Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufpa.br:8080/jspui/handle/2011/11878
Tipo: Dissertação
Data do documento: 28-Jun-2019
Autor(es): PINHEIRO, Vanessa da Conceição
Primeiro(a) Orientador(a): FRANÇA, Marlon Carlos
Título: A dinâmica dos manguezais subtropicais no litoral norte de Santa Catarina durante o Holoceno tardio.
Agência de fomento: CNPq - Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico
Citar como: PINHEIRO, Vanessa da Conceição. A dinâmica dos manguezais subtropicais no litoral norte de Santa Catarina durante o Holoceno tardio. Orientador: Marlon Carlos França. 2019. 69 f. Dissertação (Mestrado em Geologia e Geoquímica) – Instituto de Geociências, Universidade Federal do Pará, Belém, 2019. Disponível em: http://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/11878. Acesso: .
Resumo: Este trabalho objetivou identificar o estabelecimento e a expansão dos manguezais no litoral norte de Santa Catarina durante o Holoceno tardio. Para isso, foram integrados dados polínicos, datações 14C, indicadores geoquímicos orgânicos (δ13C, C:N, NT e COT) e resultados de análises sedimentares. Esses dados foram obtidos a partir das análises realizadas em dois testemunhos sedimentares, coletados com a utilização de um amostrador Russo, na Baía da Babitonga (SF7 e SF8), litoral norte de Santa Catarina. Os dados revelam depósitos típicos de canal de maré e planície de maré ao longo dos testemunhos. O depósito de canal de maré foi acumulado entre >1692 anos cal AP até ~ 667 anos cal AP, ocorrendo na base dos testemunhos. Esse depósito é formado por areia fina a média com estratificação plano-paralela (fácies Sp), estratificação cruzada (fácies Sc), laminação planar de baixo ângulo (fácies Sb) e areia maciça (fácies Sm). O depósito caracterizado como planície de maré apresentou idade a partir de ~1223 anos cal AP até o presente, constituído pelas fácies acamamento heterolítico flaser (Hf), acamamento heterolítico wavy (Hw), acamamento heterolítico lenticular (Hl) e lama com acamamento plano-paralelo (Mp). O conteúdo polínico preservado ao longo dos depósitos de canal de maré indica predomínio de árvores e arbustos, seguido de ervas e palmeiras oriundos das unidades de vegetação presentes tanto no entorno do canal como de regiões topograficamente mais elevadas. Apenas no testemunho SF8 foram encontrados grãos de pólen de manguezais, nessa associação de fácies. Os dados isotópicos de δ13C (-24,4 a -21,47 ‰) e da razão C:N (4,77 a 20,81) revelaram uma forte contribuição de matéria orgânica marinha e de plantas terrestres C3. O canal de maré foi colmatado e permitiu o início da deposição da planície de maré. O depósito da planície de maré possui grande quantidade de fragmentos vegetais e o conteúdo polínico encontrado revela um predomínio de ervas, seguido de árvores, arbustos, palmeiras e manguezal. Os resultados de δ13C (-22,48 a -21,18 ‰) e da razão C:N (11,49 % a 19,89%) indicaram a contribuição de plantas terrestres C3 além da contribuição de matéria orgânica marinha. Assim, os dados do presente trabalho revelam que a implantação do manguezal começou a partir de aproximadamente 1692 anos cal AP, com o gênero Laguncularia, seguido de Avicennia, ainda na borda do canal de maré, e a partir de aproximadamente 586 anos cal AP observou-se a instalação e desenvolvimento do gênero Rhizophora. Os gêneros Laguncularia e Avicennia se estabeleceram inicialmente em substratos predominantemente arenosos e em seguida ocuparam também as intercalações de solo arenoso e siltoso. No ambiente de planície de maré, o gênero Rhizophora, se estabeleceu em substratos lamosos. Os manguezais dessa região se instalaram primeiramente nas regiões topograficamente mais elevadas e posteriormente se expandiram para as regiões mais baixas e mais próximas da baía, possivelmente devido à diminuição do nível relativo do mar registrado durante o Holoceno tardio, bem como à migração e preenchimento dos canais de maré. A ocorrência de grãos de pólen de Rhizophora nas profundidades mais próximas ao topo, possivelmente é resultado do aumento de temperatura registrado durante o Holoceno tardio.
Abstract: The goal of this work is identifying the establishment and expansion of mangroves on the northern coast of Santa Catarina during the Late Holocene. For this work, pollen data, 14C dating, organic geochemical (δ13C, C:N, TN and TOC) and results of sedimentary analyzes were integrated. These data were obtained from the analyses carried out from two sedimentary cores (SF7 and SF8) collected using a Russian sampler in the Babitonga Bay, northern coast of Santa Catarina. The data reveals a typical tidal channel and tidal plain deposits throughout the records. The tidal channel deposit was accumulated between > 1692 cal yr BP to ~ 667 cal yr BP, close to the bottom of the cores. This deposit is formed by fine-to-medium sand with parallel laminated sand (Sp facies), cross lamination (facies Sc), low angle planar lamination (Sb facies) and massive sand (Sm facies). The sedimentary deposit is characterized as a tidal plain around ~ 1223 cal yr BP, constituted by facies flaser heterolithic bedding (Hf), wavy heterolithic bedding (Hw), lenticular heterolithic bedding (H1) and parallel mud (Mp). The pollen content preserved along the tidal channel deposits reveals predominance of trees, shrubs, herbs and palms surroundings of the channel and on topographically higher regions. Only SF8 core was found mangroves pollen while the isotopic data revealed δ13C (-24.4 to -21.47 ‰), C/N ratio (4.77 to 20.81) with a strong contribution of marine organic matter and C3 terrestrial plants. The tidal channel was clogged and allowed the beginning of the deposition of the tidal plain. The deposit of the tidal plain has a large amount of plants fragments and pollen content characterized by predominance of herbs, trees, shrubs, palms and mangroves. The results of δ13C (-22.48 to -21.18 ‰) and C:N ratio (11.49 to 19.89) indicated the contribution of C3 terrestrial plants as well as contribution of marine organic matter. In addition, the mangroves beginning from approximately ~1692 cal yr BP with the genus Laguncularia and Avicennia, still at the edge of the tidal channel. Around ~586 cal yr BP was observed the mangrove development with a Rhizophora genus. The Laguncularia and Avicennia were initially established in sandy substrates and then also occupied in silty sandy soil. In the tidal plain environment, the genus Rhizophora was established in mud substrate. The mangroves of this region settled in the topographically higher regions and later expanded to the lower and closest regions of the Babitonga bay, possibly due to the decrease of the relative sea level recorded during the late Holocene as well as the migration and filling of the tidal channels. The occurrence of Rhizophora pollen close to the surface probably was a result of the temperature rise during the Late Holocene.
Palavras-chave: Holoceno tardio
Manguezal
Palinologia
Sedimentologia
Área de Concentração: GEOLOGIA
Linha de Pesquisa: GEOLOGIA MARINHA E COSTEIRA
CNPq: CNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::GEOCIENCIAS
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal do Pará
Sigla da Instituição: UFPA
Instituto: Instituto de Geociências
Programa: Programa de Pós-Graduação em Geologia e Geoquímica
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
Fonte: 1 CD-ROM
Aparece nas coleções:Dissertações em Geologia e Geoquímica (Mestrado) - PPGG/IG

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertacao_DinamicaManguezaisSubtropicais.pdf5,2 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons