Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/4589
Compartilhar:
Type: Dissertação
Issue Date: 2012
Authors: CUNHA, Jonas Araújo da
First Advisor: RICCI, Magda Maria de Oliveira
Title: As letras humanas: os povos indígenas e o ensino da língua portuguesa na Amazônia Pombalina (1751-1763)
Citation: CUNHA, Jonas Araújo da. As letras humanas: os povos indígenas e o ensino da língua portuguesa na Amazônia Pombalina (1751-1763). 2012. 183 f. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal do Pará, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Belém, 2012. Programa de Pós-Graduação em História Social da Amazônia.
Resumo: Os povos indígenas que habitavam o Vale do Amazonas durante o período da colonização portuguesa foram submetidos em distintos momentos, por diferentes agentes e por variados instrumentos, a incisivos processos de aculturação visando sua inserção no mundo “civilizado”. Sendo o uso das letras humanas, compreendido pela prática da leitura e da escrita na língua portuguesa sua maior evidencia. Durante um século (1650-1750) a Companhia de Jesus destacou-se entre as ordens regulares que se estabeleceram na região como aquela que mais implantou aldeias missionárias objetivando além da catequese o ensino das letras humanas aos povos nativos. Na segunda metade do século dezoito no contexto da chamada “Era Pombalina” o Estado Luso, a partir especialmente das cartas e relatórios de Francisco Xavier de Mendonça Furtado Governador do Estado do Grão- Pará e Maranhão entre 1751 e 1759, oficializou a visão que denunciava o lamentável “estado do ensino” no Vale do Amazonas evidenciado no descaso das ordens missionárias em geral e dos jesuítas em particular, com o ensino da língua do Rei aos súditos nativos. Prova maior desta incômoda realidade era o uso massificado da chamada Língua Geral em detrimento da língua portuguesa. Em face desta realidade e considerando que o uso da língua portuguesa se constituía a “base fundamental da civilidade” conforme expressava o texto do Directório que se deve observar nas povoações dos índios do Pará e Maranhão, O Estado encampa e assume a tarefa de promover o ensino das letras humanas nas Vilas, Lugares e Povoações do Vale do Amazonas. Tarefa que o sucessor de Mendonça Furtado o Governador Manuel Bernardo de Mello e Castro (1759-1761) envidará grande esforço e particular empenho para cumprir, em face dos enormes obstáculos estruturais e conjunturais que se apresentavam. Esta dissertação tem como objetivo essencial “melhor compreender” estes eventos, perscrutando o seu processo, destacando seus percalços e refletindo sobre suas consequências para os povos indígenas que o vivenciaram.
Abstract: Indigenous peoples who inhabited the valley of the Amazon during the period of Portuguese colonization were submitted at disctints times by different agents and various instruments, the incisors acculturation processes aimed at inserting the "civilized" world. As the use of humane letters understood the practice of reading and writing in the portuguese language the most evident. For a century (1650-1750) the Society of Jesus stood out among the regular orders who settled in the region such as that implemented more villages missionary catechesis aimed beyond the teaching of humane letters to the native peoples. In the second half of the eighteenth century in the context of the "Pombal Age" the State Luso, especially from the letters and reports of Francisco Xavier de Mendonça Furtado Governor of Grand Para and Maranhao between 1751 and 1759, officially denounced the view that the lamentable "state school" in the Amazon Valley evidenced in disregard of the missionary orders of the Jesuits in general and in particular with the teaching of the native subjects of the King. Proof of this most uncomfortable reality was the massive use of so-called General Language at the expense of the Portuguese language. Given this reality, and considering that the use of Portuguese language was the "cornerstone of civility" as expressed in the text directory that should be observed in the villages of the Indians of Para and Maranhao, The State encompasses and assumes the task of promoting teaching of humane letters in Villages, Towns and Places of the Amazon Valley. Job's successor Governor Mendonça Furtado Manuel Bernardo de Mello e Castro (1759-1761) will make great effort and personal commitment to fulfill, given the enormous structural and conjucture obstacles that presented themselves. This dissertation aims essential "better understand" these events, scrutinizing the process, highlighting their struggles and reflecting on their consequences for the indigenous people who experienced it.
Keywords: História social
História - Séc. XVIII
Escrita
Leitura
Ensino
Língua portuguesa
Índio
Pará - Estado
Maranhão - Estado
Amazônia brasileira
CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::HISTORIA::HISTORIA DO BRASIL::HISTORIA DO BRASIL COLONIA
Country: Brasil
Publisher: Universidade Federal do Pará
Institution Acronym: UFPA
Department: Instituto de Filosofia e Ciências Humanas
Program: Programa de Pós-Graduação em História Social da Amazônia
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Appears in Collections:Dissertações em História (Mestrado) - PPHIST/IFCH

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertacao_LetrasHumanasPovos.pdf1,74 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons