Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/3697
Compartilhar:
Type: Dissertação
Issue Date: 2006
Authors: AMARAL, Ivanete do Socorro Abraçado
First Advisor: SOUZA, Rita Catarina Medeiros de
Title: Co-infecção vírus da imunodeficiência humana e vírus da hepatite C (HIV/HCV): aspectos epidemiológicos, clínicos e laboratoriais de uma população atendida em um serviço de hepatopatias na cidade de Belém-Pará
Citation: AMARAL, Ivanete do Socorro Abraçado. Co-infecção vírus da imunodeficiência humana e vírus da hepatite C (HIV/HCV): aspectos epidemiológicos, clínicos e laboratoriais de uma população atendida em um serviço de hepatopatias na cidade de Belém-Pará. 2006. 130 f. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal do Pará. Núcleo de Medicina Tropical, Belém, 2006. Curso de Mestrado em Doenças Tropicais.
Resumo: A infecção pelo Vírus da imunodeficiência humana 1 (HIV -1) em associação com a do Vírus da hepatite C (HCV) representa, atualmente, uma comorbidade que pode interferir principalmente na história natural da hepatite C. Este trabalho tem como objetivo descrever aspectos demográfico, clínico e laboratorial, incluindo exame histopatológico de pacientes coinfectados HIV/RCV. No período de agosto de 2004 a dezembro de 2006, 36 pacientes coinfectados, foram selecionados para o estudo. Noventa e dois por cento desses pacientes eram procedentes de Belém, com média de idade de 42 anos. Entre as principais informações demográficas da população estudada, foram identificados 72,52% solteiros, 83,5% do sexo masculino e 61,1% relataram ser heterossexuais. Entre os fatores de risco para o HCV o uso de drogas ilícitas injetáveis foi identificado em 41,7% dos casos, o uso de cocaína intranasal foi relatado por 38,9% dos pacientes, e o compartilhamento de seringas e material pessoal, em 38,9% dos casos. A história de etilismo em 77,8% e o uso de TARV foram os possíveis fatores agravantes mais frequentes para a doença hepática. Apenas um paciente apresentou sinais clínicos de insuficiência hepática crônica. Entre os testes bioquímicos hepáticos, a mediana de ALT e AST foi de 68UI/L e 61UI/L, respectivamente. Os níveis de linfócitos T CD4+ apresentaram mediana de 327 células/mm³, a carga viral do HIV com mediana de 2,53 logl0 cópias/mL (ep=0,34), carga viral do HCV com mediana de 5,9 log10UI/mL. O genótipo 1 do HCV foi o mais frequente (58,82%). Cinqüenta e sete por cento dos pacientes submetidos à biópsia hepática apresentavam fibrose de moderada a severa, e 11% não apresentaram fibrose pela classificação MET AVIR. Houve associação entre níveis de linfócitos T CD4+ e níveis de ALT e de AST (p=0,0009 e p=0,0002, respectivamente), assim como associação entre genótipo 1 do HCV e HCV-RNA maior ou igual a 6 log10 UI/mL (p=0.0039). Foi observada também associação entre HCV-RNA e HIV-RNA (p=0,039). Os pacientes apresentam estado geral bom, imunologicamente estáveis, sem sinais de descompensação hepática, mas com alterações estruturais hepáticas importantes, sendo portanto bons candidatos à terapia antiviral para o HCV. Futuros estudos, talvez de caso controle, com casuística maior são necessários para melhor entendimento da co-infecção HIV/HCV.
Abstract: The Human immunodeficiency virus 1 (HIV-1) and Hepatitis C virus (HCV) infection currently appears as co-morbidity, which can intervene mainly in natural history of hepatitis C. Describing demographic, clinical and laboratorial aspects including histopathological examination, was the objective of this study. Between august of 2004 to december of 2006, 36 co-infected patients were selected for this study. 92% were from Belém, with 42 years old medium age; 72.52% singles; 83.5% male and 61.1% heterosexuals. Among possible risk factors for HCV, 41, 7% referred injectable illicit drug use, 38,9% intranasal cocaine and 38,9% syringe share. History of alcoholism (77,8%) and TARV use had been the possible factors for hepatic illness aggravations. A patient showed clinical signals of hepatic failure from chronic disease. Among biochemical hepatic tests, medium ALT and AST levels had been 68UI/L and 61UI/L, respectively. T CD4+ lymphocytes medium levels were 327cells/mm3. Medium HIV viral load was 2,53 log10 copies/mL (ep=0,34). Medium HCV viral load was 5,90log10UI/mL. HCV genotype 1 was the most frequent (58,82%). 57% of the patients submitted to liver biopsy presented fibrosis ranging from moderate to severe and 11% did not presented fibrosis by METAVIR classification. There was association between T CD4+ lymphocytes and ALT or AST levels (p=0,0009 and p=0,0002), and there was association between HCV genotype 1 and HCV-RNA viral load higher or equal to 6 Log10 (p=0,34). There was association between HCV-RNA and HIV-RNA (p=0,039) viral load. The patients presented good health conditions, no signs of liver failure and immunological stability, but showed important liver structure alterations. Therefore, they are good candidates for HCV antiviral therapy. Perhaps, future studies using controlled group, having a large casuistry are necessary for better understanding of HIV/HCV co-infection.
Keywords: HIV-1
Hepacivirus
Hepatite C
Coinfecção
Diagnóstico laboratorial
Belém - PA
Pará - Estado
Amazônia Brasileira
CNPq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::SAUDE COLETIVA::SAUDE PUBLICA
CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::MEDICINA::CLINICA MEDICA::DOENCAS INFECCIOSAS E PARASITARIAS
Country: Brasil
Publisher: Universidade Federal do Pará
Institution Acronym: UFPA
Department: Núcleo de Medicina Tropical
Program: Programa de Pós-Graduação em Doenças Tropicais
Appears in Collections:Dissertações em Doenças Tropicais (Mestrado) - PPGDT/NMT

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertacao_CoinfeccaoVirusImunodeficiencia.pdf1.16 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons