Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/1924
metadata.dc.type: Dissertação
Issue Date: 10-Apr-2007
metadata.dc.creator: TEIXEIRA JÚNIOR, Ronaldo Rodrigues
metadata.dc.contributor.advisor1: ALBUQUERQUE, Luiz Carlos de
Title: Variáveis de controle do comportamento governado por regras: uma análise de métodos e resultados de estudos da área
Other Titles: Controlling variables of rule governed behavior: an analysis of methods and results of studies in this area
metadata.dc.description.sponsorship: CNPq - Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico
Citation: TEIXEIRA JÚNIOR, Ronaldo Rodrigues. Variáveis de controle do comportamento governado por regras: uma análise de métodos e resultados de estudos da área. 2007. 157 f. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal do Pará, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Belém, 2007. Programa de Pós-Graduação em Teoria e Pesquisa do Comportamento.
metadata.dc.description.resumo: Alguns autores têm sugerido que regras podem gerar insensibilidade do comportamento às contingências de reforçamento programadas. Outros, no entanto, têm sugerido que essa insensibilidade tende a ocorrer, não devido a propriedades inerentes às regras, mas sim devido ao tipo de esquema de reforçamento usado nos estudos. Um problema, contudo, é que há evidências experimentais mostrando que o comportamento de seguir regras discrepantes das contingências programadas pode tanto ser mantido quanto interrompido, independentemente de o esquema de reforçamento ser intermitente ou contínuo. É possível que tais diferenças de resultados ocorram devido a diferenças nos métodos dos estudos que têm produzido tais resultados, mas isso ainda não está suficientemente esclarecido na literatura. O presente trabalho teve como objetivo reunir e comparar os principais estudos que investigaram o controle por regras em diferentes esquemas de reforçamento, com o fim de investigar se características específicas dos métodos usados em tais estudos podem ter contribuído, ou não, para a ocorrência de diferenças nos resultados. Para isso, foi adotado o seguinte procedimento: 1) seleção dos principais trabalhos experimentais da área que têm investigado o papel de diferentes tipos de esquemas de reforçamento na sensibilidade do seguimento de regras às contingências; 2) divisão dos textos em grupos de acordo com o método usado por cada grupo de pesquisa; 3) análise dos métodos e resultados dos estudos de um mesmo grupo e em comparação com os estudos de outros grupos; 4) discussão dos resultados com base nas explicações que os autores dão para seus resultados e em relação aos resultados de outros estudos não considerados pelos autores. Os principais resultados foram os seguintes: em todos os 5 grupos ocorreram desempenhos sensíveis e insensíveis entre os participantes, não dependendo pelo menos exclusivamente do tipo de esquema que estava sendo usado; em 3 dos 5 grupos houve uma persistência de resultados insensíveis entre os participantes, enquanto em 2 dos 5 grupos houve uma persistência de resultados sensíveis; as diferenças nos resultados de sensibilidade e insensibilidade em cada grupo parecem ter dependido de algumas variações nos métodos que foram usados e não apenas do tipo de esquema de reforçamento. Algumas dessas variações nos métodos não têm sido suficientemente estudadas na área e podem estar interferindo nos resultados. Alguns exemplos que foram discutidos seriam: o controle do conteúdo das instruções, a forma de distribuição de reforçadores, as características da seleção dos participantes e o nível de dificuldade das tarefas usadas. Estudos que tivessem como objetivo específico manipular essas variáveis com o fim de controlar melhor seus efeitos poderiam garantir uma melhor efetividade dos métodos usados para estudar o controle por regras. Essas novas investigações poderiam auxiliar no desenvolvimento de parâmetros mínimos de controle para a realização de novos estudos.
Abstract: Some authors have suggested that rules can produce insensibility of behavior to programmed reinforcement contingencies. Others, however, have suggested that this insensibility tend to occur, not due to inherent properties of rules, but due to the type of reinforcement schedule used in the studies. One problem, nevertheless, is that there are experimental evidences showing that the behavior of following rules different from programmed contingencies can be either maintained or interrupted, independently if the reiforcement schedule is intermittent or continuous. It is possible that such results differences occurs due differences in methods of the studies that have been producing this results, but this is not sufficiently explained in literature. The present work had as objective join and compare the main studies that investigated rule control in different schedules of reinforcement, with purpose to investigate if specific features of the methods used in these studies could contribute, or not, to the occurrence of differences in the results. For this, it was adopted the following procedure: 1) selection of the main experimental papers in the area that investigated the role of different types of reinforcement schedules in sensibility of rule following to contingencies; 2) sort out the texts in groups according to the method used for each research group; 3) analysis of methods and results of studies of the same group or in comparison with studies of other groups; 4) discussion of results based on the explanations that the authors give to their results and in relation of results of other studies not considered by the authors. The main results were as follow: in all of the 5 groups occurred sensitive and insensitive performance among subjects, not depending at least exclusively of the type of schedule that was been used; in 3 of 5 groups there was a persistency of insensitive results among subject, while in 2 of 5 groups there was a persistency of sensitive results; the differences in results of sensibility and insensibility in each group seems to have depended up on some variations in the methods that were used and not only from the type of schedule of reinforcement. Some of these variations in methods have not been sufficiently studied in the area and can be interfering with the results. Some examples that were discussed would be: the control of instructions contents, the way of delivering reinforcers, the features in selecting subjects and the difficulty level of task used. Studies that had as specific objective manipulate these variables with the purpose of better control their effects could guarantee a better efficiency of methods used to study rule control. These new investigations could help developing minimal controlling parameters for the realization of new studies.
Keywords: Reforço (Psicologia)
Mudança comportamental
Comportamento humano
Psicologia experimental
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIA::PSICOLOGIA EXPERIMENTAL
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal do Pará
metadata.dc.publisher.initials: UFPA
metadata.dc.publisher.department: Núcleo de Teoria e Pesquisa do Comportamento
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Teoria e Pesquisa do Comportamento
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Appears in Collections:Dissertações em Teoria e Pesquisa do Comportamento (Mestrado) - PPGTPC/NTPC

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertacao_VariaveisControleComportamento.pdf648,98 kBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons