Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufpa.br:8080/jspui/handle/2011/10825
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.creatorVITORINO, Inez da Costa-
dc.date.accessioned2019-03-29T18:19:18Z-
dc.date.available2019-03-29T18:19:18Z-
dc.date.issued2008-01-15-
dc.identifier.citationVITORINO, Inez da Costa. Interações e relações sociais entre pares em classes de inclusão. 2008. 116 f. Orientadora: Marilice Fernandes Garotti. Dissertação (Mestrado em Teoria e Pesquisa do Comportamento) - Núcleo de Teoria e Pesquisa do Comportamento, Universidade Federal do Pará, Belém, 2008. Disponível em: http://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/10825. Acesso em:.pt_BR
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/10825-
dc.description.abstractThis study aimed at observing interactions of children with special needs in two inclusive classrooms as well as describing the frequency and the quality of these interactions through its contents. These goals agree with Hinde´s theory to study the human development which proposes the description and classification of social interactions as the first step to the scientific study of social relationships. Observing the nature of these interactions in inclusive classrooms is a must since this proposal is new in Belém. Eight students with special needs were observed (cognitive disability, multiple disability, autism, Down syndrome and brain paralysis) in two inclusive classrooms of state public schools. Observations of three minutes were conducted to each student, through focal sampling, which led to the analysis of frequency and content of interactions. The results show these students may be facing isolation as a consequence of low frequency of interactions among them and their classmates and sometimes, interactions among focals only. This data extends to the regular students that don´t interact frequently. No student seem to have developed links since continuity in interactions was not observed in these groups. Considering the quality of interactions, they can be classified into positive or negative, according to the consequences detected in each situation. The conclusion is that the frequency of interactions in these groups is low, there´s little evidence of relationships, since there were 28 reciprocal interactions, from which 6 among students with special needs, what may indicate the exclusion in inclusive classrooms.pt_BR
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal do Parápt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.source1 CD-ROMpt_BR
dc.subjectInclusão escolar - Aspectos sociais - Belémpt_BR
dc.subjectInteração social - Belémpt_BR
dc.subjectEscolas públicas - Belémpt_BR
dc.subjectNecessidades especiaispt_BR
dc.subjectInclusãopt_BR
dc.titleInterações e relações sociais entre pares em classes de inclusãopt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.departmentNúcleo de Teoria e Pesquisa do Comportamentopt_BR
dc.publisher.initialsUFPApt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIApt_BR
dc.contributor.advisor1GAROTTI, Marilice Fernandes-
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/2218504886013525pt_BR
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/8327192617091554pt_BR
dc.description.resumoEste estudo teve como objetivo observar as interações estabelecidas por alunos com necessidades especiais em duas classes de inclusão, descrever a freqüência das interações assim como a qualidade das interações através de seu conteúdo. Esses objetivos estão de acordo com a teoria de Hinde para o estudo do desenvolvimento humano que propõe a descrição e classificação das interações sociais como o primeiro passo estudo científico das relações sociais. Sendo a inclusão uma proposta relativamente nova nas escolas em Belém, percebe-se a necessidade de observar a natureza das interações ocorridas nesse contexto. Oito alunos com necessidades especiais foram observados (déficit cognitivo, déficit múltiplo, autista, síndrome de Down e paralisia cerebral) em duas classes de inclusão que funcionam em escolas públicas estaduais. Foram realizadas observações de três minutos para cada aluno, através da técnica de sujeito focal, quando procurou-se investigar a freqüência das interações neste grupo bem como o conteúdo das mesmas. Os resultados apontam que estes alunos podem estar experimentando o isolamento entre eles, pois registrou-se pouca freqüência de interação entre eles e seus colegas e algumas vezes a interação entre focais apenas. Esse fato expande-se para os alunos regulares que não interagem com muita freqüência. Todos os alunos observados parecem não ter desenvolvido vínculos já que não observou-se constância nas interações. Quanto à qualidade das interações, nota-se que as mesmas são compostas por interações positivas e negativas, a partir das conseqüências observadas em cada situação. Conclui-se que a freqüência de interações é baixa no grupo, há poucas evidências de relações na turma, já que houve apenas 28 registros de reciprocidade nas interações e 6 destas entre alunos com necessidades especiais, o que pode indicar a exclusão dentro de salas inclusivas.pt_BR
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Teoria e Pesquisa do Comportamentopt_BR
dc.subject.linhadepesquisaANÁLISE EXPERIMENTAL DO COMPORTAMENTO: PROCESSOS PSICOLÓGICOS BÁSICOSpt_BR
dc.subject.areadeconcentracaoPSICOLOGIA EXPERIMENTALpt_BR
Appears in Collections:Dissertações em Teoria e Pesquisa do Comportamento (Mestrado) - PPGTPC/NTPC

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertacao_InteracoesRelacoesSociais.pdf1,07 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons