Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/6172
metadata.dc.type: Dissertação
Issue Date: 29-Nov-2013
metadata.dc.creator: CHADA, Fabio José Garcia
metadata.dc.contributor.advisor1: MONTEIRO, Marta Chagas
Title: Avaliação da atividade antimicrobiana de extratos de própolis em diferente maturação
Other Titles: Evaluation of antimicrobial activity of propolis extracts in different maturation
Citation: CHADA, Fabio José Garcia. Avaliação da atividade antimicrobiana de extratos de própolis em diferente maturação. 2013. 72 f. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal do Pará, Instituto de Ciências da Saúde, Belém, 2013. Programa de Pós-Graduação em Ciências Farmacêuticas.
metadata.dc.description.resumo: A descoberta e síntese de antimicrobianos compõem um elemento de suma importância para a saúde, entretanto algumas dessas substâncias tornaram-se obsoletas devido ao surgimento de micro-organismos resistentes à terapêutica convencional. Dentro das formas de tratamento, os produtos naturais são uma fonte inesgotável de substâncias, entre elas a própolis, a qual é conhecida mundialmente devido a sua atividade antimicrobiana. O objetivo deste trabalho foi a análise microbiológica de seis amostras de própolis, coletadas de regiões de Prudentópolis- PR, em tempos distintos de depósito em colmeia, uma com até 40 dias de depósito (Própolis Nova) e outra com mais de 180 dias (Própolis Velha). A atividade antimicrobiana foi verificada frente a Pseudomonas aeruginosa, Escherichia coli, Staphylococcus aureus, Micrococcus luteus e Enterococcus faecalis, através do ensaio de microdiluição em placa com teste colorimétrico usando resazurina. Ao fim dos testes obteve-se os valores variando entre 0,38 a 0,68 mg/ml para a CIM da própolis nova e 0,34 a 1,3 mg/ml para a velha, para os micro-organismos S. aureus e M. luteus tendo valores próximos para ambos assim como a CBM destes, entre 0,38 - 1,62 e 0,67 – 2,6 mg/ml, respectivamente. Da mesma forma, para o E. faecalis foram alcançados os valores de CIM entre 0,76 e 2,73 mg/ml para a própolis nova e 1,34 e 2,72 mg/ml para a própolis velha, bem como valores de CBM de 1,5 a 3,07 e 2,68 a 3,11 mg/ml, respectivamente, nas amostras 1V, 2N, 5V e 5N não se verificou CBM para as concentrações estudadas. Os micro-organismos gram-negativos não foram sensíveis ao própolis. Conclui-se que a própolis nova apresentou melhor ação antimicrobiana, principalmente contra S. aureus e M. luteus. No entanto, os dados também mostram que os valores de CIM e CBM foram bem próximos entre as diferentes própolis, fato que não evidencia razões para que a própolis velha seja descartada.
Abstract: The discovery and synthesis of antimicrobial comprise an element of paramount importance to health, however some of these substances have become obsolete due to the emergence of resistant microorganisms conventional therapy. Within the forms of treatment, natural products are an inexhaustible source of substances, including propolis, which is known worldwide due to its antimicrobial activity. The objective of this study was the microbiological analysis of six propolis samples collected from regions Prudentópolis - PR , at different times of deposit hive, with up to 40 days of deposit (New Propolis) and another with over 180 days (Propolis old). The antimicrobial activity was observed against Pseudomonas aeruginosa, Escherichia coli, Staphylococcus aureus, Micrococcus luteus and Enterococcus faecalis through testing microdilution plate with colorimetric assay using resazurin. At the end of the tests gave values ranging from 0.38 to 0.68 mg/ml to MIC new propolis and 0.34 to 1.3 mg/ml for the old to the microorganisms S. aureus and M. luteus having values close to both of these as well as the CBM between 0.38 to 1.62 and from 0.67 to 2.6 mg/ml, respectively. Similarly, for E. faecalis MIC values between 0.76 and 2.73 mg/ml for the new propolis and 2.72 and 1.34 mg/ml of the propolis old were made, and MBC values of 1.50 to 3.07 and 2.68 to 3.11 mg/ml, respectively, for samples 1V, 2N and 5N 5V CBM not observed for the concentrations studied. Gram- negative microorganisms were not sensitive to propolis. We conclude that the new propolis showed better antimicrobial activity, especially against S. aureus and M. luteus. However, the data also show that the values of MIC and MBC were very close between the different propolis, which was not evident reasons why the old propolis is discarded.
Keywords: Própolis
Uso terapêutico
Avaliação
Atividade antimicrobiana
Prudentópolis - PR
Paraná - Estado
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::FARMACIA::ANALISE TOXICOLOGICA
CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::FARMACIA::ANALISE E CONTROLE E MEDICAMENTOS
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal do Pará
metadata.dc.publisher.initials: UFPA
metadata.dc.publisher.department: Instituto de Ciências da Saúde
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Ciências Farmacêuticas
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Appears in Collections:Dissertações em Ciências Farmacêuticas (Mestrado) - PPGCF/ICS

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertacao_AvaliacaoAtividadeAntimicrobiana.pdf1,78 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons