Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufpa.br:8080/jspui/handle/2011/7047
metadata.dc.type: Artigo de Periódico
Issue Date: Aug-2013
metadata.dc.creator: ADRIEN DELGADO, María de Lourdes
CORREA, Gabriela Riet
OLIVEIRA JÚNIOR, Carlos Alberto de
PFISTER, James A.
COOK, Daniel
SOUZA, Elda Ely Gomes de
CORREA, Franklin Riet
SCHILD, Ana Lucia
Title: Conditioned food aversion to Ipomoea carnea var. fistulosa induced by Baccharis coridifolia in goats
Other Titles: Aversão alimentar condicionada de Ipomoea carnea var. fistulosa induzida por Baccharis coridifolia em caprinos
Citation: ADRIEN DELGADO, María de Lourdes et al. Conditioned food aversion to Ipomoea carnea var. fistulosa induced by Baccharis coridifolia in goats. Pesquisa Veterinária Brasileira, Rio de Janeiro, v. 33, n. 8, p. 999-1003, ago. 2013. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/pvb/v33n8/09.pdf>. Acesso em: 7 dez. 2015. <http://dx.doi.org/10.1590/S0100-736X2013000800009>.
metadata.dc.description.resumo: Baccharis coridifolia é uma planta tóxica que possui forte poder aversivo em ruminantes. Os objetivos deste trabalho foram induzir aversão condicionada a Ipomoea carnea avar. fistulos em caprinos utilizando B. coridifolia como agente aversivo e comparar a eficiência desta aversão com a aversão induzida por cloreto de lítio (LiCl). Treze cabras foram divididas em dois grupos: o Grupo 1 com seis cabras foi avertido com 175mg/kg de peso corporal (pc) de LiCl e o Grupo 2, com sete cabras, foi avertido com 0,25g/kg de pc de B. coridifolia seco. Todas as cabras foram avertidas no dia 1 logo após a ingestão de I.carnea. A aversão foi repetida nos dias 2, 3 e 7 nos caprinos que ingeriram qualquer quantidade de I. carnea, utilizando-se o mesmo procedimento do dia 1. Os caprinos de ambos os grupos foram desafiados nas baias nos dias 23 e 38 após o último dia da aversão e desafiados na pastagem nos dias 11, 15, 18, 20, 22, 25, 27 e 29 após o último dia da aversão. Posteriormente os caprinos foram desafiados a cada 15 dias na pastagem até o 330º dia após o último dia da aversão (7º dia). Duas cabras do Grupo 1 ingeriram I. carnea no primeiro dia do desafio na pastagem, quatro dias após o ultimo dia da aversão nas baias. Além disso, outra cabra do mesmo grupo reiniciou a ingestão da planta no 18º dia e outras duas no 20º dia. Uma cabra do Grupo 1 que nunca havia ingerido a planta após a aversão morreu no 55º dia. Uma cabra do Grupo 2 começou a ingerir I. carnea no primeiro dia de desafio na pastagem e uma segunda reiniciou o consumo da planta no 182º dia. No final do experimento no 330º as cinco cabras avertidas com B. coridifolia permaneciam sem ingerir a planta. Estes resultados sugerem que B. coridifolia ou algum princípio ativo dessa planta pode ser utilizado para induzir aversão condicionada a plantas tóxicas. A utilização de B. coridifolia como agente aversivo é aparentemente mais barato e mais fácil de ser utilizado do que o LiCl, o qual requer o uso de sonda oro-gástrica e pessoal qualificado para sua implementação.
Abstract: Baccharis coridifolia is a plant that induces strong conditioned food aversion in ruminants. This research aimed to induce a conditioned food aversion to Ipomoea carnea var. fistulosa in goats, using B. coridifolia as an aversive agent, and to compare the aversion induced by this plant with the aversion induced by lithium chloride (LiCl). Thirteen goats were allotted into two groups: Group 1 with six goats was averted with 175mg/kg of body weight of LiCl and Group 2 with seven goats was averted with 0,25g/kg of bw of dried B. coridifolia. All goats were averted on day 1 after the ingestion of I. carnea. The aversion procedure with LiCl or B. coridifolia in goats from Groups 1 and 2, respectively, was repeated in those goats that again consumed the plant during tests on days 2, 3, and 7. The goats of both groups were challenged in pens on 23 and 38 days after the last day of aversion and challenged in the pasture on days 11, 15, 18, 20, 22, 25, 27 and 29 after the last day of aversion. After this period goats were challenged every 15 days on pasture until the 330º day after the last day of aversion (7th day). Two goats from Group 1 ingested I. carnea on the first day of the pasture challenge, 4 days after the last day of aversive conditioning in the pen. In addition, another goat in Group 1 started to consume the plant on day 18, and other two goats ate it on day 20. One goat in Group 1 that had never eaten I. carnea died on day 155. One goat from Group 2 started to ingest I. carnea on the first day of the pasture challenge, and a second goat started to consume this plant on day 182. At the end of the experiment, on day 330, the other five goats averted with B. coridifolia remained averted. These results suggest that B. coridifolia or an active compound from the plant could be used to induce aversion to toxic plants. Using B. coridifolia would be cheaper and, particularly in flocks with large number of animals, possibly easier than using LiCl, which requires the use of oral gavage and qualified personnel for its implementation.
Keywords: Planta tóxica
Ruminantes
Baccharis coridifolia
Ipomoea cárnea var. fistulosa
Modalidades alimentares
Caprinos
Intoxicação por planta
Convolvulaceae
Swainsonina
ISSN: 0100-736X
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Appears in Collections:Artigos Científicos - FAMEVE/CCAST

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Artigo_ConditionedFoodAversion.pdf292,1 kBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons