Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufpa.br:8080/jspui/handle/2011/6125
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.creatorPERCÁRIO, Sandro-
dc.date.accessioned2014-11-28T12:18:55Z-
dc.date.available2014-11-28T12:18:55Z-
dc.date.issued2010-04-
dc.identifier.citationPERCÁRIO, Sandro. Prevenção do estresse oxidativo na síndrome de isquemia e reperfusão renal em ratos com suplementação nutricional com antioxidantes. Revista de Nutrição, Campinas, v. 23, n. 2, p. 259-267, mar./abr. 2010. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rn/v23n2/v23n2a09.pdf>. Acesso em: 27 nov. 2014. <http://dx.doi.org/10.1590/S1415-52732010000200009>.pt_BR
dc.identifier.issn1415-5273-
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/6125-
dc.description.abstractOBJECTIVE: The objective of this study was to verify the potential protective effect of antioxidant vitamin supplementation in a model of renal ischemic-reperfusion injury in rats. METHODS: Twenty-nine Wistar rats were divided into three groups: groups I and II (n=10 each), were submitted to 60 minutes of renal ischemia, followed by 10 minutes of reperfusion; additionally, animals of group II were treated for twelve days with antioxidant vitamins (vitamin C 11.43mg/kg and vitamin E 28.5 mg/kg) before being submitted to ischemia; In group III (n=9), the animals were treated like the other groups but not submitted to ischemic-reperfusion injury and not given antioxidant supplements. Subsequently, blood samples and the kidneys were collected for assessment of malondialdehyde, uric acid and total antioxidant capacity. RESULTS: The malondialdehyde and uric acid of group I was significantly higher than those of group III (p<0.01), which in turn did not differ from group II. The levels of total antioxidant capacity of the animals of group I was lower than those of groups II and III (p<0.01). CONCLUSION: These data confirmed the effective participation of oxidative stress in this model of renal ischemia-reperfusion syndrome in rats and showed that the use of antioxidant supplementation can protect the animals from oxidative changes.pt_BR
dc.language.isoporpt_BR
dc.rightsAcesso Aberto-
dc.subjectIsquemiapt_BR
dc.subjectAntioxidantespt_BR
dc.subjectEstresse oxidativopt_BR
dc.subjectRadicais livrespt_BR
dc.subjectTransplante de rimpt_BR
dc.subjectTraumatismo por reperfusãopt_BR
dc.subjectVitaminaspt_BR
dc.titlePrevenção do estresse oxidativo na síndrome de isquemia e reperfusão renal em ratos com suplementação nutricional com antioxidantespt_BR
dc.title.alternativePrevention of oxidative stress in renal ischemia-reperfusion syndrome in rats with nutritional antioxidant supplementationpt_BR
dc.typeArtigo de Periódicopt_BR
dc.description.resumoOBJETIVO: Verificar o potencial efeito protetor de suplementação com vitaminas antioxidantes em um modelo de síndrome de isquemia-reperfusão renal em ratos. MÉTODOS: Foram utilizados 29 ratos Wistar, divididos em três grupos: Grupo I e II (n=10 cada), submetidos a indução do estresse oxidativo pela aplicação de 60 minutos de isquemia renal, seguidos de 10 minutos de reperfusão; adicionalmente, os animais do Grupo II foram pré-tratados por doze dias com vitaminas antioxidantes (vitamina C 11,43mg/kg e vitamina E 28,57mg/kg) antes da submissão à isquemia; Grupo III (n=9), correspondendo aos animais Sham, que foram manipulados de forma equivalente aos outros grupos, porém sem indução do estresse oxidativo e sem suplementação antioxidante. Findo isso, as amostras de sangue e os rins foram colhidos para avaliação dos níveis do malondialdeído, do ácido úrico e da capacidade antioxidante total. RESULTADOS: Para o malondialdeído e ácido úrico do Grupo I foi observado um aumento estatisticamente significante (p<0,01) em relação ao Grupo III, o qual não apresentou diferença em relação ao Grupo II. Para os níveis de capacidade antioxidante total, foi encontrada uma diminuição nos animais do Grupo I em relação aos Grupos II e III (p<0,01). CONCLUSÃO: Esses dados confirmam não apenas a efetiva participação do estresse oxidativo neste modelo de síndrome de isquemia e reperfusão renal em ratos, como também que o uso de vitaminas antioxidantes, associadas à dieta, pode proteger os animais das alterações oxidativas.pt_BR
Appears in Collections:Artigos Científicos - NMT

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Artigo_PrevencaoEstresseOxidativo.pdf321,12 kBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons