Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/6619
Compartilhar:
Type: Artigo de Periódico
Issue Date: Oct-2013
Authors: ALMEIDA, Milton Begeres de
SCHILD, Ana Lucia
PFISTER, James A.
PIMENTEL, Marcelo
FORSTER, Karine Maciel
CORREA, Franklin Riet
Title: Methods of inducing conditioned food aversion to Baccharis coridifolia (mio-mio) in cattle
Other Titles: Métodos de indução de aversão alimentar condicionada a Baccharis coridifolia (mio-mio) em bovinos
Citation: ALMEIDA, Milton Begeres de et al. Methods of inducing conditioned food aversion to Baccharis coridifolia (mio-mio) in cattle. Ciência Rural, Santa Maria, v. 43, n. 10, p. 1866-1871, out. 2013. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/cr/v43n10/a29013cr2012-1270.pdf>. Acesso em: 05 maio 2015. <http://dx.doi.org/10.1590/S0103-84782013001000022>.
Resumo: Foram realizados três experimentos para determinar a eficácia de vários métodos de aversão a Baccharis coridifolia em bovinos: administração oral forçada de 0,5g kg-1 de peso vivo de B. coridifolia fresca; inalação forçada da fumaça proveniente da queima de B. coridifolia e esfregação da planta no focinho e na boca dos animais; e introdução dos animais em pastagens com baixa infestação por B. coridifolia. Os resultados demonstraram que os animais forçados a ingerir pequenas doses tornaram-se fortemente avertidos, quando introduzidos nos piquetes entre 23 a 26 horas após a aversão. Entretanto, bovinos introduzidos nos piquetes após 1 a 10 horas não foram totalmente avertidos. Inalação da fumaça de B. coridifolia e esfregação da planta no focinho e boca dos animais não foram eficientes para produzir aversão. A introdução de bovinos em piquetes com aproximadamente 1% de B. coridifolia foi eficiente quando os animais permaneceram cinco meses na área, mas não quando ficaram apenas 60 horas, pois os bovinos precisam de tempo para aprender a evitar a planta.
Abstract: Three experiments were performed to determine the efficacy of various methods of averting naïve cattle to prevent Baccharis coridifolia poisoning: forced oral administration of 0.5g kg-1 body weight of fresh B. coridifolia; forced inhalation of the smoke from burning B. coridifolia and rubbing the plant on the animals' muzzles and mouths; and introducing the animals into paddocks with low invasion by B. coridifolia. Results demonstrated that cattle forced to ingest low doses become strongly averted if introduced into paddocks 23-26 hours after the aversion. In contrast, cattle introduced into the paddocks between 1-10 hours were not fully averted. Inhalation of B. coridifolia smoke, and rubbing the plant on the animals' muzzles and mouths were not efficient to induce an aversion. The introduction of cattle into paddocks with approximately 1% of B. coridifolia was efficient if the animals remained 5 months in the area, but not if they only remained for 60 hours, as cattle required sufficient time to learn to avoid the plant.
Keywords: Bovino
Baccharis coridifolia
Aversão alimentar condicionada
Controle de intoxicação por plantas
Rio Grande do Sul - Estado
ISSN: 0103-8478
Appears in Collections:Artigos Científicos - FAMEVE/CCAST

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Artigo_MethodsInducingConditioned.pdf36.3 kBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons