Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufpa.br:8080/jspui/handle/2011/11316
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.creatorNASCIMENTO, Paulyane Silva do-
dc.date.accessioned2019-06-27T14:12:04Z-
dc.date.available2019-06-27T14:12:04Z-
dc.date.issued2013-03-05-
dc.identifier.citationNASCIMENTO, Paulyane Silva do. Comportamentos de crianças com transtorno do espectro autista com pares nos contextos de educação musical e recreio escolar. 2013. 113 f. Orientadora: Simone Souza da Costa e Silva. Dissertação (Mestrado em Teoria e Pesquisa do Comportamento) - Núcleo de Teoria e Pesquisa do Comportamento, Universidade Federal do Pará, Belém, 2013. Disponível em: . Acesso em:.pt_BR
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/11316-
dc.description.abstractThe present study investigated personal characteristics, environmental and behavioral factors that may enable or impede/prevent the social interaction of children with ASD with their peers. Were analyzed the benefits of music education context as a promoter of this interaction. To organize the issuance of these forms of behavior, were elaborated the "Protocol observation of behaviors of children with Autism Spectrum Disorder (ASD) with their peers". The study investigated two children, male, diagnosed with ASD, of the Garden I, of the regular schools of the city of Belém/PA. The children were six and five years old, respectively, and were matriculated in percussion’ classes in Music’s School from Belem/PA. Three sessions were analyzed at regular school environment (during recreation), lasting 20 min each; and 8 sessions in the context of music education (lessons percussion), 30 minutes each. The results showed that the behaviors among children with ASD and their peers occurred in both contexts occurred in both contexts, however reaching higher frequency in the context free (regular school / recreation). As to the benefits of music education, The participant 1 (6 years), whose profile was marked by the acceptance of physical contact, and a search for persons, obtained the increase of functional initiative's behaviors and decreased of non-functional's responses. Observed it was also the occurrence of functional initiatives through repetitive behaviors, indicating that this peculiarity could do helping the child to approach and interact with peers. Already the participating 2 (5 years), with a profile marked by touch, emotional expression appropriate to the context, and social reciprocity (though occasionally), we observed a strong influence of the adult in the child's behavior. This influence was positive (to reduce the emission of non-functional behaviors) and negative (when had the high assist disregarding the child's strengths and hindering its interaction with peers). We conclude that given the low frequency of such behaviors, we cannot say that the changes are related exclusively to this environment, but only to the contiguity of the possibilities represented by the profile of the child and openness of each context for the expression and stimulation of these capabilities, as well as for the provision of tools to permit the seizure or reinforce behaviors conducive to social interaction.pt_BR
dc.description.sponsorshipCAPES - Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superiorpt_BR
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal do Parápt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.source1 CD-ROMpt_BR
dc.subjectAutismo em criançaspt_BR
dc.subjectMúsica - instrução e estudopt_BR
dc.subjectInteração socialpt_BR
dc.subjectAutismopt_BR
dc.subjectTEA - Transtorno do Espectro Autistapt_BR
dc.subjectEducação musicalpt_BR
dc.subjectComportamentospt_BR
dc.titleComportamentos de crianças com transtorno do espectro autista com pares nos contextos de educação musical e recreio escolarpt_BR
dc.title.alternativeChildren’s behaviors with autism spectrum disorder with peers in the contexts of music education and school recesspt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.departmentNúcleo de Teoria e Pesquisa do Comportamentopt_BR
dc.publisher.initialsUFPApt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIApt_BR
dc.contributor.advisor1SILVA, Simone Souza da Costa e-
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/9044423720257634pt_BR
dc.contributor.advisor-co1FREITAS JÚNIOR, Áureo Déo de-
dc.contributor.advisor-co1Latteshttp://lattes.cnpq.br/9902320223569217pt_BR
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/9050341119755435pt_BR
dc.description.resumoO presente trabalho investigou características pessoais, ambientais e comportamentais que podem permitir ou dificultar/impedir a interação social de crianças com TEA com seus pares, assim como analisou os benefícios do contexto de educação musical como promotor desta interação. Para organizar as formas de emissão destes comportamentos elaborou-se o “Protocolo de observação de comportamentos de crianças com Transtorno do Espectro Autista (TEA) com seus pares”. Participaram deste estudo duas crianças, do sexo masculino, com TEA, que cursavam o Jardim I em escolas privadas distintas, na cidade de Belém/PA. As crianças tinham idades de seis e cinco anos, respectivamente, e estavam regularmente matriculadas em turmas de percussão de uma Escola de Música da cidade de Belém/PA. Foram analisadas 3 sessões no ambiente de escola regular (durante o recreio), com duração de 20 min. cada; e 8 sessões no contexto de educação musical (aulas de percussão), 30 minutos cada. Os resultados mostraram que os comportamentos entre as crianças ASD com seus pares ocorreram em ambos os contextos, porém atingindo maior frequência no contexto livre (escola regular/recreio). Quanto aos benefícios da educação musical, O participante 1 (6 anos), cujo perfil era marcado pela aceitação de contato físico, aproximação e a busca pelo outro, obteve o aumento de comportamentos de iniciativas funcionais e a diminuição de respostas não funcionais. Verificou-se ainda, a ocorrência de iniciativas funcionais por meio de estereotipias, indicando que esta peculiaridade do transtorno pôde auxiliar a criança na aproximação e interação com os pares. Já no participante 2 (5 anos), com perfil marcado pela disponibilidade para contato, expressão emocional adequada ao contexto, e reciprocidade social (embora ocasional), pôde-se observar a grande influência do adulto no manejo comportamental da criança. Esta influência mostrou-se positiva (ao diminuir a emissão de comportamentos não funcionais) e negativa (ao prestar assistência demasiada, desconsiderando as potencialidades da criança e dificultando sua interação com os pares). Conclui-se que dada a baixa frequência de tais comportamentos, não se pode afirmar que as alterações verificadas são relacionadas exclusivamente à configuração deste ambiente, mas tão somente à contiguidade das possibilidades representadas pelo perfil da criança e a abertura que cada contexto permitiu para a expressão e estímulo destas potencialidades, assim como para a oferta de ferramentas que possibilitaram a apreensão ou reforçar de comportamentos propícios à interação social.pt_BR
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Teoria e Pesquisa do Comportamentopt_BR
dc.subject.linhadepesquisaECOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO HUMANOpt_BR
dc.subject.areadeconcentracaoECOETOLOGIApt_BR
Appears in Collections:Dissertações em Teoria e Pesquisa do Comportamento (Mestrado) - PPGTPC/NTPC

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertacao_ComportamentosCriancasTranstorno.pdf1,07 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons