Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufpa.br:8080/jspui/handle/2011/11825
metadata.dc.type: Dissertação
Issue Date: 19-Aug-2010
metadata.dc.creator: ALVES , Igor Charles Castor
metadata.dc.contributor.advisor1: EL-ROBRINI, Maâmar
Title: Hidrologia e biomassa fitoplanctônica do sistema flúvio-estuarino do rio Arari (Ilha de Marajó-PA).
metadata.dc.description.sponsorship: CAPES - Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior
Citation: ALVES, Igor Charles Castor. Hidrologia e biomassa fitoplanctônica do sistema flúvio-estuarino do rio Arari (Ilha de Marajó-PA). Orientador: Maâmar El-Robrini. 2010. 86 f. Dissertação (Mestrado em Geologia e Geoquímica) – Instituto de Geociências, Universidade Federal do Pará, Belém, 2010. Disponível em: http://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/11825. Acesso em:.
metadata.dc.description.resumo: Este trabalho objetiva a avaliação do comportamento hidroquímico do sistema flúvioestuarino (parte superior) do rio Arari (Ilha de Marajó-PA). Foram avaliados os seguintes parâmetros físicos e químicos: temperatura, Material Particulado em Suspensão (MPS), Sólidos Totais (ST), Sólidos Totais Orgânicos (ST Orgânicos), Sólidos Totais minerais (ST Minerais) condutividade elétrica, profundidade do disco de Secchi, variação da maré, pH, oxigênio dissolvido, nitrato, nitrito, N-amoniacal, fosfato (PID), silicato e Biológico: Clorofila-a. Coletas simultâneas de águas superficiais foram realizadas em dois períodos distintos: chuvoso e menos chuvoso de 2009 de hora em hora durante 12 horas, sempre em condições de marés de sizígia em três estações fixas assim distribuídas: Uma na foz do rio Arari (trapiche da Vila de Santana do Arari) outra estação localizada no trapiche da cidade de Cachoeira do Arari e uma no trapiche da Fazenda Murutucú a meio caminho entre a foz e a cidade de Cachoeira do Arari. Os parâmetros obtidos foram analisados por métodos de estatística descritiva e multivariada, Análise de Componentes Principais (ACP) e Cluster. Através das análises estatísticas, foram observadas diferenças significativas entre os períodos estudados, o que demonstra uma grande influência dos diversos fatores ambientais como descarga fluvial, turbulência, precipitação e marés na dinâmica dos processos que ocorrem no rio Arari. A ilha do Marajó apresenta topografia suave, com altitudes que não atingem 20 metros. O Planalto do Baixo Amazonas é constituído por sedimentos terciários da formação Barreiras/Pós-Barreiras. No município de Cachoeira do Arari predominam os tipos de vegetação: Floresta Densa de Terra Firme, Campos Cerrados, Campos Altos e Campos Baixos. O clima da margem leste da Ilha de Marajó é classificado como clima do tipo “A” definido como clima tropical chuvoso. Na bacia hidrográfica do rio Arari a média pluviométrica anual é em torno de 2500 mm. Esta bacia posiciona-se na região de campos e totaliza 864 km2. A temperatura das águas do rio Arari foi característica de um ambiente tipicamente tropical e variou de 28,59°C no período chuvoso a 29,88°C no menos chuvoso. Os valores de condutividade elétrica, máximo de 233 μS.cm-1, revelam que este rio não recebe influência salina, o que caracteriza o rio Arari como um sistema predominantemente de água doce durante ambos os períodos. Durante o período chuvoso o rio Arari recebe contribuições de material alóctone, principalmente na forma orgânica, resultante da decomposição da vegetação das áreas alagadas, essa distribuição foi confirmada pelos valores da fração orgânica dos sólidos totais que representaram 61% dos sólidos totais, os outros 39% representam a fração mineral. A profundidade do disco de Secchi foi em média 28 cm no período chuvoso e 15 cm no menos chuvoso. Os menores valores de OD (mediana de 3,64 mg.L-1) ocorreram no período chuvoso e no menos chuvoso foi de 4,25 mg.L-1). As formas mais reduzidas de nitrogênio (nitrito e N-amoniacal) predominam durante o período chuvoso (mediana de 0,32 μmolol-1 e 18,1 μmol.L-1), por outro lado, quando as concentrações de OD aumentam no período menos chuvoso a nitrificação é favorecida, e a concentração de nitrato aumenta (mediana de 24,98 μmol.L-1). Concentrações elevadas de N-amoniacal no rio Arari ocorreram em ambos os períodos, com o máximo 41,67 μmol.L-1 12 vezes maior que o mínimo 3,33 μmol.L-1 registrado no período menos chuvoso. Os valores de fosfato neste trabalho foram inferiores a 2 μmol.L-1 durante o ano, com mediana de (0,32 μmol.L-1) no período chuvoso e de (0,46 μmol.L-1) no menos chuvoso. O silicato apresentou comportamento semelhante ao do fosfato, os valores foram maiores no período menos chuvoso, com mediana de 33,7 μmol.L-1 no período chuvoso e 75,88 μmol. L-1 no menos chuvoso. Observou-se uma variação sazonal da clorofila a no rio Arari, as condições mais favoráveis para atividade fotossintética ocorreram no período chuvoso (mediana de 17,4 mg.m-3), quando foi registrada a maior profundidade de penetração do disco de Secchi (máximo de 55 cm), por outro lado durante o período menos chuvoso esse valor diminui consideravelmente (máximo de 15cm) e apesar do incremento nas concentrações de nutrientes a clorofila a diminui, isso revela que a disponibilidade de luz é o principal fator limitante da produtividade primária no rio Arari. A ACP e os gráficos de Box mostraram que para a maioria dos parâmetros estudados, no período chuvoso a grande descarga de água do rio Arari promove a mistura das águas a longo do rio, dessa maneira é pouco intensa a diferença entre as águas, por exemplo, da foz (estação Santana) com Cachoeira do Arari. Por outro lado durante o período menos chuvoso ocorre uma divisão do rio de acordo com as três estações estudadas, as águas apresentam características distintas, com valores característicos para cada região do rio, além de padrões de distribuição espacial, com gradientes crescentes ou decrescentes de acordo com o parâmetro em questão.
Abstract: Este trabalho objetiva a avaliação do comportamento hidroquímico do sistema flúvioestuarino (parte superior) do rio Arari (Ilha de Marajó-PA). Foram avaliados os seguintes parâmetros físicos e químicos: temperatura, Material Particulado em Suspensão (MPS), Sólidos Totais (ST), Sólidos Totais Orgânicos (ST Orgânicos), Sólidos Totais minerais (ST Minerais) condutividade elétrica, profundidade do disco de Secchi, variação da maré, pH, oxigênio dissolvido, nitrato, nitrito, N-amoniacal, fosfato (PID), silicato e Biológico: Clorofila-a. Coletas simultâneas de águas superficiais foram realizadas em dois períodos distintos: chuvoso e menos chuvoso de 2009 de hora em hora durante 12 horas, sempre em condições de marés de sizígia em três estações fixas assim distribuídas: Uma na foz do rio Arari (trapiche da Vila de Santana do Arari) outra estação localizada no trapiche da cidade de Cachoeira do Arari e uma no trapiche da Fazenda Murutucú a meio caminho entre a foz e a cidade de Cachoeira do Arari. Os parâmetros obtidos foram analisados por métodos de estatística descritiva e multivariada, Análise de Componentes Principais (ACP) e Cluster. Através das análises estatísticas, foram observadas diferenças significativas entre os períodos estudados, o que demonstra uma grande influência dos diversos fatores ambientais como descarga fluvial, turbulência, precipitação e marés na dinâmica dos processos que ocorrem no rio Arari. A ilha do Marajó apresenta topografia suave, com altitudes que não atingem 20 metros. O Planalto do Baixo Amazonas é constituído por sedimentos terciários da formação Barreiras/Pós-Barreiras. No município de Cachoeira do Arari predominam os tipos de vegetação: Floresta Densa de Terra Firme, Campos Cerrados, Campos Altos e Campos Baixos. O clima da margem leste da Ilha de Marajó é classificado como clima do tipo “A” definido como clima tropical chuvoso. Na bacia hidrográfica do rio Arari a média pluviométrica anual é em torno de 2500 mm. Esta bacia posiciona-se na região de campos e totaliza 864 km2. A temperatura das águas do rio Arari foi característica de um ambiente tipicamente tropical e variou de 28,59°C no período chuvoso a 29,88°C no menos chuvoso. Os valores de condutividade elétrica, máximo de 233 μS.cm-1, revelam que este rio não recebe influência salina, o que caracteriza o rio Arari como um sistema predominantemente de água doce durante ambos os períodos. Durante o período chuvoso o rio Arari recebe contribuições de material alóctone, principalmente na forma orgânica, resultante da decomposição da vegetação das áreas alagadas, essa distribuição foi confirmada pelos valores da fração orgânica dos sólidos totais que representaram 61% dos sólidos totais, os outros 39% representam a fração mineral. A profundidade do disco de Secchi foi em média 28 cm no período chuvoso e 15 cm no menos chuvoso. Os menores valores de OD (mediana de 3,64 mg.L-1) ocorreram no período chuvoso e no menos chuvoso foi de 4,25 mg.L-1). As formas mais reduzidas de nitrogênio (nitrito e N-amoniacal) predominam durante o período chuvoso (mediana de 0,32 μmolol-1 e 18,1 μmol.L-1), por outro lado, quando as concentrações de OD aumentam no período menos chuvoso a nitrificação é favorecida, e a concentração de nitrato aumenta (mediana de 24,98 μmol.L-1). Concentrações elevadas de N-amoniacal no rio Arari ocorreram em ambos os períodos, com o máximo 41,67 μmol.L-1 12 vezes maior que o mínimo 3,33 μmol.L-1 registrado no período menos chuvoso. Os valores de fosfato neste trabalho foram inferiores a 2 μmol.L-1 durante o ano, com mediana de (0,32 μmol.L-1) no período chuvoso e de (0,46 μmol.L-1) no menos chuvoso. O silicato apresentou comportamento semelhante ao do fosfato, os valores foram maiores no período menos chuvoso, com mediana de 33,7 μmol.L-1 no período chuvoso e 75,88 μmol. L-1 no menos chuvoso. Observou-se uma variação sazonal da clorofila a no rio Arari, as condições mais favoráveis para atividade fotossintética ocorreram no período chuvoso (mediana de 17,4 mg.m-3), quando foi registrada a maior profundidade de penetração do disco de Secchi (máximo de 55 cm), por outro lado durante o período menos chuvoso esse valor diminui consideravelmente (máximo de 15cm) e apesar do incremento nas concentrações de nutrientes a clorofila a diminui, isso revela que a disponibilidade de luz é o principal fator limitante da produtividade primária no rio Arari. A ACP e os gráficos de Box mostraram que para a maioria dos parâmetros estudados, no período chuvoso a grande descarga de água do rio Arari promove a mistura das águas a longo do rio, dessa maneira é pouco intensa a diferença entre as águas, por exemplo, da foz (estação Santana) com Cachoeira do Arari. Por outro lado durante o período menos chuvoso ocorre uma divisão do rio de acordo com as três estações estudadas, as águas apresentam características distintas, com valores característicos para cada região do rio, além de padrões de distribuição espacial, com gradientes crescentes ou decrescentes de acordo com o parâmetro em questão.
Keywords: Ilha de Marajó - PA
Biomassa
Variação sazonal
Meso maré
metadata.dc.subject.areadeconcentracao: GEOLOGIA
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::GEOCIENCIAS
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal do Pará
metadata.dc.publisher.initials: UFPA
metadata.dc.publisher.department: Instituto de Geociências
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Geologia e Geoquímica
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
metadata.dc.source: 1 CD-ROM
Appears in Collections:Dissertações em Geologia e Geoquímica (Mestrado) - PPGG/IG

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertacao_HidrologiaBiomassaFitoplanctonica.pdf4,24 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons