Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/6424
metadata.dc.type: Artigo de Periódico
Issue Date: Mar-2013
metadata.dc.creator: VILLAS, Raimundo Netuno Nobre
SANTIAGO, Érika Suellen Barbosa
CASTILHO, Marília Portela
Title: Contexto geológico, estudos isotópicos (C, O e Pb) e associação metálica do depósito aurífero Tocantinzinho, domínio Tapajós, Província Tapajós-Parima
Other Titles: Geological setting, isotope studies (C, O and Pb) and associated metals in the Tocantinzinho gold deposit, Tapajós domain, Tapajós-Parima Province
Citation: VILLAS, Raimundo Netuno Nobre; SANTIAGO, Érika Suellen Barbosa; CASTILHO, Marília Portela. Contexto geológico, estudos isotópicos (C, O e Pb) e associação metálica do depósito aurífero Tocantinzinho, domínio Tapajós, Província Tapajós-Parima. Geologia USP. Série Científica, São Paulo, v. 13, n. 1, p. 119-138, mar. 2013. Disponível em: <http://ppegeo.igc.usp.br/pdf/guspsc/v13n1/08.pdf>. Acesso em: 11 mar. 2015. <http://dx.doi.org/http://dx.doi.org/10.5327/Z1519-874X2013000100008>.
metadata.dc.description.resumo: O depósito Tocantinzinho, localizado em um lineamento de direção NW–SE, a SW de Itaituba (PA), é atualmente o maior depósito aurífero conhecido na Província Tapajós. Está hospedado no granito homônimo, essencialmente isótropo, no qual dominam rochas sieno e monzograníticas, que foram fraca a moderadamente alteradas por fluidos hidrotermais. Microclinização (mais precoce), cloritização, sericitização, silicificação e carbonatação (mais tardia) são os mais importantes tipos de alteração. O principal estágio de mineralização é contemporâneo à sericitização/silicificação e é representado por vênulas com sulfetos (pirita ± calcopirita ± galena ± esfalerita) e ouro associado, as quais mostram localmente trama stockwork. Além de teores expressivos de Cu, Pb e Zn, são anômalos, em algumas amostras, os de As, Bi e Mo. A relação dos teores do Au com os dos metais-base é aleatória e as razões Au/Ag variam de 0,05 a 5,0. O Au é mais enriquecido nas porções com maior abundância de sulfetos de metais-base, embora ocorra principalmente incluso na pirita. Monocristais de zircão, extraídos do granito Tocantinzinho, forneceram idade Pb-Pb média de 1982 ± 8 Ma, permitindo interpretá-lo como uma manifestação magmática precoce do arco Creporizão. Valores de δ13CPDB em calcita do estágio de carbonatação, dominantemente entre -3,45 e -2,29‰, são compatíveis com fonte crustal profunda, quiçá carbonatítica, enquanto os de δ18OSMOW (+5,97 a +14,10‰) indicam forte contribuição magmática, ainda que mascarada por influxo de águas provavelmente superficiais. Estudos de inclusões fluidas em andamento revelam a presença de fluidos aquocarbônicos, cujo CO2 poderia ter estado dissolvido no magma granítico em vez de ser relacionado à zona de cisalhamento. Os dados até aqui disponíveis permitem classificar o depósito aurífero Tocantinzinho como do tipo relacionado à intrusão.
Abstract: The Tocantinzinho ore deposit is located along a NW–SE-trending lineament, southwestern of Itaituba (Pará, Brazil), and is the largest known gold deposit of the Tapajós Province. The host Tocantinzinho granite is essentially isotropic and dominated by syenogranites and monzogranites that have been weakly to moderately altered by hydrothermal fluids. Microclinization (earliest), chloritization, sericitization, silicification and carbonatization (latest) are the main types of alteration. Most mineralization was contemporaneous with the sericitization/silicification and is represented by sulfide- and gold-bearing veinlets which locally occur as stockwork. Pyrite, chalcopyrite, sphalerite and galena are the most common sulfides. Among the ore metals, Cu, Pb and Zn present the highest contents, but Mo, As and Bi locally show anomalous concentrations. The relationship of Au with Cu, Pb or Zn is at random and the Au/Ag ratios range from 0.05 to 0.5. The higher the sulfide contents, the higher the Au concentrations, though it occurs mainly included in pyrite. Zircon monocrystals from the Tocantinzinho granite yielded an average Pb-Pb age of 1982 ± 8 Ma and may represent an earlier event of the Creporizão magmatic arc. δ13CPDB values for calcite from the carbonatization stage fall dominantly between -3.45 and -2.29‰, being compatible with a deep crustal source that may include carbonatite reservoirs. In turn, δ18OSMOW values vary from +5.97 to +14.10‰, being indicative of magmatic derivation, although the less positive values suggest contribution from surficial waters. Unpublished fluid inclusion study reveals the presence of aquo-carbonic fluids, whose CO2 could have been dissolved in the granitic magma rather than being related to the shear zone. The available data allow the Tocantinzinho deposit to be classified as a granite-hosted, intrusion-related gold deposit.
Keywords: Amazônia brasileira
Granitóides
Granito Tocantinzinho
Mineração aurífera
Suíte metálica
Isótopos radiogênicos e estáveis
Província Aurífera do Tapajós - PA
Itaituba - PA
Pará - Estado
ISSN: 1519-874X
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Appears in Collections:Artigos Científicos - IG

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Artigo_ContextoGeologicoEstudos.pdf7,57 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons