Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufpa.br:8080/jspui/handle/2011/13507
metadata.dc.type: Tese
Issue Date: 1-Apr-2021
metadata.dc.creator: MAURITY, Clovis Wagner
metadata.dc.contributor.advisor1: COSTA, Marcondes Lima da
metadata.dc.contributor.advisor-co1: NOGUEIRA, Afonso César Rodrigues
Title: Lateritização e sedimentação cenozoica na evolução da paisagem da Serra dos Carajás
Citation: MAURITY, Clovis Wagner. Lateritização e sedimentação cenozoica na evolução da paisagem da Serra dos Carajás. Orientador: Marcondes Lima da Costa; Coorientador: Afonso César Rodrigues Nogueira. 2021. 149 f. Tese (Doutorado em Geologia e Geoquímica) - Instituto de Geociências, Universidade Federal do Pará, Belém, 2021. Disponível em: http://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/13507. Acesso em:.
metadata.dc.description.resumo: A Serra dos Carajás localizada na porção sudoeste da Amazônia brasileira é um dos exemplos de terrenos lateríticos com couraças ferruginosas ou cangas sustentando platôs que formam altiplanos de até ~700 m. Dois conjuntos distintos de duricrostas são reconhecidos nesta região: 1) um mais antigo, desenvolvido durante o Paleógeno sobre formações ferríferas bandadas (BIF) e vulcânicas do Pré-cambriano; e 2) relacionados uma sucessão de até 30 m de espessura ferruginizada previamente considerada como supergênica e reinterpretada aqui como de origem sedimentar. As análises geomorfológica, sedimentológica, paleomagnética e geoquímica destes depósitos ferruginizados em afloramentos e testemunhos de sondagem formados por brecha e ironstone constataram que estes registram fases recorrentes de denudação e aplainamento a partir do desmantelamento de perfis lateríticos. As brechas são cimentadas por goethita e oxi-hidróxidos de ferro e alumínio são representativos de fluxos de detritos subaéreos e em lençol relacionados a leques coluviais adjacentes a sistema lacustres rasos compreendendo deposição química de goethita e hematita. As rochas ricas em goethita apresenta camadas centimétricas a métricas com laminação plana alternadas com níveis de pisólitos/oncoides indicam atividade microbiana. Dados petrográficos e de difração de raios-x indicaram principalmente hematita (50%), goetita (47%) e gibbsita+Al-goetita+magnetita (3%). A alta suscetibilidade magnética, campos alternados e desmagnetização térmica destes depósitos indicaram uma magnetização remanescente fornecida principalmente pela hematita e goethita. A alta concentração de carbono presente nestes minerais sugere que a forte magnetização detectada pode resultar de antigos incêndios florestais. O padrão gráfico oblato da anisotropia da suscetibilidade magnética e a dispersão dos polos da magnetização remanescente natural indicam variáveis sin e pós-deposicionais relacionada à magnetização herdada presente nos fragmentos de BIF. Análise geoquímica destes depósitos mostram que os elementos pouco móveis têm relação incipiente com as unidades do substrato formadas pelos BIF e basaltos e os valores altos de titânio também corroboram concentração durante a sedimentação não relacionada com a lateritização. A formação de leques coluviais progradantes em direção aos lagos rasos químicos implantados nos vales foram recorrentes na Serra dos Carajás e atestam variações climáticas que ocorrem desde o Pleistoceno. Esta nova visão das duricrostas da Serra dos Carajás inicia uma nova leitura geológica que permite um melhor entendimento dos processos intempéricos e sedimentares relacionados a evolução da paisagem amazônica durante o Cenozoico.
Abstract: The Serra dos Carajás, located in the southwestern portion of the Brazilian Amazon, is one example of lateritic terrains with crusts or “cangas” sustaining plateaus with up to ~ 700 m. Two distinct duricrusts are recognized in this region: 1) an older one, developed during the Paleogene over the Precambrian banded iron formation (BIF) and volcanic rocks; and 2) related to a succession of30 m-thick of Pleistocene ferruginized deposits previously considered as supergenic and reinterpreted here as sediments. The facies, paleomagnetic, and geochemical analyses of these ferruginized deposits in outcrops and drill cores formed by breccia and ironstone found that they register recurrent planation phases associated with the dismantling of lateritic profiles. The breccia is cemented by goethite, and iron and aluminum oxyhydroxides are representative of subaerial debris flows related to colluvial fans adjacent to shallow lake systems comprising the chemical deposition of goethite and hematite. The goethite-bearing beds with even parallel lamination alternate with pisolites / oncoids laminae indicate microbial activity. Petrographic and X-ray diffraction data indicated mainly hematite (50%), goethite (47%) and gibbsite + Al-goethite + magnetite (3%). The high magnetic susceptibility, alternating fields, and thermal demagnetization of these deposits indicated a remaining magnetization provided mainly by hematite and goethite. The high concentration of carbon present in these minerals suggests that the strong magnetization detected may result from old forest fires. The oblate graphic pattern of the magnetic susceptibility anisotropy and the dispersion of the poles of the remaining natural magnetization indicates sin and post-depositional variables related to the inherent magnetization present in the BIF fragments. Geochemical analysis of these deposits shows that the little mobile elements have a limited relationship with the BIF and volcanic substrate. The high titanium values also corroborate concentration during sedimentation not related to lateritization. The progradation of colluvial fans on shallow chemical lakes implanted in the valleys was recurrent in the Serra dos Carajás landscape evolution, attesting to the climatic variations since the Pleistocene. This new insight about the Serra dos Carajás duricrusts initiates a new geological reading that allows a better understanding of the weather and sedimentary processes related to the Cenozoic Amazonian evolution landscape.
Keywords: Terreno laterítico
Aplainamento
Duricrosta
Pisólito
Magnetização
Lateritic terrain
Planation
Duricrust
Pisolites
Magnetization
metadata.dc.subject.areadeconcentracao: GEOQUÍMICA
metadata.dc.subject.linhadepesquisa: MINERALOGIA E GEOQUÍMICA
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::GEOCIENCIAS
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal do Pará
metadata.dc.publisher.initials: UFPA
metadata.dc.publisher.department: Instituto de Geociências
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Geologia e Geoquímica
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Brazil
metadata.dc.source: 1 CD-ROM
Appears in Collections:Teses em Geologia e Geoquímica (Doutorado) - PPGG/IG

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Tese_LateritizacaoSedimentacaoCenozoica.pdf50,62 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons