Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufpa.br:8080/jspui/handle/2011/3666
metadata.dc.type: Artigo de Periódico
Issue Date: Oct-2010
metadata.dc.creator: AZEVEDO, Lucyana Ramos
TORRES, Tatiane Barbosa
NORMANDO, Antonio David Corrêa
Title: Angulação dos caninos em indivíduos portadores de má oclusão de Classe I e de Classe III: análise comparativa através de um novo método utilizando imagens digitalizadas
Other Titles: Canine angulation in Class I and Class III individuals: a comparative analysis with a new method using digital images
Citation: AZEVEDO, Lucyana Ramos, TORRES, Tatiane Barbosa; NORMANDO, David. Angulação dos caninos em indivíduos portadores de má oclusão de Classe I e de Classe III: análise comparativa através de um novo método utilizando imagens digitalizadas. Dental Press Journal of Orthodontics, Maringá, v. 15, n. 5, p. 109-117, set./out. 2010. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/dpjo/v15n5/13.pdf>; <http://www.scielo.br/pdf/dpjo/v15n5/en_13.pdf>. Acesso em: 09 abr. 2013. <http://dx.doi.org/10.1590/S2176-94512010000500013>.
metadata.dc.description.resumo: OBJETIVO: determinar as angulações mesiodistais das coroas dos caninos em indivíduos portadores de má oclusão de Classe III, comparando-os a indivíduos Classe I. MÉTODOS: foram empregadas medidas tomadas em fotografias digitalizadas de modelos de gesso e transportadas para um programa gráfico para leitura das medidas (Image Tool). Tais procedimentos foram repetidos para avaliação do erro do método casual (fórmula de Dahlberg) e para a análise da reprodutibilidade através da Correlação intraclasse. A amostra constituiu-se de 57 pacientes com dentição permanente completa e não tratados ortodonticamente, dividida em dois grupos, de acordo com a má oclusão apresentada: o grupo I foi constituído por 33 pacientes portadores de má oclusão de Classe I, sendo 16 do sexo masculino e 17 do feminino, com média de idades de 27 anos; o grupo II era representado por 24 pacientes portadores de má oclusão de Classe III, 20 do sexo masculino e 4 do feminino, com média de idades de 22 anos. RESULTADOS: o erro casual mostrou-se com uma variação de 1,54 a 1,96 graus para a angulação dos caninos. A análise estatística revelou que o método apresenta uma excelente reprodutibilidade (p<0,01). Os resultados obtidos na angulação da coroa dos caninos não mostraram diferença estatisticamente significativa entre os caninos superiores nos grupos Classe I e Classe III, embora esse dente mostrasse, em média, uma angulação 2 graus maior nos indivíduos Classe III. Entretanto, para os caninos inferiores, foi observada uma diferença estatisticamente significativa em ambos os lados (p=0,0009 e p=0,0074) entre os grupos Classe I e Classe III. Os pacientes Classe III apresentaram uma menor angulação nos caninos inferiores em comparação aos pacientes Classe I, tendendo a acompanhar a compensação natural dos incisivos, descrita rotineiramente na literatura. CONCLUSÃO: os resultados permitem concluir que as compensações dentárias, frequentemente observadas na literatura para a região de incisivos, se estendem também à angulação dos caninos, principalmente no que se refere à arcada inferior.
Abstract: OBJECTIVES: This study aimed to determine the mesiodistal angulation of canine crowns in individuals with Class III malocclusion in comparison with Class I individuals. METHODS: Measurements were taken from digital photographs of plaster models and imported into an imaging program (Image Tool). These procedures were repeated to assess random method error (Dahlberg's formula), and analyze reproducibility by intraclass correlation. The sample consisted of 57 patients with complete permanent dentition, untreated orthodontically and divided into two groups according to their malocclusion: Group I consisted of 33 patients with Class I malocclusion, 16 males and 17 females, mean age 27 years; Group II comprised 24 patients with Class III malocclusion, 20 males and 4 females, mean age 22 years. RESULTS: Random error for canine angulation ranged from 1.54 to 1.96 degrees. Statistical analysis showed that the method presented an excellent reproducibility (p<0.01). Results for canine crown angulation showed no statistically significant difference between maxillary canines in the Class I and Class III groups, although canine angulation exhibited, on average, 2 degrees greater angulation in Class III individuals. Mandibular canines, however, displayed a statistically significant difference on both sides between Class I and Class III groups (p = 0.0009 and p = 0.0074). Compared with Class I patients, angulation in Class III patients was lower in mandibular canines and tended to follow the natural course of dentoalveolar compensation, routinely described in the literature. CONCLUSION: The results suggest that dental compensation often found in literature involving the incisors region, also affects canine angulation, especially in the lower arch.
Keywords: Má oclusão
Dente canino
Imagem digital
ISSN: 2176-9451
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Appears in Collections:Artigos Científicos - FOUFPA/ICS

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Artigo_AngulacaoCaninosIndividuos.pdf396,73 kBAdobe PDFView/Open
Artigo_CanineAngulationClass.pdf386,33 kBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons