Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufpa.br:8080/jspui/handle/2011/11823
Tipo: Dissertação
Data do documento: 31-Ago-2000
Autor(es): FERREIRA, Iêda de Oliveira
Primeiro(a) Orientador(a): KOTSCHOUBEY, Basile
Título: Geologia e gênese do veio de cristal de rocha do Garimpo da Lagoa, Xambioá – TO.
Agência de fomento: CAPES - Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior
Citar como: FERREIRA, Iêda de Oliveira. Geologia e gênese do veio de cristal de rocha do Garimpo da Lagoa, Xambioá – TO. Orientador: Basile Kotschoubey.2000. 86 f. Dissertação (Mestrado em Geologia e Geoquímica) – Centro de Geociências, Universidade Federal do Pará, Belém, 2000. Disponível em: http://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/11823. Acesso em:.
Resumo: As ocorrências de cristal de rocha da região de Xambioá, localizada na porção setentrional do Cinturão Araguaia, estão associadas principalmente a quartzitos da base da Formação Morro do Campo e a micaxistos da Formação Xambioá, ambas do Grupo Estrondo, do Proterozóico Superior. O cristal de rocha ocorre sobretudo na forma de bolsões irregulares e distribuídos aleatoriamente dentro de veios de quartzo leitoso a translúcido acinzentado. O veio a cristal de rocha do Garimpo da Lagoa ocorre encaixado em biotita — xistos da Formação Xambioá, apresenta direção geral submeridiana com espessura de até 5 m. O estudo petrográfico e microtermométrico deste veio revelou a presença de dois tipos de fluidos: 1) fluido aquo — carbônico supersaturado em inclusões pseudo — secundárias, contendo até 4 fases sólidas e 2) fluido aquoso de salinidade muito baixa a elevada. em inclusões secundárias, As IF aquo — carbônicas contêm CO, quase puro, com traços de N; fato provavelmente decorrente da presença na região de rochas carbonáticas e de xistos grafitosos,. A grande maioria das IF sofreu crepitação antes de atingir a Th. Mesmo assim, a temperatura mínima de aprisionamento nas IF foi estimada em 550 a 600º C. Estes fluidos seriam basicamente de origem metamórfica profunda mostrando, no entanto, uma forte contribuição de solução de origem magmática. Os fluidos aquosos foram encontrados em IF trifásicas (supersaturadas), bifásicas e monofásicas. As soluções contidas nas IF trifásicas revelaram uma salinidade de 30 a 40 % em peso de NaCl e uma temperatura mínima de aprisionamento entre + 182 e + 321º C. Teriam sido injetadas após os fluidos aquo - carbônicos e seriam de origem essencialmente magmática. Referente aos fluidos contidos nas IF aquosas bifásicas, estes foram divididos em soluções de salinidade baixa (1,23 a 11,81% em peso de NaCl) e temperatura mínima de aprisionamento entre + 123,8 e + 150,9, e soluções de salinidade elevada, elas mesmas sub-divididas em duas categorias (a) e (b) principalmente com base em sua morfologia. O tipo (a) revelou uma salinidade de cerca de 23% em peso de NaCl e temperatura mínima de aprisionamento entre +130 e 210ºC com maior fregiiência em + 160%, enquanto que o tipo (b) indicou uma salinidade de 20 a 25% em peso de NaCl e uma temperatura mínima de aprisionamento entre + 65 e + 114,5º C, com maior fregiência em + TOC. Os fluidos contidos nas IF monofásicas apresentaram uma salinidade de 1.91% a 18.22% em peso de NaCl. As soluções retidas nas IF bifásicas e monofásicas representariam injeções tardias de fluídos hidrotermais de origem magmática em processo de resfriamento, mostrando modificações composicionais de acordo com a importância da contribuição de águas mais superficiais (meteóricas, conatas, etc.) Durante a fase final da evolução do Cinturão Araguaia, em regime predominantemente distensivo, foram, de início, injetados fluidos aquo — carbônicas formando-se, nesta primeira etapa, um veio de quartzo hialino, pobre em TF. Posteriormente, na ocasião de múltiplas fases de fraturamento e fissuramento do veio, foram injetados soluções aquosas mostrando uma diminuição da temperatura e, de modo menos sistemático e menos acentuado, da salinidade. Essas diversas injeções tardias contribuíram de maneira variável à transformação do quartzo hialino original em quartzo translúcido ou leitoso. Apenas bolsões poupados por estas manifestações hidrotermais tardias permaneceram na forma de cristal de rocha. O cristal de rocha, principalmente na forma de lascas de terceira, é aproveitado como matéria prima para a fabricação do cristal sintético. Cristal em “ponta” e na forma de lascas de primeira é aproveitado no artesanato mineral para fabricação de peças de adorno, bolas, chaveiros e pedras lapidadas. O cristal de rocha é exportado principalmente para Belo Horizonte, Sete Lagoas, Governador Valadares, onde são compradas pedras já lapidadas, bem como para São Paulo e Rio de Janeiro, onde são comercializados cristais no seu estado bruto.
Abstract: The crystal rock occurrences from Xambioá region, situated in the northem part of the Araguaia Belt, are associated with quartzites of the base of the Morro do Campo Formation and schists of the Xambioá Formation, both of the Upper Proterozoic Estrondo Group. The crystal rock occurs mainly as irregular pockets within milky to grayish translucent quartz veins. The “Garimpo da Lagoa” crystal rock vein is hosted by biotite - schists of the Xambioá Formation, displays a general sub-meridian direction and is up to 5 m thick. Petrography and microthermometry of vein samples revealed the presence of two distinct fluids types: 1) oversaturated aqua - carbonic fluids in pseudo - secondary inclusions, containing up to 4 solid phases and 2) aqueous fluids of low to high salinity in secondary inclusions. The aqua — carbonic fluid inclusions contain almost pure CO», with traces of N; due probably due to the presence of carbonatic rocks and graphite in the area. Most fluid inclusions underwent crepitation before they reached Th. Even so, the minimum trapping temperature for these fluids was estimated in 550 to 600º C. It is believed that fluids are basically of deep metamorphic origin, though they also show significant contribution of magma derived solutions. The aqueous fluids were found in three-phase oversaturated, two-phase and monophase inclusions. The solutions contained in the three-phase inclusions revealed a salinity from 30 to 40% in weight of NaCl and a minimum trapping temperature between + 182 and + 321ºC. K is believed that these fluids were injected after the aqua — carbonic ones and were essentially of magmatic origin. Concemning the fluids contained in the two-phase inclusions, were distinguished solutions of low salinity (1,23 to 11,81% in weight of NaCl) and a minimum trapping temperature from + 123,8 to + 150,9ºC, and solutions of high salinity, sub-divided in two categories (a) and (b), mainly based on their morphology. The (a) type revealed a salinity of about 23% in weight of NaCl and a minimum trapping temperature between +130 and 210%, more frequently at + 160ºC, while the (b) type indicated a salinity ffom 20 to 25% in weight of NaCl and a minimum trapping temperature from + 65 to + 114,Sth C, more frequently at + 70ºC. The fluids contained in the monophase inclusions displayed a salinity of 1.91% to 18.22% in weight of NaCl. The solutions trapped in two-phase and monophase inclusions would represent late injections of hydrothermal fluids of magmatic origin, which underwent progressive cooling and composition modifications in agreement with the importance of the contribution of more superficial (meteoric, conate, etc.) waters. During the final phase of the Araguaia Belt evolution, in predominantly distensive conditions, at first aqua — carbonic fluids were injected, that resulted, in formation of a hyaline quartz vein, poor in fluid inclusions. Later on, the vein suffered multiple fracturing phases and aqueous solutions were injected showing a progressive lowering of the temperature and, in a less systematic and less regular way, of the salinity. These late injections were responsible in variable degree for the transformation of the original hyaline quartz into translucent or milky quartz. Pockets which were not affected by these late hydrothermal displays remained as crystal rock. Crystal rock, mainly as third quality chips is used as raw material for production of synthetic crystal. Prismatic, well developped quartz crystals and first quality chips are used in mineral craft for production of adornment pieces, balls, key rings and cut stones. Crystal rock is mainly exported to Belo Horizonte, Sete Lagoas, Governador Valadares, where already cut stones are commercialized , and to São Paulo and Rio de Janeiro, where raw crystals are mainly appreciated.
Palavras-chave: Geologia
Xambioá - TO
Rochas
Área de Concentração: GEOQUÍMICA E PETROLOGIA
CNPq: CNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::GEOCIENCIAS
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal do Pará
Sigla da Instituição: UFPA
Instituto: Instituto de Geociências
Programa: Programa de Pós-Graduação em Geologia e Geoquímica
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
Fonte: 1 CD-ROM
Aparece nas coleções:Dissertações em Geologia e Geoquímica (Mestrado) - PPGG/IG

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertacao_GeologiaGeneseVeio.pdf36,39 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons