Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/11446
metadata.dc.type: Dissertação
Issue Date: 3-May-2012
metadata.dc.creator: MILHOMEM NETO, João Marinho
metadata.dc.contributor.advisor1: MACAMBIRA, Moacir José Buenano
metadata.dc.contributor.advisor-co1: NOGUEIRA, Afonso César Rodrigues
Title: Paleoambiente e quimioestratigrafia da Formação Serra do Quilombo, Neoproterozóico da Faixa Paraguai Norte, regiões de Cáceres e Nobres (MT)
metadata.dc.description.sponsorship: ANP - Agência Nacional do Petróleo
Citation: MILHOMEM NETO, João Marinho. Paleoambiente e quimioestratigrafia da Formação Serra do Quilombo, Neoproterozóico da Faixa Paraguai Norte, regiões de Cáceres e Nobres (MT). Orientador: Moacir José Buenano Macambira. 2012. 72 f. Dissertação (Mestrado em Geoquímica e Petrologia) - Instituto de Geociências, Universidade Federal do Pará, Belém, 2012. Disponível em: http://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/11446. Acesso em:.
metadata.dc.description.resumo: Após a última glaciação criogeniana (ca. 635 Ma), extensas plataformas carbonáticas desenvolveram-se sobre diversas regiões cratônicas da Terra. Apesar da intensa dolomitização de parte desses depósitos, muitos dos processos sedimentares e paleoceanográficos podem ainda ser resgatados, contribuindo no entendimento do paleoambiente e da composição isotópica da água do mar durante o Neoproterozóico. Um dos exemplos mais importantes deste período no Brasil é a Formação Serra do Quilombo, pertencente à porção superior do Grupo Araras, no segmento norte da Faixa Paraguai, sul do Cráton Amazônico. Esta unidade tem sido interpretada, em sua seção-tipo na região de Cáceres, estado do Mato Grosso, como representante de depósitos de plataforma moderadamente rasa a profunda influenciada por sismos e tempestades. A análise de fácies e estratigráfica, em combinação com dados de isótopos de C, O e Sr nas regiões de Cáceres (seção-tipo) e Nobres, permitiu reavaliar e ampliar estas interpretações paleoambientais e paleoceanográficas, visando à construção de um arcabouço quimioestratigráfico para a unidade. A sucessão estudada possui aproximadamente 140 m de espessura e inclui a Formação Serra do Quilombo e seus contatos com unidades adjacentes, a Formação Guia na base e Formação Nobres, no topo. Nessa sucessão foram descritas 5 fácies deposicionais que correspondem a dolomito fino laminado rico em matéria orgânica (Dl), dolomito fino maciço a laminado (Dml), dolomito arenoso com estratificação cruzada hummocky/swaley associada com estratificação plano-paralela (DAh), dolomito arenoso/oolítico com laminações produzidas por ondas (DAl) e brecha dolomítica com matriz (BDm). As fácies sedimentares foram agrupadas em duas associações de fácies (AF) que indicam ambientes de plataforma carbonática moderadamente profunda (AF1: Dm e Dl) e face litorânea influenciada por tempestades (AF2: DAh, DAl e BDm). A Formação Serra do Quilombo compõe uma sucessão de raseamento ascendente (shallowing upward), que representa o registro progradante de um trato de sistema de mar alto, em um contexto de rampa carbonática homoclinal instalada no sul do Cráton Amazônico durante o Ediacarano. As análises de C e O foram realizadas em 141 amostras (dentre calcários e dolomitos finos, dolomitos arenosos/oolíticos, além de clastos, cimento e matriz de brechas dolomíticas), das quais, 6 foram também selecionadas para análises de Sr. Estudos de elementos maiores (Ca, Mg e Fe) e traços (Rb, Sr e Mn), realizados em 20 amostras, auxiliaram na seleção daquelas para análise isotópica de Sr e na avaliação da natureza primária do sinal isotópico dos carbonatos estudados. Os valores de δ13C, interpretados como representativos da água do mar original, apresentam uma tendência que varia desde negativa, em torno de -2‰, na base da sucessão (Formação Guia), até composições enriquecidas de δ13C em direção ao topo da sucessão estudada, atingindo valores acima de 0‰. A seção-tipo da Formação Serra do Quilombo apresenta uma curva homogênea de isótopos de C, com valores de δ13C em torno de 0‰, o que permite sua perfeita correlação com outras sucessões como, por exemplo, sua seção de referencia em Nobres, distante cerca de 200 km. As razões 87Sr/86Sr seguem a tendência geral dos isótopos de C, com valores crescentes em direção ao topo da sucessão, variando de 0,7077 até 0,7083, diretamente relacionados com o raseamento dos ambientes e o consequente influxo de grãos siliciclásticos registrado na porção superior da unidade (AF2). Os dados de δ13C e δ18O obtidos para as brechas dolomíticas com matriz (BDm) indicam, em geral, uma similaridade entre o sinal isotópico, tanto da matriz quanto dos clastos, sugerindo sua natureza primária e sindeposicional. Por outro lado, para as brechas dolomíticas cimentadas, os valores obtidos para os cimentos de dolomita espática indicam menores valores de δ13C e, notadamente, de δ18O em relação aos clastos, sugerindo que sua origem é secundária, provavelmente resultante da interação com águas meteóricas ou fluidos hidrotermais durante o processo de formação das brechas. A implantação de uma plataforma carbonática moderadamente profunda a rasa com padrões isotópicos de C tendendo a valores positivos, distiguem-se dos depósitos pós-glaciais da base do Grupo Araras, com valores de C fortemente negativos, e podem representar o restabelecimento das condições normais de sedimentação. Da mesma forma, a tendência crescente da razão isotópica de Sr indica o aumento do influxo continental num cenário já completamente desprovido da influência glacial (Snowball/slushball Earth hypothesis). Os valores de Sr apontam idade ediacarana, entre 560 e 580 Ma, para a deposição da Formação Serra do Quilombo.
Abstract: After the last criogenian glaciation (ca. 635 Ma), large carbonate platforms were developed in several cratonic regions of the Earth and, despite of the intense dolomitization of these deposits, many of paleoceanography and sedimentary processes can still be rescued, contributing to the understanding of the paleoenvironment and the isotopic geochemistry of the Neoproterozoic seawater. One of the most important testimonies of this period in Brazil is the Serra do Quilombo Formation, upper portion of the Araras Group, exposed in the northern Paraguay Belt, southern of the Amazonian Craton. This unit has been interpreted in its type section in the Caceres region, Mato Grosso, as deposits of shallow to moderately deep platform influenced by storms and earthquakes. The stratrigraphic and facies revaluation in combination with C, O and Sr isotopes data in the Caceres (type-section) and Nobres regions, allowed enlarging the paleoceanography and paleoenvironmental interpretations, aiming at building a chemostratigraphic framework for the unit. The 140 m thick of the study succession includes the Serra do Quilombo Formation in sharp basal contact with the Guia Formation and the gradual contact, to the top, with the Nobres Formation. In this succession were described five depositional facies that correspond the organic matter rich laminated dolostone (Dl), massive to laminated dolostone (Dml), hummocky/swaley to planar stratified sandy dolostone (DAh), sandy/oolitic dolostone with wave cross laminations (DAl) and matrix-supported dolomitic breccia (BDm). The sedimentary facies were grouped into two facies associations (FA) that indicate environments of deep to moderately shallow carbonate platform (FA1: Dl and Dml) and storm influenced shoreface (FA2: DAh, DAl and BDm). The Serra do Quilombo Formation comprises a shallowing upward succession, which represents the progradational record of a highstand system tract, in a homoclinal carbonate ramp, installed on the southern part of the Amazonian Craton during the Ediacaran. C and O isotopic analyses were performed in 141 samples (among laminated limestones and dolostones, sandy/oolitic dolostones and clasts, cement and matrix of dolomitic breccias), of which 6 were also selected for the Sr analysis. Major (Ca, Mg and Fe) and trace (Rb, Sr and Mn) elements contents, performed on 20 samples, assisted in the selection of those for Sr isotopic analysis and evaluation of the primary nature of the isotopic signal of study carbonates. The δ13C values, interpreted as representing the original sea water, showed a trend ranging from negative, around -2 ‰ at the base of the succession (Guia Formation) to above 0‰ at the top of the succession. The type-section of the Serra do Quilombo Formation presents a homogeneous C-isotope curve, with δ13C values around 0 ‰, which allows its perfect correlation with other sequences, for example, its section reference in Nobres, far about 200 km. The 87Sr/86Sr follow the general C-isotopes trend, increasing towards the top of the succession, ranging from 0.7077 to 0.7083, directly related to the environmental shallowing and the consequent influx of siliciclastic grains recorded in the top portion of the unit (AF2). The δ13C and δ18O data obtained for the dolomitic matrix-supported breccias (BDm) indicate, in general, a similarity between the isotopic signal of both matrix and clasts, suggesting a sindeposicional and primary process. On the other hand, for the dolomitic cemented breccia, the values obtained for the sparry dolomite cements indicate lower values of δ13C and, notably, of δ18O in relation to the clasts, suggesting that its origin is secondary, probably resulting from the interaction with meteoric water or hydrothermal fluids during the breccias formation. The establishment of a moderately deep to shallow carbonate platform environment with C isotopic patterns, tending to positive values, is clearly distinct of the postglacial deposits of the base of the Araras Group, with strongly negative values of C, and may represent the restoration of normal sedimentation conditions. Likewise, the growing trend of Sr isotopic ratio indicates the increasing in the influx continental in a scenario completely devoid of glacial influence (Snowball/slushball Earth hypothesis). Sr values indicate ediacaran age, between 560 and 580 Ma for the Serra do Quilombo Formation deposition.
Keywords: Geologia Isotópica
Paleoambiente
Ediacarano
Formação Serra do Quilombo
Grupo Araras
Faixa Paraguai Norte (MT)
metadata.dc.subject.areadeconcentracao: GEOQUÍMICA E PETROLOGIA
metadata.dc.subject.linhadepesquisa: GEOCRONOLOGIA E GEOQUÍMICA ISOTÓPICA
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::GEOCIENCIAS::GEOLOGIA::GEOQUIMICA
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal do Pará
metadata.dc.publisher.initials: UFPA
metadata.dc.publisher.department: Instituto de Geociências
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Geologia e Geoquímica
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
metadata.dc.source: 1 CD-ROM
Appears in Collections:Dissertações em Geologia e Geoquímica (Mestrado) - PPGG/IG

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertacao_PaleoambienteQuimioestratigrafiaFormacao.pdf3,91 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons