Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/11306
metadata.dc.type: Dissertação
Issue Date: 29-Mar-2019
metadata.dc.creator: RIBEIRO, Silvia Carolinne Pereira
metadata.dc.contributor.advisor1: PEREIRA JÚNIOR, Antônio
metadata.dc.contributor.advisor-co1: GOMES, Bruno Duarte
Title: Tendências epidemiológicas em nascimentos prematuros moderados a tardios na Região Norte do Brasil
metadata.dc.description.sponsorship: CAPES - Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior
Citation: RIBEIRO, Silvia Carolinne Pereira. Tendências epidemiológicas em nascimentos prematuros moderados a tardios na Região Norte do Brasil. Orientador: Antônio Pereira Júnior. 2019. 57 f. Dissertação (Mestrado em Neurociências e Biologia Celular) - Universidade Federal do Pará, Instituto de Ciências Biológicas, Belém, 2019. Disponível em: http://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/11306. Acesso em: .
metadata.dc.description.resumo: O nascimento prematuro caracteriza-se como aquele que ocorre antes das 37 semanas de gestação ou menos de 259 dias desde o primeiro dia da última menstruação. O Brasil está entre os 10 países com a maior taxa de nascimentos prematuros, em que aproximadamente 10% dos bebês nascem antes do tempo. A região norte do país, por sua vez, tem uma das maiores taxas de nascimentos prematuros do país. A prematuridade é um problema de saúde pública que pode acarretar problemas em todos os sistemas, bem como transtorno sensoriais e cognitivos. O objetivo deste trabalho foi analisar as tendências epidemiológicas em partos prematuros moderados a tardios na Região Norte do Brasil. Trata-se de um estudo ecológico de séries temporais de nascimentos registrados no Sistema de Informação de Nascimento Vivo (SINASC) para residentes da Região Norte do Brasil entre 2011 e 2016. Um total de 3.549.525 de nascimentos foi analisado, dos quais 433.907 (12,22%) foram prematuros, sendo utilizado o modelo de regressão polinomial para análise de tendências de nascimentos prematuros: <37 (y = -9.6 + 36.19x – 21.43x² + 6.01x³ - 0.81x4 +0.04x5); 32 a <37 (y = -9.5 + 34.18x – 20.81x² + 6.01x³ - 0.83x4 +0.04x5). A análise de tendências revelou aumento de 36,19% de nascimentos prematuros ao ano (r² = 1, p = <0,05) e a prematuridade moderada a tardia, de 32 a <37 semanas, cresceu 34,18% (r² = 1; p <0,05). Observou-se que houve crescimento da tendência da prematuridade na região norte do Brasil, principalmente da prematuridade moderada a tardia (de 32 a <37 semanas), fazendo-se necessária maior atenção para a prevenção dos mesmos, tendo em vista que a prematuridade é a maior causa de mortalidade no primeiro mês de vida e acrescentam custos consideráveis aos cofres públicos.
Abstract: Premature birth is characterized as occurring before 37 weeks of gestation or less than 259 days from the first day of last menstruation. Brazil is among the 10 countries with the highest rate of preterm birth, which approximately 10% are preterm birth. The north region of Brazil has one of the highest rates of preterm birth in the country. Prematurity is a public health problem that can lead to problems in all systems, as well as sensory and cognitive disorders. The objective of this study was to analyze the epidemiological trends in moderate to late preterm deliveries in the North Region of Brazil. This is an ecological study of the time series of births recorded in the SINASC for residents of the North Region of Brazil between 2011 and 2016. A total of 3,549,525 births were analyzed, of which 433,907 (12.22%) were preterm birth, and the polynomial regression model was used to analyze trends in preterm births: <37 (y = -9.6 + 36.19x - 21.43x² + 6.01x³ - 0.81x4 + 0.04x5); 32 to <37 (y = -9.5 + 34.18x - 20.81x² + 6.01x³ - 0.83x4 + 0.04x5). The analysis of trends revealed a 36.19% increase in preterm births per year (r² = 1, p = <0.05) and moderate to late prematurity, from 32 to <37 weeks, increased by 34.18% (r² = 1, p <0.05). It was observed that there was an increase in the tendency of prematurity in the north region of Brazil, especially moderate to late prematurity (from 32 to <37 weeks), and greater attention is needed to prevent them, since prematurity is the largest cause of mortality in the first month of life and add considerable costs to the public coffers.
Keywords: Nascimento prematuro - Epidemiologia
Neonatologia
Prematuros - Doenças
Região Norte
metadata.dc.subject.areadeconcentracao: NEUROCIÊNCIAS
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS BIOLOGICAS
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal do Pará
metadata.dc.publisher.initials: UFPA
metadata.dc.publisher.department: Instituto de Ciências Biológicas
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Neurociências e Biologia Celular
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
metadata.dc.source: 1 CD-ROM
Appears in Collections:Dissertações em Neurociências e Biologia Celular (Mestrado) - PPGNBC/ICB

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertacao_TendenciasEpidemiologicasNascimentos.pdf2,2 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons