Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/3264
metadata.dc.type: Artigo de Periódico
Issue Date: Dec-2010
metadata.dc.creator: TEISSERENC, Pierre
metadata.dc.description.affiliation: UFPA - Universidade Federal do Pará
Title: Reconhecimento de saberes locais em contexto de ambientalização
Other Titles: The recognition of local knowledge in a context of environmentalization
Citation: TEISSERENC, Pierre. Reconhecimento de saberes locais em contexto de ambientalização. Novos Cadernos NAEA, Belém, v. 13, n. 2, p. 5-26, dez. 2010. Disponível em: <http://www.periodicos.ufpa.br/index.php/ncn/article/view/473/727>. Acesso em: 03 dez. 2012.
metadata.dc.description.resumo: O artigo trata da questão do econhecimento dos saberes tradicionais no contexto de ambientalização dos movimentos sociais e de territorialização da ação pública que se acompanha habitualmente de uma reivindicação do território de pertencimento de grupos sociais. Esta reivindicação se manifesta como uma reivindicação global que abrange o estatuto das populações tradicionais, o uso da terra, as formas de producão que elas desenvolvem, seu modo de organização coletiva e o reconhecimento de sua identidade em referencia a uma cultura. Para isso é apresentada uma síntese dos debates que acompanham esta reivindicação de reconhecimento no âmbito da Amazônia brasileira e os desafios aos quais este reconhecimento deve responder, em particular sobre os laços entre o território de pertencimento e a cultura dessas populações, entre esta cultura e seus modos de ocupação e de exploração das terras e a eficácia econômica e social do modo de produção que elas têm conseguido conceber. Esta reivindicação interroga a capacidade dos saberes acadêmicos de re-interrogar a relação homem-natureza que lhes têm inspirado. Face a um tal desafio, o projeto de Edgar Morin tem pertinência e permite compreender tudo o que há de utópico em proposições como a das Reservas Extrativistas. Para concluir, voltamos às distinções entre ambientalização verde e ambientalização marrom considerando os recursos naturais enquanto recursos patrimoniais.
Abstract: The article discusses the subject of recognition of traditional knowledge in the environmental context of social movements and territorialization of public action which usually follows a claim for territory which belongs to social groups. This claim is expressed as a global claim which comprehends the statute of traditional populations, land use, the means of production which they develop, their means of collective organization and the recognition of their identity as a culture. Therefore, the paper presents a synthesis of the debates which follow that claim of recognition within the Brazilian Amazon, and the challenges to which this acknowledgement shall respond, in special the bonds between the territory of possession and the culture of these populations; between this culture and their means of land occupation and exploration; the social and economic efficacy and the means of production that they have been able to understand. This claim questions the ability of academic knowledge to question once more the man-nature relation that have inspired them. Before such challenge, Edgar Morin’s project finds all relevance and allows understanding whichever is utopic in propositions such as the Extractivist Reserves. Finally, we refer to the differences between green and brown environmentalization into consideration natural resources as heritage resources.
Keywords: Ocupação do território
Movimentos sociais
Cultura
Reserva extrativista
ISSN: 2179-7536
1516-6481
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Appears in Collections:Artigos Científicos - IFCH

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Artigo_ReconhecimentoSaberesLocais.pdf265,71 kBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons