Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufpa.br:8080/jspui/handle/2011/4159
metadata.dc.type: Dissertação
Issue Date: Jun-2001
metadata.dc.creator: ESTUPIÑÁN-TRISTANCHO, Ruth Amanda
metadata.dc.contributor.advisor1: OREN, David Conway
Title: Variação geográfica de Osteocephalus taurinus Steindachner, 1862 (Amphibia : Anura : Hylidae)
metadata.dc.description.sponsorship: CAPES - Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior
MPEG - Museu Paraense Emílio Goeldi
Citation: ESTUPIÑÁN-TRISTANCHO, Ruth Amanda. Variação geográfica de Osteocephalus taurinus Steindachner, 1862 (Amphibia : Anura : Hylidae). 2001. 76 f. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal do Pará, Museu Paraense Emílio Goeldi, Belém, 2001. Programa de Pós-Graduação em Zoologia.
metadata.dc.description.resumo: Osteocephalus taurinus é uma espécie nominal de ampla distribuição na Amazônia e nos llanos do Orinoco. Sua grande variação morfológica indica que se trata de um complexo de espécies. O presente estudo examina a variação geográfica de vários caracteres morfológicos e morfométricos da espécie nominal, avalia a hipótese de tratar-se de fato um complexo de espécies; e testa a teoria da atual distribuição das formas, através de padrões biogeográficos, ecológicos e de regímen de precipitação já definidos. A partir de 431 espécimes estudados foram selecionadas 16 populações, nas quais foram analisados 20 caracteres anatômicos internos, 14 caracteres morfométricos e seis caracteres morfológicos externos. Através de análises estatística e mapas de isolinhas evidenciou-se que O. taurinus não se trata de um complexo de espécies e sim possui uma grande variação intra e interpopulacional das caraterísticas morfométricas e morfológicas. Simultaneamente, foram observados caracteres anatômicos internos polimórficos. O primeiro componente obtido através de uma análise de componentes principais mostra uma variação clinal do tamanho corporal ao longo da distribuição geográfica total, mais evidente nos machos. Em outros caracteres analisados, a variação fico independente do cline. O padrão espacial do tamanho indicou que as formas maiores ocorrem nas terras baixas da Amazônia, onde a vegetação de floresta ombrofila divide as áreas de cerrado ao norte e ao sul do continente sul americano. Nestas últimas áreas, ocorrem com maior intensidade as formas menores. Esta distribuição espacial não se explicou através das divisões propostas por outros autores para Amazônia, o que pode ser devido a um mascaramento gerado pela grande variação intrapopulacional. O modelo espacial do tamanho corporal de O. taurinus não corresponde a um padrão de isolamento por distância, o que pode sugerir que a colonização da espécie em algumas áreas seja recente. Este estudo confirma a hipótese da origem do gênero no início do Plioceno, o que indica que O. taurinus teria tido tempo suficiente para se dispersar antes do surgimento dos Andes como barreira geográfica.
Abstract: Osteocephalus taurinus is an Amazonian and Orinochian nominal species with a wide geographic distribution. Its great morphologic variation has suggested that O. taurinus is in fact a species complex. This study examines the geographic variation of morphometric and morphologic characters. The species complex hypothesis is tested. Simultaneously, in order to explain the present body form distribution by biogeographic, rainfall and ecological patterns previously established for Amazonia, these patterns were assessed. From total 431 specimens studied, 16 populations were selected for analysis 20 of inner anatomic structures, 14 morphometric and 6 morphologic external characteres. Statistical analyses and isoline maps indicated that O. taurinus not is a especies complex and exist a interpopulation and intrapopulation variation on the morphometry and morphology of O. taurinus. Polymorphic anatomical characters ocurrs in this species. The first axis of a principal component analysis showed a clinal variation of body size along the entire geographic distribution was most plainly evident in males. Clinal variaton in other characters studied was independent of cline. Spatial size distribution indicated the largest specimens occur in the Amazon lands low, where rainforest vegetation divides savanna areas to the north and south of South America. These two last areas more often presented the smaller forms. In this study, the distribution observed for O. taurinus was not explained by traditional divisions of Amazonia, and suggest some noise generated by high intrapopulational variation. This spatial model of O. taurhius body size did not show a pattern of isolation by distance, which may suggest a recent arca colonization by this species. Simultaneusly, the study confirms the early Pliocenic origin hypothesis for Osteocephalus, which allowed O. taurinus had time to disperse before the Andes emerged as a geographical barrier.
Keywords: Tamanho corporal
Amazônia continental
Anfíbio
Osteocephalus taurinus
Anuro
Biogeografia
Morfologia
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS BIOLOGICAS::ZOOLOGIA::TAXONOMIA DOS GRUPOS RECENTES
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal do Pará
Museu Paraense Emílio Goeldi
metadata.dc.publisher.initials: UFPA
MPEG
metadata.dc.publisher.department: Instituto de Ciências Biológicas
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Zoologia
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Appears in Collections:Dissertações em Zoologia (Mestrado) - PPGZOOL/ICB

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertacao_VariacaoGeograficaOsteocephalus.pdf5,02 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons