Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/6478
metadata.dc.type: Artigo de Periódico
Issue Date: Dec-2013
metadata.dc.creator: MIYAGAWA, Luciana de Jesus Penha Pamplona
GORAYEB, Paulo Sérgio de Sousa
Title: Basaltos almofadados da Suíte Ofiolítica Morro do Agostinho: registros de fundo oceânico na porção centro-oeste do Cinturão Araguaia
Other Titles: Pillow basalts of Morro do Agostinho Ophiolite Suite: records of seafloor in the midwestern portion of Araguaia Belt
Citation: MIYAGAWA, Luciana de Jesus Penha Pamplona; GORAYEB, Paulo Sergio de Sousa. Basaltos almofadados da Suíte Ofiolítica Morro do Agostinho: registros de fundo oceânico na porção centro-oeste do Cinturão Araguaia. Geologia USP. Série Científica, São Paulo, v. 13, n. 4, p. 111-124, dez. 2013. Disponível em: <http://ppegeo.igc.usp.br/pdf/guspsc/v13n4/06.pdf>. Acesso em: 11 mar. 2015. <http://dx.doi.org/10.5327/Z1519-874X201300040006>.
metadata.dc.description.resumo: Ao longo do domínio de baixo grau metamórfico (porção centro-oeste) do Cinturão Araguaia, afloram dezenas de corpos máficos e/ou ultramáficos de natureza ofiolítica. Cita-se como exemplo a Suíte Ofiolítica Morro do Agostinho nos arredores da cidade de Araguacema (TO) que configura um pequeno corpo isolado que sustenta o Morro do Agostinho e encontra-se encaixado tectonicamente em metarenitos, ardósias e filitos da Formação Couto Magalhães (Grupo Tocantins). A Suíte Ofiolítica Morro do Agostinho é constituída por peridotitos serpentinizados, basaltos e cherts ferríferos todos afetados por incipiente metamorfismo. A associação de basaltos é caracterizada por um expressivo derrame submarino com estruturas em lavas almofadadas, sobrepostas aos peridotitos serpentinizados. Os basaltos foram classificados em tipos maciços e hipovítreos com esferulitos. Os basaltos maciços são homogêneos, com textura intersertal definida, essencialmente, por finas ripas de plagioclásio, clinopiroxênio e raramente olivina, calcocita e calcopirita. Os basaltos hipovítreos apresentam feições texturais formadas por ultrarresfriamento de lavas apresentando esferulitos de plagioclásio, feixes de cristais aciculares e esqueletais de clinopiroxênio e plagioclásio, e cristais com terminações tipo rabo-de-andorinha. Geoquimicamente, os basaltos revelaram natureza subalcalina toleítica, compatíveis com o tipo MORB. As razões (La/Yb)n < 1 e (La/Sm)n < 1 apontam, mais especificamente, para magmas do tipo N-MORB na evolução dessas rochas relacionadas ao ambiente de fundo oceânico. Estas rochas revelaram que nos estágios iniciais da evolução do Cinturão Araguaia houve uma fase importante de oceanização da Bacia Araguaia, com exposição de peridotitos do manto litosférico seguido de extravasamento de lavas e sedimentação de cherts e formações ferríferas bandadas em ambiente oceânico profundo. Após o preenchimento sedimentar da Formação Couto Magalhães (Grupo Tocantins), e o descolamento da litosfera oceânica, a fase tectônica principal propiciou a inversão tectônica que levou à exumação dos corpos ofiolíticos, principalmente ao longo de superfícies de cavalgamento, fragmentando-os e misturando-os tectonicamente às rochas supracrustais, acompanhado de metamorfismo regional em condições da fácies xisto verde baixo. A Suíte Ofiolítica Morro do Agostinho representa, assim, um pequeno fragmento alóctone de um segmento litosférico manto/crosta oceânica, bem preservado, do início da evolução da Bacia Araguaia, similar a outros no Cinturão Araguaia, que é um importante registro da fase de oceanização do Cinturão Araguaia, durante o Neoproterozoico.
Abstract: Along the domain of low metamorphic grade (Midwestern portion) of the Araguaia Belt, outcrop dozens mafic and/or ultramafic bodies of ophiolitic suites. An example is the Morro do Agostinho Ophiolite Suite, in the surroundings of the city of Araguacema (Tocantins) that configures a small isolated body that sustains the Morro do Agostinho and is tectonically emplaced in meta-sandstones, slates and phyllites of Couto Magalhães Formation (Tocantins Group). The Morro do Agostinho Ophiolite Suite consists of serpentinized peridotites, basalts and ferriferous cherts. The association of basalts is characterized by a significant layer of submarine pillow lavas overlying serpentinized peridotites. The basalts were classified into massive and hialobasalts types. Massive basalts are homogenous, with intersertal texture that is essentially composed of thin laths and acicular crystals of plagioclase and clinopyroxene and present rare crystals of olivine, chalcocite and chalcopyrite. Hyalobasalt shows ultra-fast cooling features (quenching) as spherulites, radial, acicular and skeletal crystals of plagioclase and clinopyroxene with forms of swallowtail. Geochemical data, including (La/Yb)n and (La/Sm)n ratios less than 1, indicate a subalkaline-tholeiitic MORB nature of the basalts. These rocks show that during the geological evolution of Araguaia Belt, there was an oceanization stage of Araguaia Basin, with litospheric mantle's exposure, followed by lava's extravasation and sedimentation of cherts and banded iron formation in deep ocean environment. After sedimentary filling of the Couto Magalhães Formation (Tocantins Group), the tectonic inversion, which led to the exhumation of the ophiolitic bodies, especially along thrust surface, with fragmenting and tectonic mixing with supracrustal rocks, accompanied by regional metamorphism under conditions of low green schist facies. The Morro do Agostinho Ophiolite Suite therefore represents a small allochthonous fragment of a well-preserved ocean mantle/crust lithosphere, similar to the others examples found in the Araguaia Belt who marks the Araguaia Basin's moment of oceanization during the Neoproterozoic.
Keywords: Mapeamento geológico
Suíte Ofiolítica Morro do Agostinho
Basaltos
Cinturão Araguaia
Araguacema (TO)
ISSN: 1519-874X
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
Appears in Collections:Artigos Científicos - IG

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Artigo_BasaltosAlmofadadosSuite.pdf13,6 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons