Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/3405
Compartilhar:
Tipo: Artigo de Periódico
Data do documento: Abr-2009
Autor(es): MENDES, Anderson Conceição
TRUCKENBRODT, Werner Hermann Walter
Título: Proveniência de arenitos albianos (Grupo Itapecuru), borda leste da bacia de São Luís-Grajaú, Maranhão, usando análise de minerais pesados e química mineral
Título(s) alternativo(s): Provenance of Albian sandstones (Itapecuru Group), eastern border of São Luís-Grajaú Basin, Maranhão, using heavy mineral analysis and mineral chemistry
Citar como: MENDES, Anderson Conceição; TRUCKENBRODT, Werner. Proveniência de arenitos albianos (Grupo Itapecuru), borda leste da bacia de São Luís-Grajaú, Maranhão, usando análise de minerais pesados e química mineral. Boletim do Museu Paraense Emilio Goeldi. Ciências Naturais. Belém, v.4, n.1, p. 57-74, jan.- abr. 2009. Disponível em: <http://scielolab.iec.pa.gov.br/pdf/bmpegcn/v4n1/v4n1a06.pdf>. Acesso em: 29 jan. 2013. O documento está hospedado na: bvs.iec.pa.gov.br
Resumo: Depósitos albianos da bacia de São Luís-Grajaú, antigamente conhecidos apenas em subsuperfície como ‘Unidade Indiferenciada’ do Grupo Itapecuru, foram recentemente encontrados ao longo do rio Itapecuru, na parte leste desta bacia. São argilitos avermelhados, esverdeados a cinzas, arenitos estratificados e maciços e subordinadamente calcários, interpretados como depósitos de delta progradante para ENE/E e ESE e conectado a uma plataforma restrita. Para determinar a proveniência de arenitos albianos, foram coletadas 18 amostras para estudos de minerais pesados (fração 0,062-0,125 mm) usando-se microscópio petrográfico convencional e microscópio eletrônico de varredura. Os arenitos foram classificados como quartzo-arenito moderadamente a bem selecionado, cimentado por dolomita, cujos principais minerais pesados são zircão (4-70%), granada (12-74%), turmalina (3-20%), estaurolita (1-9%), rutilo (1-8%) e barita (0-55%), enquanto cianita, anatásio (autigênico), anfibólio (hornblenda), andaluzita, sillimanita, espinélio e ilmenita ocorrem raramente. A maioria dos grãos é irregular angulosa, mas grãos bem arredondados, particularmente de turmalina e zircão, também estão presentes. Texturas superficiais incluem fraturas conchoidais, marcas de percussão em V e pequenos buracos, estes últimos em grãos arredondados de turmalina e zircão, enquanto feições de corrosão estão principalmente presentes em barita (cavidades rômbicas), cianita, estaurolita (superfície mamilar) e granada (facetas bem formadas por dissolução). Grãos de zircão, com texturas de zoneamento oscilatório e razões U/Th ≥ 0,5 e Zr/Hf média de 29, indicam proveniência de granitos e migmatitos, enquanto os tipos de turmalina, determinados como dravita e shorlita, são oriundos, principalmente, de metapelitos e metapsamitos aluminosos e/ou pobres em Al, com menor contribuição de granitos e rochas meta-ultramáficas. As granadas, por sua vez, são ricas em almandina e têm baixos teores dos componentes de espessartita, grossulária e piropo. Suas fontes potenciais são rochas metamórficas de baixo a médio grau e granitos. Com base em análises de minerais pesados e progradação do sistema deltaico para ENE/E e ESE, as áreas mais prováveis como fontes potenciais de arenitos albianos são o cráton São Luís, os cinturões neoproterozóicos Araguaia e Gurupi, bem como a bacia paleozóica do Parnaíba, esta fornecendo sedimentos de grãos arredondados.
Abstract: Albian deposits from the São Luis-Grajaú Basin, formerly recognized only in the subsurface, have been recently found along the Itapecuru river, eastern part of this basin. These deposits consist of red, gray to greenish mudstones, cross-bedded and massive sandstone and subordinately limestones, interpreted as deposits of a to ENE/E and ESE prograding delta connected to a restricted platform. In order to understand the provenance of Albian sandstones, 18 samples were collected for heavy mineral analysis (fraction 0,062-0,125 mm) using a conventional petrographic microscope and scanning electron microscope. The sandstones have been classified as moderately to well sorted, dolomite-cemented quartz-arenites whose heavy-mineral suite consists of zircon (4-70%), garnet (12-74%), tourmaline (3-20%), staurolite (1-9%), rutile (1-8%) and baryte (0-55%), while kyanite, anatase (authigenic), calcic-amphibole, andalusite, sillimanite, spinel and ilmenite occur more rarely. The majority of the grains is angular irregular, but well rounded grains, particularly tourmaline and zircon, are also present. Surface textures include conchoidal fractures, percussion marks in V and diminute pits, the latter in rounded tourmaline and zircon grains, while corrosion features are mainly present in baryte (rhombic cavities), kyanite, staurolite (surface mammillae) and garnet (well-formed etch-facets). Zircon grains, with oscillatory zoning textures, U/Th ratio ≥ 0,5 and mean Zr/Hf ratio of 29, are mainly derived from granites and probably migmatites. Plots on Zr/Hf-Y and Hf-Y-Nb diagrams show that this mineral can be related to at least two different sources. The tourmaline types, determined as dravite and schorl, indicate provenance mainly from aluminous and/or Al-poor metapelites and metapsammites with smaller contribution from granitic and meta-ultramafic rocks. Garnet is rich in almandine and has relatively low spessartine, grossular and pyrope contents whose potential source rocks are low- to medium-grade metamorphic rocks and granites. Based on their heavy-mineral suite and the progradation of the delta system to ENE/E and ESE, the most likely source areas of the studied Albian sandstones are the São Luís Craton, the Neoproterozoic Araguaia and Gurupi belts as well as the Paleozoic Parnaíba Basin, the latter supplying sediments of rounded grains.
Palavras-chave: Mineral pesado
Arenito albino
Grupo Itapecuru
Bacia de São Luís - Grajaú - MA
Maranhão - Estado
ISSN: 1981-8114
Aparece nas coleções:Artigos Científicos - FAGEO/IG

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Artigo_ProvenienciaArenitosAlbianos.pdf921,5 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons