Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/5370
metadata.dc.type: Tese
Issue Date: 20-Dec-2013
metadata.dc.creator: OLIVEIRA, Déborah Mara Costa de
metadata.dc.contributor.advisor1: CRESPO LÓPEZ, Maria Elena
Title: Triagem de cinco espécies de plantas medicinais usadas na Amazônia através da análise de secreção de histamina
Citation: OLIVEIRA, Déborah Mara Costa de. Triagem de cinco espécies de plantas medicinais usadas na Amazônia através da análise de secreção de histamina. 2013. 105 f. Tese (Doutorado) – Universidade Federal do Pará, Instituto de Ciências Biológicas, Belém, 2013. Programa de Pós-Graduação em Neurociências e Biologia Celular.
metadata.dc.description.resumo: A Organização Mundial de Saúde recomenda o estudo e o uso de plantas medicinais regionais, como fonte de recursos para diminuir os custos dos programas de saúde pública e ampliar o número de beneficiários, sobretudo em países subdesenvolvidos e em desenvolvimento. Na Amazônia, a prática da fitoterapia já é parte integral da cultura tradicional, mas em muitas ocasiões existe uma profunda carência de conhecimento científico sobre o efeito dessas plantas. Portanto se torna essencial o estudo com base científica que justifique ou não a indicação dessas plantas para o tratamento ou prevenção doenças. Nesse contexto, as doenças alérgicas são a segunda maior complicação que afeta significativamente a qualidade de vida da população. Nas alergias, os mastócitos são células efetoras chaves participando através da liberação de diversos mediadores pró-inflamatórios, entre eles a histamina. A estabilização de mastócitos e, portanto a inibição da liberação de histamina seria um fator primordial na prevenção e/ou controle das alergias. Assim o objetivo deste trabalho foi avaliar o potencial antialérgico de 5 espécies oriundas ou adaptadas na Amazônia Connarus perrottetii var. angustifolius (Radlk) (barbatimão do pará), Fridericia chica (Bonpl.) L.G. Lohmann (pariri), Luehea speciosa Willd (açoita cavalo), Morinda citrifolia Linn (noni) e Mansoa alliacea (Lam.) A.H. Gentry (cipó d´alho) através da análise de secreção de histamina. Foi realizada a prospecção fitoquímica de extratos brutos etanólicos a 70% de cada espécie de planta (fruto, folhas e/ou casca) e avaliada a liberação de histamina de mastócitos peritoneais de rato incubados in vitro com diferentes concentrações dos extratos e/ou com agentes secretores (composto 48/80 e ionóforo A23187). O presente trabalho monstra pela primeira vez a ação inibitória dessas cinco plantas medicinais sobre a liberação de histamina. Dentre essas 5 plantas, o extrato que demonstrou um efeito mais potente foi o da casca da Connarus perrottetii var. angustifolius (Radlk). Um estudo mais aprofundado desse extrato revelou uma baixa toxicidade aguda e a ausência de genotoxicidade, o que apoiaria seu uso como planta medicinal. As frações aquosa, hexânica e de acetato de etila desse extrato também apresentaram potente efeito inibitório sobre a liberação induzida de histamina. A análise fitoquímica por cromatografia de camada delgada revelou a presença de taninos condensados, catequinas e flavonoides que poderiam ser os responsáveis por esses potentes efeitos Mediante os resultados obtidos, novas bases científicas são formadas para elucidação das informações etnofarmacológicas de plantas tradicionalmente utilizadas na região amazônica. Assim, a possibilidade de investigar alternativas terapêuticas com estes extratos, contra as afeções alérgicas ou condições em que a secreção de mastócitos seja relevante, pode favorecer sobretudo a populações de baixa renda e que habitam áreas com acesso restrito aos centros de saúde, como muitas vezes ocorre na Amazônia, mas que por outro lado tem acesso direto às plantas medicinais.
Abstract: The World Health Organization recommends the study and use of regional medicinal plants as a source of resources to reduce the costs of public health programs and increase the number of beneficiaries, especially in underdeveloped and developing countries. In the Amazon, the practice of herbal medicine is now an integral part of traditional culture, but on many occasions there is a profound lack of scientific knowledge about the effect of these plants. Therefore it is essential to study the scientific basis or not the indication of these plants for treating or preventing diseases. In this context, allergic diseases are the second leading complication that significantly affects the quality of life. In allergies, mast cells are key effector cells participating through the release of several pro- inflammatory mediators, including histamine. The stabilization of mast cells and thus inhibiting histamine release would be a key factor in the prevention and / or control of allergies. Thus the aim of this study was to evaluate the antiallergic potential of 5 or adapted species from the Amazon Connarus perrottetii var.angustifolius (Radlk) (barbatimão do pará), Fridericia chica (Bonpl.) LG Lohmann (pariri), Luehea speciosa Willd (açoita cavalo), Morinda citrifolia Linn (noni ) and Mansoa alliacea (Lam.) AH Gentry (cipó de alho) through the analysis of histamine secretion. Phytochemical screening of the ethanolic crude extracts to 70 % of each plant (fruit, leaves and / or bark) was performed and evaluated the release of histamine from peritoneal mast cells of rat incubated in vitro with different concentrations of the extracts and / or secretory agents (compound 48 /80 and A23187 ionophore). The present study demonstrates for the first time the inhibitory action of these five medicinal plants on the release of histamine. Among these 5 plants, the extract that showed a more potent effect was peeling Connarus perrottetii var. angustifolius ( Radlk ). Further study of this extract showed a low acute toxicity and lack of genotoxicity, which would support its use as a medicinal plant. The aqueous hexane and ethyl acetate fractions of this extract also showed potent inhibitory effect on histamine release induced. The phytochemical analysis by thin layer chromatography revealed the presence of tannins, catechins and flavonoids that could be responsible for these potent effects Through our results, new scientific bases are formed to elucidate the ethnopharmacological information on herbs traditionally used in the Amazon region. Thus, the possibility of investigating alternative therapies with these extracts against allergic affections or conditions in which the secretion of mast cells is relevant, may especially favor the low-income populations and living in areas with limited access to health centers, as often occurs in the Amazon, but otherwise has direct access to medicinal plants.
Keywords: Plantas medicinais
Alergia
Mastócitos
Fitoterapia
Connarus perrottetii
Barbatimão
Fridericia chica
Pariri
Luehea speciosa
Açoita cavalo
Morinda citrifolia
Cipó-d'alho
Mansoa alliacea
Noni (Planta)
Amazônia brasileira
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS BIOLOGICAS::FARMACOLOGIA::ETNOFARMACOLOGIA
CNPQ::CIENCIAS BIOLOGICAS::FARMACOLOGIA::TOXICOLOGIA
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal do Pará
metadata.dc.publisher.initials: UFPA
metadata.dc.publisher.department: Instituto de Ciências Biológicas
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Neurociências e Biologia Celular
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Appears in Collections:Teses em Neurociências e Biologia Celular (Doutorado) - PPGNBC/ICB

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Tese_TriagemCincoEspecies.pdf2,17 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons