Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/3480
Compartilhar:
Type: Dissertação
Issue Date: 2012
Authors: RUFFEIL, Tiago Octavio Begot
First Advisor: MONTAG, Luciano Fogaça de Assis
Title: A ictiofauna de poças rochosas de maré: padrões de distribuição associados ao espaço e ambiente
Other Titles: The rockpool’s ichthyofauna: distribution patterns associated with space and environment
Citation: RUFFEIL, Tiago Octavio Begot. A ictiofauna de poças rochosas de maré: padrões de distribuição associados ao espaço e ambiente. 2012. 35 f. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal do Pará, Museu Paraense Emílio Goeldi, Belém, 2012. Programa de Pós-Graduação em Zoologia.
Resumo: Em estudos com comunidades biológicas, a busca por padrões de ocorrência e distribuição das espécies vêm ganhando espaço em pesquisas realizadas nas últimas décadas. O conhecimento da estrutura das comunidades e suas relações, associados às interações desses organismos com o meio ambiente, fornecem subsídios necessários para a manutenção dessas comunidades, bem como informações relevantes em planos de conservação e manejo. Sendo assim, o objetivo desta pesquisa foi avaliar o efeito do ambiente e do espaço na estruturação da assembleia de peixes de poças rochosas de maré, descrevendo o padrão de ocupação das espécies nesse ambiente, testando a hipótese de que o espaço possui maior efeito na estruturação da ictiofauna. Foram amostradas 80 poças rochosas ao longo da Zona Costeira Amazônica, sendo 40 no período de maior precipitação e 40 no período de estiagem de 2011. Estas poças estão localizadas em cinco praias do litoral paraense e foram mensuradas quanto ao volume, a distância da margem e as variáveis físico-químicas da água, como pH, temperatura e salinidade. Foram coligidos 1.311 peixes, sendo 633 indivíduos na chuva e 648 na estiagem. Os indivíduos estão distribuídos em nove ordens, 14 famílias e 21 espécies, sendo a Ordem Perciformes a ordem mais abundante, com B. soporator e L. jocu sendo as espécies mais representativas. Os resultados obtidos na rotina BioEnv evidenciaram que as variáveis abióticas pH, temperatura e volume são responsáveis pela estruturação da comunidade. O cálculo da diversidade β evidenciou uma ampla variação de dados, abrangendo desde a substituição total das espécies até comunidades idênticas entre si, quanto à ocorrência e abundância. A DCA evidenciou que o período pluviométrico não é determinante na distribuição das espécies, uma vez que não há diferença na composição entre os dois períodos. O efeito do espaço e do ambiente sobre a comunidade foi pequeno, uma vez que a maior parte da variação não foi explicada utilizando-se todas as variáveis ambientais, como em uma segunda análise, em que só foram utilizadas as variáveis definidas pela rotina BioEnv. Seguindo o mesmo padrão, a pRDA apenas para as variáveis mais correlacionadas evidenciou que: 6% respondem ao ambiente, 4% ao espaço, 2% ao ambiente e espaço e 88% são outros fatores. Os resultados obtidos nessas análises comprovam que os fatores abióticos mensurados, bem como a distância entre as amostras, não são determinantes na composição e distribuição da ictiofauna em poças rochosas, refutando assim a hipótese de que o espaço possui efeito na estruturação da ictiofauna, uma vez que as condições ambientais sofrem constantes perturbações ocasionadas pelo movimento de marés. Sendo assim, as espécies que ocupam esse ambiente se mostram adaptadas, e por isso, não teriam sua distribuição afetada pela variação dos parâmetros ambientais nessa escala de estudo, respondendo somente ao efeito do espaço.
Abstract: Within studies of biological communities the search for occurrence and distribution patterns is acquiring space in researches in recent decades. Knowledge of the community structure and their relations, associated with interaction of these organisms with the environment, give necessary subsidies for the maintenance of these communities and relevant information for conservation and management plans. This way, the aim of this work was analyze the effect of environment and space on the structuration of the fish assemblage of rocky tidepools, describing the occupation patterns of these species in this environment and testing the hypothesis of the space having strong effect on the ichthyofauna organization. It was sampled 80 rocky tidepools in Amazon coastal zone, being 40 of the rainy period and 40 of the dry period of 2011. These pools are localized in five beaches of the Pará coastal zone and their volume, distance of the margin and physical-chemical parameters of the water (as pH, temperature and salinity) were measured. A total of 1.311 fishes were sampled, being 633 individuals of rainy season and 648 of dry season. The specimens represent nine orders, 14 families and 21 species. Perciformes was the most abundant order, within B. soporator and L. jocu as the most representative species. Obtained results in BioEnv process showed that abiotic variables (pH, temperature and volume) are not responsible for the organization of the community. Calculation of β diversity evidenced a wide variation of the data, including since the total substitution of the species to identical communities, considering the occurrence and abundance. DCA pointed that the pluviometric period is not determinant on species distribution, as result of the lack of difference in the composition among periods. The effect of space and environment on the community was low, since the larger part of variation was not explained with environmental variables, as the second analysis, where it was utilized the variables defined with the BioEnv process. Following the same pattern, the partial RDA used with the most correlated variables showed that: 6% explained by environment, 4% by space, 2% by environment and space, and 88% by other factors. The obtained results in these analyses prove that abiotic factors measured, likewise the distance among samples, are not determinant in composition and distribution of tidepools ichthyofauna. These data refute the hypothesis of the space having influence on the organization of the ichthyofauna, since the environmental conditions experience constant disturbances caused by tidal movement. In doing so, the species that occupy this environment showed themselves adapted, and for this reason they would not have their distribution affected by the variation of environmental parameters at this scale, responding only for the space effect.
Keywords: Peixe
Ictiofauna
Biodiversidade
Participação de variância
Litoral
Estuários
Baía do Oiapoque (AP)
Baía de São Marcos (MA)
CNPq: CNPQ::CIENCIAS BIOLOGICAS::ECOLOGIA::ECOLOGIA DE ECOSSISTEMAS
CNPQ::CIENCIAS BIOLOGICAS::ZOOLOGIA::ZOOLOGIA APLICADA::CONSERVACAO DAS ESPECIES ANIMAIS
Country: Brasil
Publisher: Universidade Federal do Pará
Museu Paraense Emílio Goeldi
Institution Acronym: UFPA
MPEG
Department: Instituto de Ciências Biológicas
Program: Programa de Pós-Graduação em Zoologia
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Appears in Collections:Dissertações em Zoologia (Mestrado) - PPGZOOL/ICB

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertacao_IctiofaunaPocasRochosas.pdf343.03 kBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons