Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufpa.br:8080/jspui/handle/2011/4744
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.creatorFURTADO, Adriano Penha-
dc.date.accessioned2014-02-07T16:23:14Z-
dc.date.available2014-02-07T16:23:14Z-
dc.date.issued2009-04-03-
dc.identifier.citationFURTADO, Adriano Penha. Dirofilariose canina em dois municípios da Ilha do Marajó, Estado do Pará, Brasil: um enfoque epidemiológico, morfológico e molecular. 2009. 95 f. Tese (Doutorado) - Universidade Federal do Pará, Instituto de Ciências Biológicas, Belém, 2009. Programa de Pós-Graduação em Biologia de Agentes Infecciosos e Parasitários.pt_BR
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/4744-
dc.description.abstractFilarids are elongate and filiforms nematodes parasites. Canids filarids parasites belong to the Onchocercidae Family and are represented mainly by Genus Acanthocheilonema, Dipetalonema and Dirofilaria. These filarids develop in different places in the vertebrate host, and need for haematophagus invertebrate host to complete your cycle. Different infection levels can occur, since assintomatic, until the death of dog. The filarids parasites of dogs are found mainly in the region between the tropics. In the Amazon region a little is known about the distribution of these parasites, and until this moment, a study of distinguishing diagnosis was not performed. With this objective, we choose two cities in the Marajó Island (Salvaterra and São Sebastião da Boa Vista) and carry through a epidemiologic, morphologic and molecular studies. The percentage of microfilaremics dogs was of 37.34% in Salvaterra and 6.67% in São Sebastião da Boa Vista, resulting in a total prevalence of 32.45%. Analyzing the morphologic characteristics of the collected adult filarids, we concluded that these worms are of the Dirofilaria immitis species. For analysis of genic region, we conclude that the microfilariaes found in the dogs blood studied are also D. immitis species, and that these dogs had not presented mixing infection.pt_BR
dc.language.isoporpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal do Pará-
dc.rightsAcesso Aberto-
dc.subjectDoenças transmissíveispt_BR
dc.subjectDirofilariosept_BR
dc.subjectEpidemiologiapt_BR
dc.subjectDirofilária immitispt_BR
dc.subjectSalvaterra - PApt_BR
dc.subjectSão Sebastião da Boa Vista - PApt_BR
dc.subjectIlha de Marajó - PApt_BR
dc.subjectPará - Estadopt_BR
dc.subjectAmazônia brasileirapt_BR
dc.titleDirofilariose canina em dois municípios da Ilha do Marajó, Estado do Pará, Brasil: um enfoque epidemiológico, morfológico e molecularpt_BR
dc.typeTesept_BR
dc.publisher.countryBrasil-
dc.publisher.departmentInstituto de Ciências Biológicas-
dc.publisher.initialsUFPA-
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS BIOLOGICAS::PARASITOLOGIA-
dc.contributor.advisor1LANFREDI, Reinalda Marisa-
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/5488452069004649-
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/8529690721456055-
dc.description.resumoOs filarídeos são nematóides parasitas de corpo alongado em forma de fio. Os filarídeos parasitas de cães pertencem à Família Onchocercidae, sendo representados principalmente pelos gêneros Acanthocheilonema, Dipetalonema e Dirofilaria. Estes filarídeos se desenvolvem em locais diferentes no hospedeiro vertebrado, necessitando da passagem por um hospedeiro invertebrado hematófago para completar seu ciclo. No cão, diferentes níveis de infecção podem ocorrer, desde assintomática, até o comprometimento cardiovascular, podendo levar à morte. Na Amazônia, pouco se sabe sobre a distribuição destes parasitas, e até o momento, não se realizou um estudo de diagnóstico diferencial. Este estudo foi realizado em dois municípios na Ilha do Marajó (Salvaterra e São Sebastião da Boa Vista), com um enfoque epidemiológico (com a pesquisa de microfilárias em amostras de sangue de cães domésticos), morfológico (pela análise de características taxonômicas de vermes adultos) e molecular (pela comparação entre regiões gênicas de microfilárias circulantes em sangue canino e vermes adultos). O percentual de cães microfilarêmicos foi de 37,34% em Salvaterra e 6,67% em São Sebastião da Boa Vista, resultando numa prevalência total de 32,45%. Os filarídeos adultos coletados em ambos os municípios são da Dirofilaria immitis, por análise morfolágica. Por análise de fragmentos gênicos, concluímos que as microfilárias encontradas na corrente sanguínea dos cães estudados também são da espécie D. immitis, e que estes cães não apresentaram infecção mista.-
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Biologia de Agentes Infecciosos e Parasitários-
Appears in Collections:Teses em Biologia de Agentes Infecciosos e Parasitários (Doutorado) - PPGBAIP/ICB

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Tese_DirofilarioseCaninaDois.pdf37,24 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons