Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/11871
metadata.dc.type: Dissertação
Issue Date: 10-Sep-2019
metadata.dc.creator: CAMORIM, Germana de Alencar
metadata.dc.contributor.advisor1: ALMEIDA, Ivone Maria Xavier de Amorim
Title: Travessia poética: memórias das paisagens amazônicas como potência no processo autoetnográfico de criação/reflexão artística
Other Titles: Poetic crossing: memories of amazonian landscapes as power in the autoethnographic process of artistic creation
Citation: CAMORIM, Germana de Alencar. Travessia Poética: memórias das paisagens amazônicas como potência no processo autoetnográfico de criação/reflexão artística. Orientadora:. Ivone Maria Xavier de Amorim Almeida. 2019. 75 f. Dissertação (Mestrado em Artes) - Programa de Pós-Graduação em Artes, Instituto de Ciências da Arte, Universidade Federal do Pará, Belém, 2019. Disponível em: http://repositorio.ufpa.br:8080/jspui/handle/2011/11871. Acesso em:.
metadata.dc.description.resumo: Esta dissertação busca compreender o meu processo criativo, por meio da minha percepção como participante desta cultura, utilizo as paisagens amazônicas, humanas e emocionais como esquema motor da pesquisa, além da análise de seus esquemas simbólicos como o barco, o rio/água e a floresta e da influência da cultura popular na produção artística em sua relação com a matéria miriti e em trocas simbólicas por intermédio de narrativas autoetnográficas e estas como instrumentos culturais. Por fim, exponho o processo produtivo em etapas. Travessia Etnopoética tem como base a compreensão dos processos particulares desta cultura, e tem como método de reflexão a autoetnografia, que busca compreender o meu percurso, por meio das minhas experiências com o meio em que vivo, ou melhor, busco compreender como as paisagens amazônicas, humanas e emocionais norteiam o meu processo criativo, que se desenvolve por meio da utilização de algumas técnicas artísticas como a fotografia e a serigrafia, tendo o miriti como matéria e/ou suporte que identifica o meu espaço territorial, assim como a paisagem como referência identitária e de consciência socioespacial de pertencimento. Em uma composição íntima, como uma estrutura de um ser, onde as imagens trabalhadas (fotografias) seriam uma espécie de fisionomia, em paralelo com o humano – pele, aquilo que dá rosto, que vai sobre o corpo (miriti), ou em uma relação dualística de geografias, paisagem humana dentro da paisagem geográfica, uma geografia íntima que carrega a subjetividade de uma relação mnemônica que constitui e me construiu como artista, como um fôlego que dá vida a esses seres, a essas geografias que despertam a minha memória afetiva como artista-pesquisadora e resultam na produção artística de objetos autorais desenvolvidos em diversas linguagens e técnicas, tendo como suporte o miriti. A condução da pesquisa tem sido guiada a partir de aportes teóricos estabelecidos e norteada pela metodologia autoetnográfica. O arcabouço teórico utilizado encontra amparo em Bastos et al. (2016), Pizarro (2012), Loureiro (2000) e Benjamin (2012).
Abstract: This dissertation seeks to understand my creative process, through my perception as a participant of this culture, I use the amazonian, human and emotional landscapes as the motor scheme of the research, besides the analysis of its symbolic schemes such as the boat, the river / water and the forest and the influence of popular culture on artistic production in its relation to miriti matter and in symbolic exchanges through autoethnographic narratives and these as cultural instruments. Finally, I expose the production process in stages. 'Ethnopoetic Crossing' is based on the understanding of the particular processes of this culture, and its reflection method is autoethnography, which seeks to understand my path, through my experiences with the environment I live, or rather, I seek to understand how the amazonian, human or emotional landscapes guide my creative process, which develops through the use of some artistic techniques such as photography and screen printing, having miriti as a matter and / or support that identifies my territorial space, as well as the landscape as a reference of identity and socio-spatial awareness of belonging. In an intimate composition, as a structure of a being, where the worked images (photographs) would be a kind of physiognomy, in parallel with the human - skin, that which gives face, that goes over the body (miriti), or in a dualistic relation of geographies, human landscape within the geographical landscape, an intimate geography that carries the subjectivity of a mnemonic relationship that constitutes and built me as an artist, as a breath that gives life to these beings, these geographies. that awaken my affective memory as an artist-researcher and result in the artistic production of copyrighted objects developed in various languages and techniques, supported by miriti. The conduction of the research has been guided from established theoretical contributions and guided by the autoethnographic methodology. The theoretical framework used finds support in Bastos et al. (2016), Pizarro (2012), Loureiro (2000) and Benjamin (2012).
Keywords: Fotografia
Miriti
Amazônia
Processo criativo
metadata.dc.subject.areadeconcentracao: ARTES
metadata.dc.subject.linhadepesquisa: TEORIAS E INTERFACES EPISTÊMICAS EM ARTES
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::LINGUISTICA, LETRAS E ARTES
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal do Pará
metadata.dc.publisher.initials: UFPA
metadata.dc.publisher.department: Instituto de Ciências da Arte
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Artes
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
metadata.dc.source: 1 CD-ROM
Appears in Collections:Dissertações em Artes (Mestrado) - PPGARTES/ICA

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertacao_TravessiaPoeticaArtistica.pdf6,94 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons