lauro Sodré destacam-se do resto devido às suas maiores áreas em crescimento e produção total em 2013. No entanto, as associações menores são mais eficientes com maior produção por unidade de área. Embora as associações tenham crescido em número desde 2006, juntamente com o aumento da capacidade e produção devido à assistência do governo, em comparação com outras regiões do Brasil, elas precisam ser melhor organizadas internamente. As associações devem ser menos dependentes do financiamento público e desenvolver mais parcerias com empresas privadas. Além disso, deve haver co-participação ativa no desenvolvimento de legislação e políticas públicas que regulam a cultura de ostra e a proteção de bancos naturais de ostras. No segundo artigo (Capítulo 2), o presente estudo investigou as características físico-químicas da água em todas as unidades de cultivo de ostra no Pará. A salinidade, a temperatura (oC), o potencial de oxidação-redução (mV), o pH, o oxigênio dissolvido (mg.l-1), a profundidade (m) e a concentração de clorofila-a (mg.m3) foram medidos in situ, tanto na estação seca de 2013 como na estação chuvosa de 2014. Todas as variáveis, exceto a profundidade, foram significativamente maiores na estação seca. A salinidade média, que variou de 2,4 a 46, é a variável mais importante que explica a variação entre associações em relação à estação, data de amostragem em cada estação e estado da maré. No entanto, o oxigênio dissolvido, pH e profundidade também foram importantes. As unidades de cultivo de ostra no Pará podem ser definidas em termos de qualidade da água como adequadas para a colheita de sementes da natureza (menor salinidade e pH), ou para o crescimento de adultos (maiores valores de salinidade, pH e profundidade). No terceiro artigo (Capítulo 3), o assentamento, o tamanho da semente, o desenvolvimento larval no laboratório, o crescimento e os aspectos da comercialização de ostras cultivadas foram investigados de 2012 a 2016 em cinco unidades de cultivo no Pará, durante períodos variando de 6 a 12 meses. O comprimento da semente diferiu entre dezembro de 2014 (21 mm) e abril de 2015 (12 mm) e menor tamanho aparece associado a uma maior precipitação. O número de sementes nativas foi maior na área em crescimento, enquanto a abundância de sementes exóticas foi baixa. O desenvolvimento larval é melhor em salinidades de 16 e 21, em que o estágio pediveliger apareceu após 53 dias. O crescimento de ostra em cultivo foi variável, mas o tamanho do mercado foi atingido em pelo menos 4 meses em Agromar, Aappns e Asapaq. A mortalidade variou de 19% a 46%, comparável a outras cultivos de C. gasar. A massa de ostra varia mensalmente e entre culturas, e está relacionada à seleção de tamanho pré-venda. Em média, ostras nas classes Baby e Médio são 77% e 80% de concha. Aquavila é adequado para a colheita de sementes, enquanto Agromar tem a menor mortalidade e é adequado para o crescimento. A maioria das ostras vendidas na Agromar está dentro dos limites da classe, enquanto aquelas vendidas na Aquavila são maiores.
Abstract: In the first article (Chapter 1), aspects related to the oyster culture supply chain in the state of Pará were evaluated. Between 2013 and 2014, research was carried out in seven associations involved in oyster culture through interviews with the president of each association, as well as with 56 members (72% of the total). Secondary data were obtained with the permission of management reports from the Brazilian Micro and Small Business Support Service of the State of Pará. The associations Agromar, Nova Olinda and Aquavila, Lauro Sodré stand out from the rest due to their larger on-growing areas and total production in 2013. However, smaller associations are more efficient with higher production per unit area. Although associations have grown in numbers since 2006, along with increased capacity and output due to government assistance, compared to other regions of Brazil, they need to be better organized internally. Associations should be less reliant on public funding and develop more partnerships with private enterprise. In addition, there must be active co-participation in the development of legislation and public policies that regulate oyster culture and the protection of natural oyster beds. In the second article (Chapter 2), the present study investigated the physico-chemical characteristics of water at all oyster farming units in Pará. Salinity, temperature (oC), oxidation-reduction potential (mV), pH, dissolved oxygen (mg.l-1), depth (m) and the concentration of chlorophyll-a (mg.m3) were measured in situ in both the dry season of 2013 and the rainy season of 2014. All variables, except depth, were significantly higher in the dry season. Mean salinity, which ranged from 2.4 to 46, is the most important variable that explains the variation between associations in relation to the season, date of sampling in each season and state of the tide. However, dissolved oxygen, pH and depth were also important.Oyster culture units in Pará can be defined in terms of water quality as suitable for harvesting xxii seed from the wild (lower salinity and pH), or for on-growing of adults (higher values of salinity, pH and depth). In the third article (Chapter 3), settlement, seed size, larval development in the laboratory, growth and aspects of the commercialization of cultivated oysters were investigated from 2012 to 2016 in five culture units in pará, during periods varying from 6 to 12 months. Seed length differed between December 2014 (21 mm) and April 2015 (12 mm) and smaller size appears associated with higher precipitation. Native seed numbers were higher in the on-growing area whereas abundance of exotic seed was low. Larval development is best at salinities of 16 and 21, in which the pediveliger stage appeared after 53 days. Oyster growth in culture was variable, but market size was reached in at least 4 months at Agromar, Aappns and Asapaq. Mortality ranged from 19% to 46%, comparable to other C. gasar cultures. Oyster mass varies monthly and between crops, and is related to pre-sale size selection. On average, oysters in the Baby and Médio classes are 77% and 80% shell. Aquavila is suitable for harvesting seed, whereas Agromar has the lowest mortality and is suitable for on-growing. Most of the oysters sold at Agromar are within the class limits, whereas those sold at Aquavila are larger.
Keywords: Ostra - criação
Ostra - Pará, Nordeste
Aquicultura
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS AGRARIAS::RECURSOS PESQUEIROS E ENGENHARIA DE PESCA::AQUICULTURA::OSTREICULTURA
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal do Pará
metadata.dc.publisher.initials: UFPA
metadata.dc.publisher.department: Instituto de Estudos Costeiros
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Biologia Ambiental
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Appears in Collections:Teses em Biologia Ambiental (Doutorado) - PPBA/IECOS

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Tese_OstreiculturaNordesteParaense.pdf3,11 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons