Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/2714
Compartilhar:
Type: Tese
Issue Date: 2-Jun-2010
Authors: CARVALHO, Antonio Claudio Almeida de
metadata.dc.description.affiliation: EMBRAPA - Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária
First Advisor: COSTA, Francisco de Assis
Title: Economia dos produtos florestais não-madeireiros no estado do Amapá: sustentabilidade e desenvolvimento endógeno
Sponsor: EMBRAPA - Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária
Citation: CARVALHO, Antonio Claudio Almeida de. Economia dos produtos florestais não-madeireiros no estado do Amapá: sustentabilidade e desenvolvimento endógeno. 2010. 174 f. Tese (Doutorado) - Universidade Federal do Pará, Núcleo de Altos Estudos Amazônicos, Belém, 2010. Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Sustentável do Trópico Úmido.
Resumo: O extrativismo vegetal, baseado na exploração sustentável dos produtos florestais não madeireiros é uma das alternativas mais consistentes ecologicamente, no que tange a Conservação da biodiversidade e cobertura natural da Floresta Amazônica. Mas, há problemas sistêmicos que não têm deixado este segmento desenvolver-se de forma satisfatória. O vazamento da economia regional dos produtos extrativistas da Amazônia é uma variável que contribui para o baixo nível de desenvolvimento social e econômico da região. É imperativo que sejam realizadas análises econômicas sobre as possibilidades desse novo modelo A solução provisória para esta área foi estabelecida em 1841, com a definição do espaço entre os rios Oiapoque e Araguari como “Área do Contestado”. Ficou definido então, que a gestão da referida área seria feita de forma compartilhada entre os dois Países. A questão da disputa entre Brasil e França pelas terras do Amapá, só se resolveu definitivamente com a intermediação do presidente suíço Walter Hauser, que em 1o de dezembro de 1900, através do protocolo conhecido como “Laudo Suíço”, concedeu a referida área ao Brasil. de desenvolvimento, apoiado nas bases de um capitalismo contemporâneo, que tem procurado aprimorar os mecanismos econômicos de inclusão social de variáveis ambientais como elementos endógenos do sistema produtivo na Amazônia. O Amapá é o estado brasileiro mais preservado (97% de sua cobertura florestal original) e possui 72% do território como áreas protegidas. Este trabalho pretende identificar o nível de contribuição que os produtos não-madeireiros, extraídos nas florestas por populações tradicionais têm na economia do Amapá. Como método central de análise, foi utilizado o modelo de matriz insumo-produto desenvolvido por Wassily Leontief. Este procedimento analítico tem relevante destaque como instrumento prático de análise e planejamento econômico. Além das análises de programação do crescimento econômico setorial, é adequado para estimar, mediante os efeitos multiplicadores, os impactos do crescimento econômico na produção trabalho e renda setorial de toda a economia. O objeto central do trabalho são as análises estruturais dos arranjos produtivos locais dos produtos florestais não-madeireiros do estado do Amapá, em níveis regional e local. O método desenvolvido pelo Francisco de Assis Costa (Contas Sociais Ascendentes Alfa - CS_) foi usado na construção das matrízes, tendo como base os procedimentos analíticos ascendentes de agregação progressiva dos dados locais O setor extrativista dos produtos florestais não -madeireiros do estado do Amapá, com um PIB de R$ 204 milhões no ano de 2009 tem uma participação pequena, com somente 3,07% das riquezas produzidas no estado. Todavia, quando é observado que 86,77% do valor total do PIB (6,65 bilhões de reais) é decorrente de atividades do Setor Terciário e que todo o Setor Produtivo (Primário e Secundário), tem participação de apenas 13,24%, conclui-se que o valor da produção dos produtos florestais não-madeireiros é bem significativo no estado do Amapá.
Abstract: The extractivism of native products, based on the sustainable explotation of non-timber forest products (NTFPs), is for sure one of the most consistent ecological alternatives, with respect to the conservation of the biodiversity and natural Amazonian forest cover. There is no doubts that there are systemic problems that represent barriers for the satisfactory development of this segment. The overflow production multiplier effect of the sectors in the extractivists supply chain of the Amazon is a preponderant variable that contributes for the low level of social and economical development of this region. Therefore, is imperative the theoretical analysis about the possibilities of development based in modern bases of that new capitalism that has been trying to perfect the economical mechanisms for the global sustainability. The Amap´a is the most preserved State Brazilian (97% of original forest) and 72% of its territory are areas legally protected. This work tries to identify contribution level that non-timber forest products, extracted from forest dwellers, has in the economy of State Amapá. The central method of analysis used in this work came from the model of matrix input-output, developed by Wassily Leontief. This analytical procedure has relevant prominence as practical instrument of analysis and economical planning. Besides of the analyses of programming of the sectorial economical growth, it is adapted to estimate by the multipliers effect, the impacts of the economical growth on the production, job and sectorial income of all economy. This main object of study are the analyses of the local productive arrangements of the non-timber forest products in the State of Amap´a, at both regional and local levels. The method developed by the Francisco de Assis Costa (Alpha Social Accounts - CS_) was used for construction of the matrix input-output, with base of progressive analytical procedures and through continuous aggregation of local data. The sector of the extractivism of non-timber forest products in the state of Amapá, with a GDP (Growth Domestic Product) of R$ 204 millionin in 2009, that represent 3,07% of total of GDP of the state of Amapá that is apparently small. Therefore, thit value is extremely significant when is analyzed the total GDP of the state of Amapá (R$ 6,65 billion) and that only 13,24% refers to the Productive Sector, while 86,77% refers for the Tertiary Sector.
Keywords: Desenvolvimento sustentável
Produto florestal
Produto extrativo florestal
Desenvolvimento endógeno
Amapá - Estado
Amazônia brasileira
CNPq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::ECONOMIA::ECONOMIAS AGRARIA E DOS RECURSOS NATURAIS
Country: Brasil
Publisher: Universidade Federal do Pará
Institution Acronym: UFPA
Department: Núcleo de Altos Estudos Amazônicos
Program: Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Sustentável do Trópico Úmido
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Appears in Collections:Teses em Desenvolvimento Sustentável do Trópico Úmido (Doutorado) - PPGDSTU/NAEA

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Tese_EconomiaProdutosFlorestais.pdf2,65 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons