Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/5741
metadata.dc.type: Dissertação
Issue Date: 2002
metadata.dc.creator: BORTOLOTI, Renato
metadata.dc.contributor.advisor1: GALVÃO, Olavo de Faria
Title: Medidas não convencionais de transferências de função entre expressões faciais e figuras abstratas
Other Titles: Non conventional measures of transfer of function between facial expressions and abstract pictures
Citation: BORTOLOTI, Renato. Medidas não convencionais de transferências de função entre expressões faciais e figuras abstratas. 2002. 33 f. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal do Pará, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Belém, 2002. Programa de Pós-Graduação em Teoria e Pesquisa do Comportamento.
metadata.dc.description.resumo: Relações de equivalência podem ser definidas como relações arbitrárias capazes de tornar diferentes estímulos intercambiáveis em muitas situações. Isso implica que os elementos que compõem uma classe de estímulos equivalentes devem transferir funções entre si. Este trabalho compreende dois estudos que possuem em comum a formação de classes de equivalência entre expressões faciais e figuras abstratas e o uso de medidas não convencionais de transferência de função. No Experimento 1, foram treinadas relações condicionais entre expressões faciais (A) e estímulos abstratos (conjuntos B e C) e entre os estímulos do conjunto C com os de outro conjunto (D). A equivalência foi testada pelas relações D-B. ‘A’ era composto por fotografias que expressavam alegria, raiva e nojo, enquanto B, C e D se compunham por três figuras abstratas cada. Era então pedido ao participante que avaliasse os estímulos abstratos D1, D2 e D3 de acordo com um conjunto de escalas bipolares. Foi encontrada correspondência entre as avaliações das expressões faciais feitas pelo grupo controle e as avaliações dos estímulos D pelo grupo experimental. O uso de estímulos significativos e de medidas de transferência que não envolviam escolhas forçadas possibilitaram uma validação independente do modelo de equivalência, mostrando que estímulos arbitrários podem adquirir 'significado' similar ao de expressões faciais. Os resultados permitem ainda avaliar o grau em que os símbolos adquiriram o significado dos referentes. O Experimento 2 considerou o fato de que uma expressão facial ameaçadora em meio a expressões amigáveis é selecionada mais rapidamente que uma expressão amigável em meio a ameaçadoras e verificou se o mesmo ocorreria com os estímulos que se tornassem equivalentes a elas. As mesmas relações do Experimento 1 foram treinadas e testadas. Um pós-teste dispunha três figuras relacionadas à mesma expressão facial e uma que pertencia à classe de outro rosto. O participante devia selecionar rapidamente essa última. Os símbolos relacionados à expressão ameaçadora foram selecionados mais rapidamente que os relacionados à face amigável, indicando que esse efeito pode se transferir através de relações de equivalência.
Abstract: Equivalence relation can be defined as arbitrary relation capable to turn interchangeable different stimuli in many situations. This implicates that the elements that compose an equivalence class should transfer functions amongst themselves. The present work presents two studies that have in common equivalence class formation including facial expressions and abstract figures, and non-conventional measures of transference of functions. In Experiment 1 there were trained conditional relations of facial expressions (A) to arbitrary stimuli (sets B and C) and C to set D. Then, equivalence of relations D to B were tested. Set A was composed of pictures of human faces expressing three emotions –happiness, angry and disgust–, sets B, C and D were composed of three abstract figures each. Participants were then asked to evaluate the abstract stimuli D1, D2 and D3 according to a set of bipolar scales of antonymous adjectives. Correspondence was found between evaluations of the facial expressions by a control group and evaluations of the stimuli D by experimental participants. The use of meaningful stimuli and transference measures without forced-choice procedures allowed (1) an independent validation of the equivalence model, showing that arbitrary stimuli became symbols of facial expressions, acquiring similar meaning, and (2) to evaluate the degree in which the symbols acquired the meaning of the referents. Experiment 2 departed from the fact that an angry facial expression amid a number of expressions of happiness is selected faster than a happy face in an angry crowd to verify if detection of expressions of anger could be transferred to arbitrary stimuli by equivalence relations. The same relations of Experiment 1 were trained. Tests presented three abstract figures related to one facial expression and one figure related to another facial expression. Participants had to select the figure alone as fast as possible. Symbols related to the angry face were selected faster than symbols related to the happy face, indicating that such effect could be transferred through equivalence class formation.
Keywords: Equivalência de estímulos
Expressão facial
Figura abstrata
Transferência de função
Relação de equivalência
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIA::PSICOLOGIA EXPERIMENTAL
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal do Pará
metadata.dc.publisher.initials: UFPA
metadata.dc.publisher.department: Núcleo de Teoria e Pesquisa do Comportamento
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Teoria e Pesquisa do Comportamento
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Appears in Collections:Dissertações em Teoria e Pesquisa do Comportamento (Mestrado) - PPGTPC/NTPC

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertacao_MedidasNaoConvencionais.pdf246,56 kBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons