Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/3795
metadata.dc.type: Dissertação
Issue Date: 1-Apr-2008
metadata.dc.creator: BARRETO, Josafá Gonçalves
metadata.dc.contributor.advisor1: SALGADO, Claudio Guedes
Title: Efeito da laserterapia de baixa intensidade sobre a cicatrização de úlceras hansênicas: ensaio clínico randomizado
metadata.dc.description.sponsorship: SCTIE - Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde do Brasil
CNPq - Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico
FINEP - Financiadora de Estudos e Projetos
Citation: BARRETO, Josafá Gonçalves. Efeito da laserterapia de baixa intensidade sobre a cicatrização de úlceras hansênicas: ensaio clínico randomizado. 2008. 86 f. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal do Pará, Núcleo de Medicina Tropical, Belém, 2008. Programa de Pós-Graduação em Doenças Tropicais.
metadata.dc.description.resumo: Úlcera neuropática é uma das sequei as mais estigmatizantes da hanseníase. Sua presença é bastante incapacitante para o indivíduo, podendo levar a deformação e/ou amputação do membro afetado. Diversas técnicas de tratamento têm sido utilizadas no manejo destas úlceras, no entanto, os resultados nem sempre são satisfatórios, ocasionando a existência de pessoas que convivem há vários anos com ferimentos crônicos. A laserterapia de baixa intensidade (LBI) tem sido utilizada em diversos países no tratamento de úlceras de difícil cicatrização, entretanto seus resultados são inconclusivos e muitos dos trabalhos publicados apresentam falhas metodológicas. O objetivo deste estudo foi avaliar o efeito da LBI sobre o processo de cicatrização de úlceras em pacientes hansenianos, em um teste clínico controlado e randomizado. O estudo foi realizado no ambulatório de curativos da Unidade de Referência Estadual em Dermatologia Sanitária do Pará - Marcello Candia, a partir de um levantamento clínico-epidemiológico para caracterização da população estudada, por meio de anamnese, identificação da localização das úlceras, registro fotográfico digital, avaliação da área das lesões utilizando o programa ImageTool 3.0, e medida da profundidade das úlceras de 51 pacientes, totalizando 97 lesões. A comorbidade mais frequente nesta população foi a hipertensão arterial sistêmica (13 casos). Em seguida, 25 sujeitos foram distribuídos aleatoriamente em dois grupos de estudo. O grupo controle (GC), formado por 12 pacientes (14 Úlceras) permaneceu recebendo o tratamento de rotina, composto por curativos simples diários, uso de sulfadiazina de prata 1 %, e orientações para autocuidados e prevenção de incapacidades. O grupo experimental (GE), formado por 13 sujeitos (17 úlceras), permaneceu recebendo o mesmo tratamento de rotina do GC mais a aplicação de LBI três vezes por semana, durante um período de 12 semanas. A LBI foi aplicada com um equipamento de laser diodo A1GaInP (660 nm), na dose de 2 J/cm² com a técnica de varredura sem contato no leito da lesão, e 4 J/ponto nas bordas da lesão com aplicações pontuais com contato. A densidade de potência foi de 1 W/cm². As variáveis estudadas foram: área da lesão em cm², profundidade em milímetros e escore PUSH. No GC a média da área das úlceras foi de 5,3 (±9.2) antes e 4,4 (± 8,5) depois do tratamento, a profundidade foi de 6,3 (± 5,4) antes e 5,4 (± 5.7) depois, o escore PUSH foi 9,7 (± 3,4) antes e 8,4 (± 5.3) depois. No GE a média da área das Úlceras foi de 4,2 (± 5,9) antes e 3,8 (± 5,7) depois do tratamento, a profundidade foi de 6.2 (± 5.1) antes e 4,1 (± 3,9) depois, o escore PUSH foi 9,6 (± 3,3) antes e 7,9 (± 5,3) depois. A análise estatística não evidenciou diferença significativa (p > 0,05) em nenhuma das variáveis estudadas antes e depois do tratamento. A LBI, dentro dos parâmetros utilizados neste estudo, não demonstrou benefícios adicionais para a cicatrização de úlceras em hansenianos. A diminuição do peso exercido sobre a área da lesão e o controle da pressão arterial são medidas importantes no manejo destas úlceras.
Abstract: Neuropathic ulcer is one of the most stigmatical sequels of leprosy. Its presence is very disabling to the patient, and can cause deformity and/or amputation of the affected limb. Different methods of treatments have been used in the ulcers management, but the results are frequently dissatisfactory, resulting in many people living with chronic wounds for a long time. Low Level Laser Therapy (LLLT) is used in many services to accelerate wound healing, but its results are controversial, and several published works are inconclusive. The main goal of this study was to evaluate the effect of LLLT on wound healing of leprosy patients in a randomized clinical trial. This study was conducted at the dressing service of Dr Marcello Candia Reference Unit in Sanitary Dermatology of the State of Para. First, in order to analyze the clinical and epidemiological characteristics of 51 patients (97 ulcers) we conducted anamnesis, identification of the regions affected by the lesions (including digital photographic register), measurement of ulcer depth and surface area, using the software ImageTool 3.0. The most frequent comorbidity was systemic high blood pressure with 13 cases. To evaluate laser therapy, 25 subjects were randomly allocated into two groups of intervention. The control group (CG), with 12 patients (14 ulcers) received the standard treatment with daily simple dressings, use of topic 1% silver sulfadiazine cream, and orientations about self-care and prevention of disabilities. The experimental group (EG), with 13 subjects (17 ulcers), received standard treatment plus LLLT 3 times per week during 12 weeks. The LLLT consisted of 4 J/point in the wound edges, using a punctual contact technique and 2 J/cm² in the wound bed, using a scanning technique. The LLLT equipment was an AlGaInP diode laser (660 nm) with a power density of 1 W/cm². The analyzed variables were: ulcer surface area in square centimeters (cm²), depth in millimeters (mm), and PUSH score. The mean ulcer surface in the CG was 5,3 cm² (± 9,2) before and 4,4 cm² (± 8,5) after treatment, the depth was 6,3 mm (± 5,4) before and 5,4 (± 5,7) after, and the PUSH score was 9,7 (± 3,4) before and 8,4 (± 5,3) after treatment. In the EG, mean ulcer surface was 4,2 cm² (± 5,9) before and 3,8 cm² (± 5,7) after treatment, the depth was 6,2 mm (± 5,1) before and 4,1 mm (± 3,9) after, and the PUSH score was 9,6 (± 3,3) before and 7,9 (± 5,3) after treatment. The statistical analysis did not show any significant difference (p > 0.05) in none of the variables analyzed before and after treatment. Considering the parameters used in this study, in comparison with usual leprosy neuropathic ulcer treatment, LLLT did not demonstrate any additional benefits to wound healing. The study suggests that 1) special attention should be given to the control of blood pressure on these patients, and 2) diminish or avoid weight bearing on the affected area should continue as key recommendation for ulcer healing.
Keywords: Doenças infecciosas
Hanseníase
Terapia a laser de baixa intensidade
Úlcera
Pará - Estado
Amazônia brasileira
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::SAUDE COLETIVA::SAUDE PUBLICA
CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::MEDICINA::CLINICA MEDICA::DOENCAS INFECCIOSAS E PARASITARIAS
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal do Pará
metadata.dc.publisher.initials: UFPA
metadata.dc.publisher.department: Núcleo de Medicina Tropical
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Doenças Tropicais
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Appears in Collections:Dissertações em Doenças Tropicais (Mestrado) - PPGDT/NMT

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertacao_EfeitoLaserterapiaBaixa.pdf3,66 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons