Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/5164
Compartilhar:
Type: Dissertação
Issue Date: 2011
Authors: MEDEIROS, Larissa Gonçalves
First Advisor: LEMOS, Flávia Cristina Silveira
Title: A objetivação da saúde da criança pelo UNICEF: problematizando tecnologias de biopoder na Amazônia
Other Titles: The objetification of child health from UNICEF: questioning biopower technologies in the Amazon
Sponsor: FAPESPA - Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas
Citation: MEDEIROS, Larissa Gonçalves. A objetivação da saúde da criança pelo UNICEF: problematizando tecnologias de biopoder na Amazônia. 2011. 108 f. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Pará, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Belém, 2011. Programa de Pós-Graduação em Psicologia.
Resumo: Este estudo busca problematizar a concepção de saúde da criança veiculada pelo UNICEF, analisando especificamente os regimes de verdade e práticas de poder que são operados por esta agência acerca das condições de saúde em que vivem as crianças na Amazônia. Para tanto é realizada uma pesquisa documental que tem como fonte de análise o relatório “Ser Criança na Amazônia”: uma análise das condições de desenvolvimento infantil na região norte do Brasil, publicado pelo UNICEF em 2004. Como ferramentas de análise são utilizadas a história-genealógica de Foucault e sua analítica do poder, especialmente em relação ao biopoder. No contexto das políticas da ONU a performance do UNICEF no cuidado da infância é compreendida como parte de uma governamentalidade liberal que atua na promoção do progresso social e desenvolvimento econômico dos países, em prol da segurança. Neste sentido, esta pesquisa procura dar visibilidade ao modo como as práticas do UNICEF são articuladas às práticas vizinhas e engendram um dispositivo de governo que opera através de estratégias disciplinares e biopolíticas no controle da população da Amazônia, em função da gestão de riscos. De acordo com as análises do UNICEF, a saúde da criança é compreendida como efeito de determinadas condições sociais e econômicas consideradas fundamentais para sua sobrevivência e bem-estar. A falta de infraestrutura social e as precárias condições de existência são apontadas como fatores que podem gerar doenças e prejuízos ao desenvolvimento das crianças. Além disso, o relatório enfatiza o papel da mulher enquanto mãe, colocando-a como principal responsável pela sobrevivência e educação dos filhos, e a importância do desempenho da família para a garantia do pleno desenvolvimento infantil. Observa-se como as noções de saúde e infância, compreendidas respectivamente como um campo multideterminado e uma etapa da vida que precisa ser protegida e controlada, são utilizadas pelo UNICEF no governo das populações pobres da região, capturadas em discursos higiênicos que desqualificam as famílias em função de suas condições de sobrevivência e de suas práticas de cuidado em relação às crianças. Estes discursos produzem a demanda por uma rede infinda de proteções para as famílias que promovem a saúde e asseguram a vida, mas implicam em controles que põem em xeque sua autonomia.
Abstract: This study intends to problematize the conception of child health propagated by UNICEF, specifically analyzing the regimes of truth and practices of power, which are operated by this agency on the health conditions of the children that lives in the Amazon. Therefore it’s made a documentary research that has its source analysis the report "Being a Child in Amazonia: an analysis of the conditions for child development in the northern region of Brazil”, published by UNICEF in 2004. As analysis tools, are used Michel Foucault's genealogical history, and his analytics of power, especially in relation to biopower. In the context of United Nations policy, the UNICEF's performance in the care of children is understood as part of a liberal governmentality that acts in promoting social progress and economic development of countries, for safety's sake. In this sense, this research try to give visibility to how the practices of UNICEF, articulated with surrounding practices, engender a device of government that operates through disciplinary and biopolitical strategies to control the population of the Amazon as function of risk management. According to the UNICEF analysis, the child health is understood as an effect of certain social and economic conditions considered essential for their survival and well-being. The lack of social infrastructure and the precarious conditions of existence are pointed as factors that may cause illness and damage to children's development. In addition the report emphasizes the role of woman as mother, placing her as the main responsible for the survival an education of children, and the importance of family performance in guarantee a complete child development. Notions of health and childhooh, respectively, as a multidimensional field, and a life stage that needs to be protected and controlled, from this point of view, are used by UNICEF in the government of the poor population of the region, captured in hygienic speeches that disqualify families because of their survival conditions and their care practices in relation to children. These speeches sets up a demand for an endless network of protections for families that promotes health and ensure life, but imply controls that put in check their autonomy.
Keywords: Saúde da criança
UNICEF
Biopolítica
Desenvolvimento infantil
Amazônia Brasileira
CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIA::PSICOLOGIA SOCIAL
Country: Brasil
Publisher: Universidade Federal do Pará
Institution Acronym: UFPA
Department: Instituto de Filosofia e Ciências Humanas
Program: Programa de Pós-Graduação em Psicologia
Appears in Collections:Dissertações em Psicologia (Mestrado) - PPGP/IFCH

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertacao_ObjetivacaoSaudeCrianca.pdf566.4 kBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons